fbpx

Marcus Aragão: Por que Fábio Dantas?


Nem começo a escrever e já mudo de assunto. Vamos falar de Brasil. Já já volto para o RN.

Nosso país vive em torno de polêmicas sobre as eleições. Seja na mídia tradicional ou digital, trincheiras pagas, ou não, se abrem para abrir fogo contra o inimigo.

Sim, inimigo, pois pelo nível de intolerância e, muitas vezes, agressividade, acho que não se veem apenas como adversários. Às vezes rentabilizar o ódio pode ser um grande negócio. Disputas com o TSE; queda de braço com o STF; os militares, as fake news; a influência dos EUA e suas possíveis sanções; a  interferência Russa… viraremos uma Argentina se Lula ganhar? Ou uma Venezuela?

Lembrei esses pontos para pedir que momentaneamente esqueçamos os impasses que roubam nossa atenção e paciência. Geralmente, acendem fogueiras para tirar nossa atenção do que realmente importa.

Hoje, vamos nos ater ao seguinte fato: nunca um presidente do Brasil perdeu uma reeleição. Nunca. Por que será? Simples. É muito poder. É a máquina funcionando para reeleger o presidente. É o poder da caneta. É a força do centrão. Lembremos que até Dilma conseguiu se reeleger. Acho que não preciso falar mais nada.

Sabendo disso. É fácil perceber que as chances de Bolsonaro se reeleger são maiores que imaginamos. Não é por acaso que ele sempre vem subindo nas pesquisas. Por outro lado, a reeleição para governador está cada vez mais difícil. Em 2016, dos 20 governadores que tentaram se reeleger, 6 perderam. Em 2018, dos 20 que tentaram, metade perdeu. A tendência é que se torne mais difícil, tendo em vista o fiasco das administrações estaduais no Brasil. Resumindo: é muito mais fácil se reeleger para presidente do que para governador.

Agora voltemos para o RN.

Este ano temos a oportunidade de pela primeira vez alinharmos um governador com o governo federal. Governo esse que tem olhado para o nosso Estado com bons olhos. Ora enviando recursos, ora colocando dois ministros potiguares. Infelizmente, nossa tradição é de desencontros. Quando Temer foi presidente, elegemos Robinson Faria (mesmo Henrique sendo amigo de Temer). Quando Bolsonaro se tornou presidente, tratamos de eleger Fatima Bezerra do PT. Está na hora de andarmos de mãos dadas com o governo federal.

Já pensou como podemos nos beneficiar com esse alinhamento? Tendo Fábio Dantas como Governador, representando a direita, mas trabalhando para todos os potiguares, podemos e devemos correr atrás de tanto tempo perdido.

O RN registrou o segundo pior PIB (produto interno bruto) entre todos os estados brasileiros em 2021. Temos indústrias? Não. A construção civil consegue se desenvolver? Não. Será possível que vamos viver de sal, frutas e passeio de buggy nas dunas?  Ah, temos também energia eólica mas o governo atual quer aumentar a taxação.

Poderia ser qualquer candidato. Alinhado com Bolsonaro já é melhor que Fátima trabalhando contra. Mas que bom que esse candidato é Fabio Dantas. Porque entende de política: já foi duas vezes deputado estadual e vice-governador. É um articulador conciliador reconhecido até pelos seus adversários. Entende de gestão na iniciativa privada e pública, pois é um empresário de sucesso no ramo da cachaça e esteve à frente do ITEP.

Seu rápido crescimento nas pesquisas mostra que você está no caminho certo, Fábio.

Pelo RN, somos todos Fábio Dantas. Confirme.

Marcus Aragão

@Aragao01

Fonte: Blog do Gustavo Negreiros

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: