fbpx

Ezequiel Ferreira aumentou seus bens em quase R$ 2 milhões estando na Presidência da Assembleia e já acumula quase R$ 3 milhões em bens segundo TSE

O presidente da assembleia legislativa do RN, Ezequiel Ferreira, iniciou o seu primeiro mandato de deputado em 2010 com declarações de bens de 1 milhão de reais, e depois daí, só foi engordando sua conta bancária.

Em 2014 o aumento foi insignificante, de apenas 114 mil reais, já em 2018 quando já era presidente, sua conta bancária engordou bastante, e foi para R$ 1.955.328,23, e agora em 2022, deu outro salto, chegando a marca de quase R$ 3 milhões.

Ezequiel chega a marca milionária de ter quase 3 milhões de reais em bens declarados, o que enquadra o presidente da ALRN como um dos cidadãos mais ricos do RN.

Ezequiel é filho de uma oligarquia bem conhecida no RN, que pouco fez pelo estado, mas que ao longo dos anos, sempre teve um ocupante de cargo público, mas pra ele especificamente, tem sido bem vantajoso, conseguiu engordar suas contas.

Confira a agenda dos candidatos ao Governo do RN nesta quarta (24)

Antonio Bento (PRTB):

Não informada

Clorisa Linhares (PMB):

8h30 – Inauguração do comitê 35 e adesivaço, em Mossoró

12h – Almoço com correligionários, em Mossoró

19h – Reunião com amigos e apoiadores, em Tibau

Danniel Morais (PSOL):

Não informada

Fábio Dantas (Solidariedade):

19h – Reunião com Tiago da Auto-Escola e Lincoln em Felipe Camarão, na zona Oeste de Natal

Fátima Bezerra (PT):

8h – Gravação para programa eleitoral

9h – Bandeiraço e adesivaço na Ponte de Igapó, na zona Norte

14h – Entrevista na TV Câmara, na Câmara Municipal de Natal

14h30 – Recebe lideranças de Jardim de Angicos, João Câmara, Caiçara do Rio dos Ventos e São José de Mipibu, no comitê

Nazareno Neris (PMN):

Não informada

Rodrigo Vieira (Democracia Cristã):

Não informada

Rosália Fernandes (PSTU):

9h30 – Acompanha candidata a vice, Socorro Ribeiro, em debate sobre educação pública, no auditório do Sinte/RN

12h30 – Entrevista ao programa Boa Tarde RN, na TV Band

Styvenson Valentim (Podemos):

18h – Entrevista na 98 FM, em Candelária

Casos de violações dos direitos de crianças no RN têm aumento de 119% no 1º semestre de 2022

O Rio Grande do Norte registrou um aumento de 119% nos casos de violações dos direitos das crianças nos seis primeiros meses de 2022. Os dados foram levantados pelo Instituto Santos Dumont (ISD) junto ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MDH).

Em números absolutos, foram 4.911 violações registradas no primeiro semestre, contra 2.235 casos registrados no mesmo período do ano passado. O número de violações não foi o único que apresentou crescimento: as denúncias no Rio Grande do Norte foram de 555 em 2021 para 958 em 2022, um aumento de 72.6%.

As violações dos direitos humanos da criança consistem em qualquer interferência que se comete contra a integridade física e psíquica, desde maus tratos físicos até a omissão do cuidado que seria necessário para que a criança tenha um desenvolvimento saudável, explica Alexandra Lima, assistente social do ISD.

O cenário de crescimento do índice segue uma tendência nacional de aumento dos casos de violações. No Brasil, o panorama foi de um crescimento de 125% em relação ao primeiro semestre do ano anterior.

Segundo especialistas, esse cenário tem sido reforçado pelo contexto da vulnerabilidade socioeconômica crescente no Brasil desde o começo da pandemia da covid-19.

Os casos de denúncias e violações registradas contra esse grupo, atualmente maiores que os índices para adolescentes e idosos, surgem em um contexto mais amplo, que ultrapassa a violência em si.

Canais e contatos de atendimento e denúncias:

Para denúncias anônimas, disque 100
Delegacia Especializada na Defesa da Criança e Adolescente do RN: (84) 3232-6184
Conselho Tutelar Natal Zona Norte: (84) 3232-7789
Conselho Tutelar Natal Zona Sul: (84) 3232-8458
Conselho Tutelar Parnamirim: (84) 3644-8326
Conselho Municipal dos Direitos Criança Adolescente – Natal: (84) 3223-3333
Conselho Municipal dos Direitos Criança Adolescente – Parnamirim: (84) 3644-8327

Em uma semana de campanha eleitoral, TRE-RN recebe 33 denúncias de propaganda irregular

Em uma semana, desde o início da campanha eleitoral nas ruas e na internet em todo o país, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte recebeu 33 denúncias relacionadas irregularidades em propagandas de candidatos.

Os dados são do aplicativo Pardal, da Justiça Eleitoral, usado para registro das ocorrências relacionadas aos pleitos eleitorais. Segundo o TRE-RN as denúncias foram registradas entre 16 de agosto e esta terça-feira (23).

A maior parte das denúncias foram em Natal. Somente a capital potiguar teve 26 ocorrências.

Ainda de acordo com os dados da Justiça Eleitoral, a cidade de Mossoró teve quatro denúncias no período. As outras cidades são Parnamirim, Nova Cruz e Baraúna, com uma denúncia cada.

As estatísticas, no entanto, não apontam quais são os principais tipos de irregularidades informadas até o momento. No acesso público ao sistema, somente os denunciantes têm acesso ao andamento de cada registro por meio do número de protocolo.

Fiscalização encontra adesivos irregulares em Natal

Segundo o TRE-RN, a equipe de fiscalização da propaganda eleitoral de Natal, formada por servidores da 3ª Zona Eleitoral, com o apoio da Polícia Militar, registrou 22 ocorrências no último fim de semana. Entre elas, 10 irregularidades eram referentes à adesivagem de veículos.

Os candidatos aos quais os adesivos irregulares se referem são notificados pela equipe e recebem um prazo de 48 horas para regularização dos materiais. Segundo o TRE, caso não seja atendido, a ocorrência é encaminhada ao Ministério Público para ser protocolada representação.

Ainda de acordo com o TRE, os adesivos de propaganda eleitoral são de responsabilidade do partido político, federação, coligação ou candidato e independem de obtenção de licença municipal e de autorização da Justiça Eleitoral.

Como denunciar

As denúncias de irregularidades podem ser feitas pelo aplicativo Pardal, que é gratuito e pode ser encontrado nas lojas virtuais Apple Store e Google Play e em formulário web nos Portais da Justiça Eleitoral.

Na plataforma, é possível anexar imagens e vídeos e noticiar diversos tipos de infrações eleitorais, como compra de votos, uso da máquina pública, crimes eleitorais, doações e gastos eleitorais e também problemas no ato de votar. A denúncia não pode ser anônima.

Em uma semana de campanha eleitoral, TRE-RN recebe 33 denúncias de propaganda irregular

Tribunal Regional Eleitoral RN Rio Grande o Norte TRE — Foto: Divulgação

Em uma semana, desde o início da campanha eleitoral nas ruas e na internet em todo o país, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte recebeu 33 denúncias relacionadas irregularidades em propagandas de candidatos.

Os dados são do aplicativo Pardal, da Justiça Eleitoral, usado para registro das ocorrências relacionadas aos pleitos eleitorais. Segundo o TRE-RN as denúncias foram registradas entre 16 de agosto e esta terça-feira (23).

A maior parte das denúncias foram em Natal. Somente a capital potiguar teve 26 ocorrências.

Ainda de acordo com os dados da Justiça Eleitoral, a cidade de Mossoró teve quatro denúncias no período. As outras cidades são ParnamirimNova Cruz e Baraúna, com uma denúncia cada.

As estatísticas, no entanto, não apontam quais são os principais tipos de irregularidades informadas até o momento. No acesso público ao sistema, somente os denunciantes têm acesso ao andamento de cada registro por meio do número de protocolo.

Leia maisEm uma semana de campanha eleitoral, TRE-RN recebe 33 denúncias de propaganda irregular

Lula contrata advogados por R$ 2,4 milhões em início de campanha

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) declarou a despesa de R$ 2,4 milhões em escritórios de advocacia durante a campanha deste ano. Os escritórios Aragão & Ferraro Advogados e Zanin Martins Advogados vão receber R$ 1,2 milhão cada, mostram dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) consultados pelo Metrópoles nessa segunda-feira (22).

O recurso ainda não foi pago. Trata-se, por ora, de despesa contratada.

No primeiro turno, os candidatos à Presidência da República poderão gastar até R$ 88.944.030,80, informou o TSE. No segundo turno, haverá um acréscimo de R$ 44.472.015,40.

Além dos advogados, Lula vai desembolsar R$ 600 mil para o escritório de contabilidade M. M. M. Serviços Contáveis LTDA.

Os advogados Cristiano Zanin Martins e Eugênio Aragão, que também foi ministro da Justiça no governo de Dilma Rousseff (PT), não se manifestaram. A assessoria do petista também foi demandada para esclarecer como foi definido o valor de R$ 1,2 milhão.

Zanin cuida de ações que envolvem Lula diretamente. Já Aragão se remete a processos referentes à campanha. Os dois, contudo, também assinam peças juntos.

Com informações do Metrópoles

Ação da PF e suspeita de vazamento abrem crise entre Moraes e Aras

Operação deflagrada ontem contra empresários bolsonaristas, a pedido da Polícia Federal e por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal e presidente do Tribunal Superior Eleitoral, abriu uma crise com a Procuradoria-Geral da República. O ministro autorizou buscas e apreensões após trocas de mensagens entre empresários em um grupo de WhatsApp, com ameaças de golpe de Estado se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vencer a eleição. Celulares foram submetidos à análise.

Diálogos entre o procurador-geral Augusto Aras e investigados foram encontrados, de acordo com o site Jota. Após a divulgação da notícia, Aras disse a pessoas próximas estar tranquilo porque conversas mantidas com o empresário Meyer Joseph Nigri (Tecnisa), um dos investigados, foram triviais. Trataram de livros, obras de arte e vinhos.

O procurador-geral da República destacou ontem que não saberia nem mesmo precisar quando esses diálogos ocorreram e foram esporádicos.

Os mandados foram cumpridos após a coluna Guilherme Amado, do site Metrópoles, divulgar diálogos do grupo “Empresários & Política”, nos quais eles dizem, por exemplo, que preferem um golpe à volta do PT ao poder. Há, ainda, críticas ao Supremo. Augusto Aras afirmou que soube da operação ontem pela manhã. Moraes, por sua vez, contestou a informação e disse que a PGR foi intimada no dia anterior.

Leia maisAção da PF e suspeita de vazamento abrem crise entre Moraes e Aras

Plano de saúde deve fornecer medicamento original para o tratamento de paciente com Leucemia

O plano de saúde de uma paciente que sofre de Leucemia foi condenado a fornecer, de forma imediata e integral, cobertura ao seu tratamento, por meio do medicamento GLIVEC® 400mg, uso oral, da marca Novartis, de forma mensal, nos exatos termos da prescrição médica, realizando-se a continuidade do tratamento nos moldes realizados junto à clínica médica que a acompanha, até sua convalescença definitiva. A sentença é da 7ª Vara Cível de Natal.

A paciente ajuizou demanda judicial contra o seu plano de saúde alegando ser usuária dele, com o qual se encontra adimplente, tendo sido diagnosticada em 2014 com Leucemia Mielóide Crônica (Cromossomo Philadelphia Positivo), para o que lhe foi prescrito o medicamento GLIVEC 400mg, autorizado e liberado pelo seu plano.

Ela alega ter sido surpreendida, em outubro de 2020, com a informação passada por uma clínica especializada em oncologia de que a operadora de saúde não autorizou o medicamento, mas apenas o genérico (Mesilato de Imatinibe), denunciando a ilegalidade da substituição da medicação que não foi autorizada pelo médico que a assiste, razão pela qual pediu a concessão de tutela provisória de urgência, com a finalidade de obrigar o plano a conferir imediata e integral cobertura ao tratamento.

Tal tratamento deve ser por meio do remédio citado, de forma mensal, nos exatos termos da prescrição médica, realizando-se a continuidade do tratamento nos moldes realizados até outubro de 2020, junto à clínica médica que já a acompanha, até sua convalescença definitiva, sob pena de multa diária.

Leia maisPlano de saúde deve fornecer medicamento original para o tratamento de paciente com Leucemia

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: