fbpx

Prefeito do Alto do Rodrigues e aliado do deputado George Soares segue a risca ensinamentos do “coronelismo”

O prefeito do Alto do Rodrigues, Nixon Baracho, que sempre foi conhecido como “mandão” entre os amigos, e agora ganha mais fama ainda, se tornando o “major”, pois o título de coroné do Vale já é de seu aliado George Soares.

O major do Alto do Rodrigues, ganhou evidência depois que um ex-aliado e ex-vereador, André Magela, resolveu publicar nas suas redes sociais a perseguição do prefeito Nixon.

Em nota, o ex-vereador Andre informou:” o atual prefeito do Alto do Rodrigues resolveu me perseguir com ameaças de demissões de familiares concursado e outras pessoa que foram seus eleitores, simplesmente por eu não votar em seus candidatos a deputado estadual, como também, após divergências políticas e administrativas nas quais não concordo com muita coisa errada que vem acontecendo na gestão”, concluiu André, e depois afirmou que não faz mais parte do grupo político do prefeito.

Uma das coisas que mais chama atenção, que a perseguição começou depois que André manifestou apoio público ao candidato a deputado estadual Adjuto Dias, e se tem uma coisa que o coroné e o major não aceita, são aqueles que não seguem suas orientações devem ser perseguidos até se curvarem diante da sua ordem.

Saúde e desfile da Independência são temas no horário das lideranças na ALRN

O deputado Michael Diniz (SDD) como primeiro orador no horário destinado aos líderes, na sessão plenária da Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (6), fez um pronunciamento em defesa dos profissionais de saúde e criticou a decisão do Ministro Barroso, do Supremo Tribunal Federal que prejudicou a categoria dos enfermeiros.

“Não poderia deixar de falar na situação da nossa equipe de Saúde, não só no Rio Grande do Norte, mas de todo o País com a decisão do Ministro Barroso. Quando assumi essa carreira fiz uma visita a um dos hospitais do Estado e de UPAS e sinto na pele tudo aquilo que os profissionais de saúde passam. Cheguei a estagiar um ano mais ou menos nas Upas, senti a realidade e vi como é difícil. Muitas vezes chegam pessoas em busca de socorro e faltam medicamentos. Quando fui visitar o hospital Deoclécio Marques, em Parnamirim, tinha um rapaz que havia quebrado uma perna há quatro dias e o único remédio que havia sido administrado nele para dor, era dipirona”, disse o deputado.

Segundo ele, as equipes médicas trabalham nessas unidades ou em hospitais de forma extremamente sobrecarregadas, num estresse imenso por causa da falta a de medicamentos e que muitas vezes faltam seringas, agulhas, soros, coisas básicas. Ainda de acordo com o seu pronunciamento as vezes também falta insulina. “É uma piada o STF não reconhecer o trabalho árduo das equipes médicas”, concluiu Michael.

Já o deputado Coronel Azevedo (PL), que também falou no horário, destacou o desfile cívico pelo 7 de setembro que vai ser realizado amanhã pela manhã em comemoração aos 200 anos da independência do Brasil e convidou para um ato cívico que ocorrerá a partir das 14h na praça Cívica.

“Vai ser um ato patriótico. Haverá manifestações em defesa da liberdade, reunindo família do Agreste ao Sertão. Haverá carreatas partindo de vários municípios para Natal para participação nesse ato que será encerrado às 17 horas com uma motociata”, afirmou o deputado Azevedo.

CCJ aprova matéria que dispõe sobre pagamento de percentuais do antigo Fundef

Em reunião realizada esta manhã, a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) da Assembleia Legislativa aprovou o Projeto de Lei 207/2022, de iniciativa do Governo do Estado, que dispõe sobre os percentuais e os critérios para a divisão do rateio dos recursos extraordinários recebidos pelo Rio Grande do Norte em decorrência de decisões judiciais relativas ao cálculo do valor anual por aluno para a distribuição dos recursos de que trata o artigo 47-A da Lei Federal nº 14.113 de 25 de dezembro de 2020.

“Vários municípios entraram com ações para solicitar diferenças dos percentuais dos repasses do antigo Fundef de 60% para os professores e 40% para o Estado utilizar em melhorias para a Educação. Esses recursos serão pagos aos professores ativos e inativos, de acordo com o cálculo de cada um a ser beneficiado. Esse projeto conta com a anuência do Sindicato dos Trabalhadores em Educação”, disse o deputado Francisco do PT, ao apresentar o seu relatório que foi aprovado por unanimidade.

O relator disse ao final que ia solicitar na reunião do Colégio de Líderes que a matéria seja liberada da tramitação em outras Comissões e siga direto ao Plenário da Assembleia Legislativa para a votação terminativa.

Participaram da reunião os deputados George Soares (PV) – presidente da CCJ, subtenente Eliabe (SDD) e Souza (PSB). As demais matérias que inicialmente constavam na pauta foram transferidas para a próxima reunião.

Nelter Queiroz cumpre agenda nas regiões Vale do Açu, Médio Oeste, Seridó e Central

Neste final de semana o deputado estadual Nelter Queiroz (PSDB) cumpriu agenda em diversos municípios do Rio Grande do Norte ao lado de apoiadores. Seus compromissos de campanha tiveram início na última sexta-feira (2), em Assú e foram encerrados neste domingo (4), em Fernando Pedroza.

Ao lado do candidato a vice-governador, Ivan Júnior (União Brasil), de sua candidata a deputada federal no Vale do Assú, Dra Vanessa Lopes (União Brasil), dos vereadores Paulinho de Marlene e Lucianny Guerra, dos ex-vereadores Everaldo Marques e Matheus do Frutilândia, e do suplente Dackson, repetindo agenda da sexta, Nelter Queiroz voltou a caminhar pelas ruas de Assú, no sábado (3).

Em seguida, o deputado foi à zona rural do município de Triunfo Potiguar, onde prestigiou confraternização em comemoração à saúde do ex-vereador Bazinho. Lá, o parlamentar se reencontrou com a prefeita Darkinha, com os vereadores Dandão e Agenor, com o ex-prefeito Gildenor e com o ex-vereador Chico de Afonso. Ainda no sábado, Nelter Queiroz foi a Itajá, onde participou de carreata e comício relâmpago ao lado da ex-vereadora Socorro e dos irmãos Licélio e Lutércio Guimarães, ex-prefeitos do município.

A agenda do deputado, no sábado, foi encerrada em Paraú, na ocasião do aniversário de Zé de Rogério. Lá, Nelter Queiroz esteve acompanhado do ex-prefeito Antônio de Narciso, do vice-prefeito Dr Márcio, das vereadoras Neguinha e Ana Neres, dentre outras lideranças.

Já no domingo (4), o deputado iniciou sua agenda por Jucurutu, onde prestigiou a cavalgada de São Miguel Arcanjo, co-padroeiro de sua terra natal. Em seguida, Nelter Queiroz foi a Santana do Matos, onde visitou amigos das comunidades Barão de Serra Branca, Caiçara, Varzinha e Santa Tereza. Lá, o deputado esteve acompanhado da ex-prefeita Lardjane Ciriaco, de Romeu Cunha, dos vereadores Dedé de Basiaca e Thomezinho, dos ex-vereadores Chico de Miguel e Paulo Bezerra, e do suplente Leonaldo Assunção, dentre outras lideranças.

Após três dias de intensa agenda, Nelter Queiroz encerrou suas andanças, neste domingo, no município de Fernando Pedroza. Lá, o deputado esteve acompanhado do ex-prefeito de Paraú, Antônio de Narciso, onde visitou a família do comerciante Guy, natural de Paraú. “É muito gratificante andar por vários municípios, ser bem recebido, poder prestar contas de nosso mandato e apresentar nossas propostas à população. Isso é prova de que estamos no caminho certo, de que nosso mandato é bem avaliado e de que chegaremos a nossa nona vitória como deputado estadual”, concluiu.

MPRN entregará Agenda Propositiva aos candidatos ao Governo do Estado

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) entregará uma Agenda Propositiva aos candidatos ao Governo do Estado nas eleições deste ano. O documento contempla propostas para a administração estadual nos próximos quatro anos, sugerindo a adoção de medidas que culminem em soluções estruturais e definitivas para problemas de relevância social enfrentados em terras potiguares. A solenidade de entrega será às 10h da sexta-feira (9), na sede da Procuradoria Geral de Justiça (PGJ), em Natal.

“Historicamente e de maneira proativa, o Ministério Público do Rio Grande do Norte sempre está aberto para dialogar com outras instituições. Esperamos que as propostas sugeridas integrem o plano de ação de sua gestão, tendo a certeza de contar com esta Instituição para a concretização das iniciativas apontadas”, disse a procuradora geral de Justiça do RN, Elaine Cardoso de Matos Novais Teixeira.

As sugestões apresentadas têm relação com as áreas de atuação do Ministério Público. As medidas estratégicas e prioritárias nele contidas são apontadas com vistas à promoção e defesa da Infância e Juventude, Pessoa om Deficiência e Idoso, Inclusão, Saúde, Segurança Pública, Patrimônio Público, Cidadania e Meio Ambiente.

Os nove candidatos ao Governo do Estado foram convidados para o evento nesta semana. A imprensa terá livre acesso para cobertura da solenidade, que terá transmissão ao vivo pelas redes sociais do MPRN.

Candidatos defendem medidas para estimular investimentos

No debate promovido pelo Sistema Tribuna de Comunicação, os candidatos responderam perguntas de entidades dos setores produtivos convidadas: Federação do Comércio do Rio Grande do Norte (Fecomércio), Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscom), Associação Brasileira da Indústria dos Hotéis (ABIH) e segmento das energias renováveis.

Clorisa Linhares respondeu como iria viabilizar mais investimentos na educação, saúde e segurança e obras estruturantes, visto que 95% das receitas vão para o custeio da máquina pública, incluindo o pagamento de salários e repasses a poderes autônomos.

“Tive a oportunidade de trabalhar com recuperação de empresas. O que eu mais encontrei nesse período foram problemas ligados a desvio de dinheiro e falta de capacidade de gerenciamento”, disse Clorisa Linhares, que continuou: “A gente percebe que existe falta de transparência e, infelizmente, valores que deveriam estar sendo investido em segurança, saúde, educação também sofrem esses problemas. Então a gente vai auditar como já foi dito, abrir processos com aquelas pessoas que não tem transparência, revisar licitações, que hoje fazem com que um projeto seja duas, três vezes mais caro que seja se tiver sido realizado pela iniciativa privada”.

Styvenson Valentim disse que vai “redimensionar, otimizar, e racionalizar a administração pública”, reduzindo a 14 secretarias com a Casa Civil e uma PGE que “trabalhe para unificar as legislações para não ter dúvida sobre essa legalidade jurídica que causa instabilidade de investimentos”.

Para Valentim, essa é uma “mudança que nem todo candidato pode fazer, porque a maioria está acoplada com muitos políticos, que já vão pedir seus cargos, e vamos criar uma secretaria de compliance para outro problema, que se chama outras despesas e leva 19% do orçamento”.

“Vamos combater a corrupção desses contratos, que o governo ausente não veio aqui e deveria estar explicando os custos que isso tem para sociedade”, acrescentou.

Outra pergunta das entidades foi sobre a solução para a falta de segurança jurídica na questão de licenças ambientais, que afasta investidores. Styvenson Valentim disse que “essa pergunta que deveria responder era a governadora, que passou quatro anos e continua a reclamação do setor produtivo, Idema, Ibama, Corpo de Bombeiros, para o cidadão que procura o serviço público e talvez não tenha percebido, aquela fila, o cansaço que lhe dão, justamente para vender depois a facilidade”.

Para Valentim, falta a gestão pública “o mínimo de tecnologia para diminuir esse contato direto daquele servidor, nem todos são bandidos ou corruptos, mas uma boa parte sabe tirar vantagem de quem está precisando”.

O senador aproveitou para atacar o candidato Fábio Dantas, que mesmo “levando à pecha, às vezes injusta”, quando foi vice-governador, tinha sido apoiado pelo PT, “mas tudo que está acontecendo aqui, eu cheguei agora”.

Fábio Dantas comentou que vai automatizar em pelo menos 70% as licenças ambientais, com o software liberar de forma objetiva e e contar as leis estadual, federal e municipal para destravar a geração de emprego e renda. “Vou topar a parada para enfrentar os órgãos de controle e dar uma diretriz com o marco geral da geração de emprego dar governabilidade e regra clara para funcionamento do empreendedorismo”.

A respeito das insinuações políticas do senador, Dantas disse que “sou uma pessoa que teve sempre a independência muito clara nas minhas decisões. E eu sempre tive uma postura de defender sempre estando a mesma coerência no governo ou contra o governo”.

Fábio Dantas também respondeu perguntas sobre turismo: “Vamos fazer o que a governadora fujona não fez, construir estradas, que é muito necessário e importante para o turismo religioso, o turismo de eventos, das serras e da região praiana, nós somos um estado de 450 km de praia e aqui nós o que tivemos foi na pandemia, uma governadora que se escondeu na Redinha”, apontou Dantas.

Danniel Morais comentou que vai criar novos produtos turísticos, como centros de apoio a pequenos empreendedores, “que muitas vezes carecem de qualificação de mão de obra que carece de condição de de condição de investimento e de preparação dessa mão de obra e é nessa condição que nós acreditamos que o turismo no Rio Grande do Norte pode crescer, não só com os grandes hotéis”.

Na sequência, Morais abordou a questão das licenças na área das energia renovável: “hoje existe uma exploração de energias renováveis no nosso estado sem ter um marco regulatório. É por isso que existe tanta distorção entre o que se coloca em órgão e o que se coloca em outro, nós defendemos que seja feito um marco regulatório sobre a exploração das energias renováveis e as transições energéticas no nosso estado”.

Candidatos respondem sobre gestão

Um dos blocos do debate foi de respostas dos candidatos a perguntas de jornalistas do Sistema Tribuna de Comunicação sobre temas relacionados com desenvolvimento e gestão. Por sorteio, inicialmente, a candidata Clorisa Linhares (PMB) foi indagada a respeito de sua proposta para reverter a queda de investimentos em infraestrutura no Rio Grande do Norte, mas antes de responder, ela disse que o Estado “nunca foi governado por uma pessoa que tem a competência e que tem experiência com gestão. seja pública ou privada”.

Em seguida declarou que, em primeiro lugar, é preciso “diminuir os custos e melhorar as receitas”, pois a Lei Orçamentária Anual (LOA) em vigor já previa cerca de R$ 15,95 bilhões de receita e uma despesa de R$ 16,1 bilhões.

A segunda pergunta foi feita ao candidato Danniel Morais (PSOL). “Muitos dizem que o Estado precisa ter novos parceiros e ter novos investimentos. Nós concordamos com isso, mas o Rio Grande do Norte antes de qualquer coisa, precisa ter as suas garantias, precisa que essas concessões que são feitas sejam cumpridas e na grande maioria delas o Estado sai perdendo nessa relação” , afirmou o candidato do PSOL.

Fábio Dantas comentou que no seu governo o Rio Grande do Norte “terá a melhor abertura econômica do país, no primeiro mês mandarei à Assembleia Legislativa uma medida para que juntemos todas as legislações, fazer a lei de liberdade econômica que vai ser o marco do desenvolvimento da geração de emprego e renda do estado, com concessões de serviços públicos na agricultura para beneficiarmos e criarmos corredores para perímetros irrigados, concessões de bens públicos como o Centro de Convenções, Forte do Reis Magos e Cajueiro de Pirangi”.

Styvenson Valentim respondeu sobre os planos dele para o turismo, que no Rio Grande do Norte vem perdendo visitantes para estados vizinhos. “Nenhum investidor vem para esse estado com a insegurança que aqui existe”, disse o senador, aproveitando a pergunta feita anteriormente, porque “quem tem competência de gerar emprego é iniciativa privada, que vai concessões”. Ele disse que “nenhum empreendedor, nenhum empresário procura o nosso estado e procura os vizinhos pela facilidade que existe na degradação do meio ambiente, nem pelos incentivos fiscais que é dado, é pela legislação que não deixa a desejar”.

Segundo Valentim, “não são as instituições como Idema e Corpo de Bombeiro, como qualquer outros que dão um licenciamento que impede isso, que dificulta esse trabalho do empreendedorismo”.

Em detrimento de um de um acordo público privado que possa construir para o povo e para a população daquele mesmo valor estruturas muito mais modernas como hospitais novos não é apenas dar o patrimônio público para essa concessão é cobrada a iniciativa privada é uma devolução.

Fábio Dantas respondeu sobre a problemática das despesas com pessoal, que consome mais de 60% das receitas e enxugamento da máquina pública. “O Rio Grande do Norte não tem gestão pública em nenhuma das áreas, vivemos aqui um desgoverno nos últimos quatro anos e nas últimas décadas especialmente porque não priorizaram a profissionalização do RH, hoje a Secretaria de Administração cuida tanto de processos de compras como do processo de lidar com os servidores públicos”, disse ele, que promete “tornar a máquina pública algo eficiente, colocando a a tecnologia na gestão pública e fazendo as reformas que são necessárias”.

Para Dantas, a efetividade do serviço público “não é só encher a máquina pública de pessoas mas colocar as pessoas nos nos lugares corretos pra fazer a gestão pública funcionar e a máquina andar pra servir ao cidadão servidor público significa servir ao nosso povo”.

Segundo Fábio Dantas, a máquina pública do Rio Grande do Norte “não é só inchada, é desproporcional com o cidadão, é desproporcional com os servidores, especialmente não trata bem todos eles”.

No segundo ano de governo, diz Fábio Dantas, que “vai estabelecer o reajuste linear a todos os servidores e pagar o atrasado dos servidores públicos que a governadora nunca pagou, que é a diferença de quem recebeu em 2018”.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: