fbpx

PRB, Podemos e DEM articulam aliança para isolar tucanos e PMDB

Enquanto PMDB e PSDB conversam, PRB, Podemos e DEM também negociam a construção de uma aliança para outubro. Nas últimas semanas, as articulações se intensificaram, com a participação mais ativa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), pré-candidato ao Planalto. Ele passou a discutir a possibilidade de união, que já estava mais avançada entre os pré-candidatos das outras duas legendas: o empresário Flávio Rocha (PRB) e o senador Álvaro Dias (Podemos).

Uma fonte de uma das legendas disse ao GLOBO que o acordo ainda é preliminar, mas que uma condição já está estabelecida: a cabeça de chapa ficaria com o pré-candidato mais bem colocado nas pesquisas em julho, mês das convenções partidárias.

Segundo essa fonte, os dirigentes dessas legendas partilham da avaliação de que uma super aliança com todos os partidos de centro será mal vista pelos eleitores e, por isso, PMDB e PSDB devem ficar fora desse acordo. O Podemos é o que mais resiste a ampliar essa aliança e é também o partido que tem o pré-candidato melhor colocado nas pesquisas realizadas até agora.

— O PSDB é o sustentáculo do sistema que eu estou contestando — disse Álvaro Dias, ontem, na sabatina da Folha de S. Paulo, Uol e SBT, rejeitando a possibilidade de aliança com tucanos.

Nas contas dos três partidos, uma candidatura única teria pouco mais de 1 minuto e 30 segundos de tempo de TV, que poderia crescer se agregasse apoio de outros partidos de centro como PR ou PP.

Questionado sobre a articulação, Rodrigo Maia despistou:

— Apenas almocei com (a deputada) Renata (Abreu, presidente do Podemos) e Álvaro sem nenhum objetivo de construir nenhuma unidade. Apenas troca de ideias. Cada um (está) vazando o que interessa e ninguém (está) falando a verdade — afirmou Maia.

Dias, porém, disse que os partidos estão conversando e que ele têm se mantido um pouco distante para evitar suspeições, já que ele quer manter sua candidatura.

— A presidente Renata é que tem feito essas conversas. Eu não serei obstáculo desse debate para a convergência. Para mim é importante para que haja acordo e a aceitação da tese de refundação da República, que exige reformas de Estado — argumentou o senador.

Flávio Rocha e Álvaro Dias, porém, já frequentam eventos juntos. No domingo, num evento do Podemos na Assembleia Legislativa de São Paulo, o pré-candidato do PRB foi recebido e discursou como se fosse companheiro de chapa do senador paranaense. Os dois também visitaram juntos, ontem, a Apas Show, feira da Associação Paulista de Supermercados.

JEFERSON RIBEIRO – O Globo

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: