fbpx

Programa Água Doce no RN realiza encontro com beneficiários

O trabalho realizado pela Semarh é reconhecido nacionalmente pelo Ministério do Meio Ambiente e considerado referência para os outros nove estados que também fazem parte do convênio.

Um sistema de dessalinização mudou a rotina de 40 famílias na comunidade do Cabeço, no município de Jandaíra, na região do Mato Grande, no Rio Grande do Norte. O produtor de mel, Rogério Alves, é o operador do sistema que foi instalado pelo programa Água Doce (PAD), executado pela Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do RN (Semarh). “Antes a gente tomava água direto da cisterna, sem tratamento, mas depois do programa Água Doce, há dois anos temos água potável para beber e cozinhar”, contou o meliponicultor.

A comunidade de Rogério faz parte dos 38 municípios potiguares beneficiados com 68 sistemas implantados na primeira etapa do PAD. O programa garante a dessalinização de águas para consumo humano, promovendo a autonomia e o uso consciente do recurso natural.

Para discutir o andamento do projeto, o Governo do RN por meio da Semarh, iniciou nesta terça-feira (08) o Encontro Estadual do programa Água Doce, com a participação de representantes de comunidades beneficiadas, prefeitos e secretários municipais de saúde e educação. A programação que acontece na Escola de Governo, no Centro Administrativo, em Natal, segue até amanhã com palestras, oficinas e cursos. Serão abordados temas como a operação dos sistemas, cuidados com a água dessalinizada e meio ambiente, gestão compartilhada e troca de experiências entre os gestores. 

O secretário da Semarh, Mairton França, explicou que o encontro é uma forma de prestar contas do que foi realizado e conversar com os beneficiários sobre o andamento do PAD nas comunidades. “A água ofertada pelo programa é de excelente qualidade, o que garante a diminuição de indicadores de doenças e a melhoria nas condições de saúde. Além disso, trazer a comunidade para fazer parte dessa gestão também incentiva um empoderamento social para esses grupos”, destacou o titular dos Recursos Hídricos.

Mairton ainda completou que o diferencial do programa é o acompanhamento constante por meio da coordenação nacional, “garantindo a eficácia dos sistemas e que todas as metas sejam atingidas, melhorando a condição de vida principalmente de pessoas que moram em comunidades rurais e que mais sofrem com períodos prolongados de seca”.

O trabalho realizado pela Semarh é reconhecido nacionalmente pelo Ministério do Meio Ambiente e considerado referência para os outros nove estados que também fazem parte do convênio. “O Rio Grande do Norte se destacou desde o início do programa porque a Semarh, ao implantar os sistemas de dessalinização, já tinha uma preocupação ambiental e locais adequados para destinar os efluentes. É uma tecnologia que vem sendo implantada em todo mundo, mas precisa ter cuidados técnicos, sociais e ambientais, como é realizado aqui no Estado”, ressaltou o coordenador Nacional do programa Água Doce, Renato Saraiva.

O representante do Governo Federal também afirmou que “os estados que concluem a primeira etapa e vem fazendo uma boa gestão, o Ministério do Meio Ambiente vem apoiando a continuidade, e em breve, 35 novos sistemas serão implantados no Rio Grande do Norte”, concluiu Saraiva.

PROGRAMA ÁGUA DOCE NO RN

O PAD é resultado de um convênio firmado pelo Governo do Estado com o Ministério do Meio Ambiente, através da Semarh, no valor de R$ 23,1 milhões. A meta é implantar, recuperar e gerir 103 sistemas de dessalinização em comunidades rurais. Com a entrega dos 68 sistemas, o Governo do Estado finaliza a primeira etapa do convênio beneficiando 15 mil pessoas em 38 municípios em todas as regiões do Estado.

Além de ser referência pela preocupação ambiental o RN é responsável pelo único sistema de dessalinização dentro do programa que adotou tecnologia de energia solar, localizado no município de João Câmara.

Na segunda etapa do Programa, serão instalados mais 35 sistemas de dessalinização, revitalização da unidade demonstrativa de Caatinga Grande, implantação de duas unidades demonstrativas e mais dois sistemas de dessalinização movidos a energia solar. No total, o PAD vai beneficiar em torno de 30 mil pessoas no RN.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: