A agonia do potiguar que precisa da saúde na gestão massacrante de Fátima Bezerra


O cidadão que tem direito garantido na constituição de ter acesso a saúde pública, e vê na gestão irresponsável da professora e petista, Fátima Bezerra, um total despreparo e falta de humanidade para com as pessoas que precisam de exames ou cirurgias.

Ninguém queira estar na pele, do pai ou mãe de família, que precisa passar por humilhações diárias, pra correr atras de autorizações pra um exame ou cirurgia para seu filho ou filha. Ou Até mesmo um filho que está batalhando nos corredores dos hospitais, pra uma vaga pra seu pai ou mãe, ou irmão.

O cenário triste e doloroso da saúde pública do estado do Rio Grande do Norte, é angustiante e os órgãos competentes precisam abrir seus ouvidos e dar vozes a essas pessoas que estão no anonimato, mas que sofrem com essa falta de responsabilidade e comprmisso de Fátima com o potiguar.

A população precisa entender que isso não é favor, é obrigação! E quando não é cumprido, ele pode entrar na justiça pra ter seu direito garantido por força de lei, pois se a governadora tem dinheiro pra pagar cargos comissionados para calar o líder do governo, e viajar pro exterior pra “divulgar” o estado, então tem dinheiro sim, pra pagar exames e cirurgias que sua gestão nega a população, com a maior cara de pau.

O problema do estado não são seus governantes, o problema está na população, que precisa entender que tem em suas mãos, uma arma forte, que é o voto, e através dele, colocamos os políticos no poder, e podemos permitir que os bons políticos fiquem, e que os maus não tenham mais chance de chegar ao poder de novo.

Tudo se resume a como você permite ser tratado. Se responder a maldade e a irresponsabilidade de uma gestão com firmeza, verá que mudarão de atitude, mas se ficarmos calados, o estado afunda, e com ele, todos nós.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: