Após chamar PMs de Fortaleza de ‘vagabundos’, soldado da Marinha é afastado de operação e enviado de volta a Natal

Em um vídeo feito no seu próprio celular, um soldado do Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal que participava da Operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), em Fortaleza, chamou os policiais militares cearenses, amotinados desde a semana passada, de “vagabundos”. Após o vídeo circular na internet, ele acabou sendo afastado da operação e enviado de volta ao Rio Grande do Norte, onde deverá responder pela declaração.

“E ai, pessoal! Estamos aqui, oh, em Fortaleza, fazendo aquela patrulha na cidade, já que os vagabundos dos PM não quer, nós tá aqui (sic)”, afirma o militar filmando a si mesmo e a dois colegas em cima de um caminhão que circula pelas ruas da capital cearense.

Em nota, a Marinha do Brasil afirmou que tomou conhecimento do vídeo com as “declarações reprováveis” na terça-feira (25) e considerou que elas não representarem o posicionamento da Força.

Ainda de acordo com o Comando do 3º Distrito Naval de Natal, o militar foi afastado da tarefa e enviado de volta ao Corpo de Fuzileiros Navais de Natal, “onde serão iniciados procedimentos administrativos cabíveis”.

“As sólidas relações entre a MB e a Polícia Militar do Estado do Ceará, que incluem seus componentes, permitem às instituições enfrentarem o momento atual de forma respeitosa, cordial e colaborativa, como foram os últimos 150 anos de convivência no Estado do Ceará”, afirmou a corporação em nota.

Após a repercussão negativa, em outro vídeo postado nas ruas redes sociais, o militar afirmou que está arrependido da declaração e pediu desculpas aos militares estaduais cearenses.

“Venho me retratar pelo último vídeo postado de forma desrespeitosamente (sic). Eu agi ali pelo impulso da emoção e acabei falando besteira. Estou arrependido das minhas palavras, eu reconheço meu erro”, declarou.

Motins

O Ceará chegou nesta quarta-feira (26) ao 9º dia seguido de paralisação de parte da Polícia Militar com três batalhões ainda fechados. Para tentar encerrar o motim dos PMs, os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário do Ceará decidiram criar uma comissão conjunta formada por representantes das três instâncias.

Representantes dos PMs devem ser procurados nesta quarta para apresentar as demandas da categoria em busca de um acordo. A comissão será coordenada pelo Ministério Público do Ceará e será acompanhada pelo Exército Brasileiro.

O motim começou na terça-feira (18), quando homens encapuzados que se identificam como agentes de segurança do Ceará invadiram e ocuparam quarteis, depredando veículos da polícia. Policiais militares reivindicam aumento salarial acima do proposto pelo governador Camilo Santana.

Tropas do Exército e outras forças começaram a atuar no dia 21 de fevereiro no patrulhamento de Fortaleza. Inicialmente, pelo menos 200 militares sediados no Rio Grande do Norte foram enviados para o Ceará.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: