fbpx

Em denúncia feita ao Sindsaúde/RN, servidores do Hospital de Assú pedem socorro

O Sindsaúde/RN recebeu mais uma denúncia anônima de servidores da saúde do Hospital Regional DR. Nelson Inácio dos Santos, na cidade de Assú/RN. A denúncia é direcionada a direção da unidade, em especial ao diretor Alberto Luiz de Lima Trigueiro.

De acordo com a carta enviada ao Sindsaúde/RN, os trabalhadores do hospital Regional de Assú não aguentam mais a maneira autoritária, antiética e arrogante da administração do diretor Alberto Luiz. “A arrogância, ameaças e o assédio moral são símbolos da administração. Gerando instabilidade emocional e um clima péssimo dentro da própria unidade. Mensagens no whatsapp e ligações inoportunas, fora do horário de trabalho do servidor no local com ameaças, cobranças e extremos questionamentos se tornaram constantes. Atrapalhando e abalando os servidores públicos que muitas vezes estão de plantão em outras unidades, ajudando a salvar vidas”, diz trecho do conteúdo da denúncia.

No dia 27 de maio, o Sindsaúde/RN publicou a primeira denúncia feita pelos servidores do hospital Regional de Assú. Segundo relatos, mesmo com a denúncia feita pelo sindicato, o diretor intensificou o assédio e as perseguições aos servidores. No dia 11 de junho, diretores do Sindsaúde visitaram o hospital para averiguar as denúncias.  Durante a visita, o sindicato conversou com os servidores, mas o diretor da unidade não estava presente.

O Sindsaúde/RN não admite que nenhuma direção hospitalar assedie os trabalhadores. Estamos hoje no hospital de Assu pra dizer não ao assédio moral desses diretores que estão ausentes do hospital”, afirmou o  coordenador geral do Sindsaúde/RN, João Morais, durante a visita.

Confira a carta com a denúncia dos servidores:

“Nós, funcionários da unidade supracitada não aguentamos mais a maneira autoritária, antiética e arrogante da administração do senhor diretor Alberto Luiz de Lima Trigueiro a frente do Hospital Regional de Assú.

– A arrogância, ameaças e o assédio moral são símbolos da administração. Conduzindo a mão de ferro, sem dialogo, sem bom senso e com extrema cobrança em cima dos servidores. Chegando ao ponto de colocar cargos comissionados para “fiscalizar’’ e ‘’gerar fofocas’’ dentro da própria unidade. Gerando instabilidade emocional e um clima péssimo dentro da própria unidade.

– Mensagens no whatsapp e ligações inoportunas, fora do horário de trabalho do servidor no local com ameaças, cobranças e extremos questionamentos se tornaram constante. Atrapalhando e abalando os servidores público que muitas vezes estão de plantão em outras unidades, ajudando a salvar vidas.

– O senhor diretor Alberto Luiz de Lima Trigueiro, fala mal e critica seus próprios funcionários em corredores do Hospital Regional de Assú. Frases como ‘’Ele(a) é um péssimo funcionário’’ e ‘’Eu não gosto do trabalho dele(a)’’,  são ditas com frequência nos corredores para funcionários ouvirem, gerando mal estar, desgaste nas relações além do abalo mental do servidor já tão desgastado nesse período de pandemia. Servidores dos setores de Raio-X, Laboratório dentre outros são perseguidos frequentemente, já temem e ver as mensagens e as ligações em dias/horários inoportunos, sempre com palavras ameaçadoras e de extrema cobrança.

– O supracitado Diretor também fala abertamente nos corredores que as dezenas de denúncias que recebe ‘’Não dão em nada’’ e ‘’São apenas denúncias de cunho político’’, fechando os olhos para os problemas e deixando os funcionários ainda mais desmotivados, pois fica claro, que não haverá mudanças.

– Não aguentamos mais! Estamos cansados fisicamente e mentalmente de darmos nossas vidas diariamente, em vários hospitais, e ainda temos que no Hospital Regional DR. Nelson Inácio dos Santos, na cidade de Assú/Rio Grande do Norte, na pessoa do seu próprio Diretor aguentar tamanho desrespeito e tamanha cobrança.

– Falta profissionalismo, falta diálogo, falta de bom senso, falta de ética, falta de respeito, falta de padronização nas ações, falta organização, falta de carinho ao servidor, falta de humanização. O novo equipamento de Raio-X continua a meses dentro de caixotes nos corredores do hospital, nunca foi instalado. Setor de RH que não dá nenhum suporte ao servidor, com problemas e atrasos em pagamentos pois simplesmente não dão entrada no protocolo junto aos órgãos competentes, funcionários de cargo comissionado orientados a perseguidor e coagir funcionários do processo seletivo, comidas péssimas!

Chega! Queremos ser ao menos reconhecidos, ouvidos e respeitados! Pedimos ajuda, pedimos socorro!

Queremos mudanças no Hospital Regional DR. Nelson Inácio dos Santos!”

SindSaúde

Comissão de Saúde da ALRN dá andamento a PL sobre prevenção ao suicídio

A Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte se reuniu nesta quarta-feira (16) e deliberou sobre o Projeto de Lei nº 310/2020, de iniciativa do deputado estadual Vivaldo Costa (PSD), que dispõe sobre o Programa a Vida Fala Mais Alto, de prevenção e de combate ao suicídio, a ser implementado pelo Estado do Rio Grande do Norte, em cooperação com os municípios potiguares.
Apreciaram a matéria e aprovaram à unanimidade, no âmbito da Comissão de Saúde, os parlamentares Dr. Bernardo (MDB), Cristiane Dantas (SDD), Getúlio Rêgo (DEM) e Vivaldo Costa (PSD).

De acordo com o deputado Vivaldo Costa, propositor do PL, a iniciativa se inspira na Lei Federal nº 13.819, de 26 de abril de 2019, que instituiu a Política Nacional de Prevenção da Automutilação e do Suicídio, assim como no projeto A Vida Fala Mais Alto, implementado no município de São José do Seridó-RN, idealizado pela psicóloga Edna Fidelis.

O texto do Projeto prevê que o Rio Grande do Norte, por meio da sua Secretaria de Saúde, deve implantar o programa de prevenção e de combate ao suicídio, junto aos municípios, com a realização, por psicólogos e psiquiatras, de palestras e debates; além da realização de capacitação dos profissionais do Programa Saúde da Família – PSF.

“De 2012 para cá, praticamente ninguém tirou a vida em São José de Seridó. Antes aconteciam uma média de 6 a 10 casos de suicídio por ano. Essa é uma ideia simples e barata, porque já existe o Programa Saúde da Família. Nós sabemos que o suicídio é um problema que mais preocupa a saúde no Brasil”, contou o deputado Vivaldo Costa.

“É certo que o melhor tratamento deve ser feito com auxílio profissional, notadamente por psicólogos e médicos especialistas, através de acompanhamento terapêutico e/ou medicamentoso, a depender do caso. O apoio da comunidade, porém, também é fundamental”, completou.

A outra matéria que estava para ser apreciada pela Comissão de Saúde nesta quarta-feira (16), de iniciativa do Governo do Estado, sobre o Conselho Estadual de Saúde do Rio Grande do Norte (CES/RN), ficou para a próxima reunião da Comissão, já que houve um pedido de vista do deputado estadual Galeno Torquato (PSD).

Avança na ALRN o projeto que proíbe apreensão de moto com IPVA em atraso

A Comissão de Finanças e Fiscalização da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte aprovou em reunião realizada nesta quarta-feira (16) o projeto de Lei 001/2021, de autoria do deputado estadual Dr. Bernardo (MDB). A proposta proíbe a apreensão de motocicletas, motonetas ou ciclomotores de até 155 cilindradas, por autoridade de trânsito, em função da não comprovação de pagamento do imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), do Seguro Obrigatório de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre, ou por sua Carga, a Pessoas Transportadas ou Não (DPVAT) e Licenciamento.

O projeto foi aprovado por unanimidade no colegiado. O relator da matéria, deputado estadual Gustavo Carvalho (PSDB), informou que a Comissão de Constituição e Justiça entendeu que a proposta não representa gastos ao Executivo, autorizando o seu trâmite no Legislativo. “Dá aos proprietários de motocicletas a oportunidade de no momento de tanta crise, que eles possam ter seus débitos pacificados em relação a apreensão de motos”, disse.

Na mesma reunião, a Comissão de Finanças e Fiscalização da Casa aprovou projeto que determina o uso dos valores arrecadados com multas aplicadas aos estabelecimentos comerciais que exerçam atividades essenciais e não essenciais, para aquisição de insumos e equipamentos hospitalares destinados ao combate e proliferação da pandemia de COVID-19 no Rio Grande do Norte. A matéria, de autoria do deputado estadual Galeno Torquato (PSD), contou com parecer favorável do relator, o deputado Hermano Morais (PSB), e também foi aprovada por unanimidade.

A reunião contou com a presença do deputado estadual Gustavo Carvalho, presidente da Comissão, e dos deputados Hermano Morais, Getúlio Rego (DEM) e George Soares (PL).

Nelter Queiroz sugere comissão para verificar situação da barragem de Lucrécia

O deputado estadual Nelter Queiroz (MDB) sugeriu a composição de uma comissão especial para averiguar in loco a situação da barragem de Lucrécia, localizada na cidade de mesmo nome. No dia 29 de abril, a Secretaria de Meio Ambiente e Recurso Hídricos (Semarh) e o Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), informou que as comportas da barragem de Lucrécia foram abertas para facilitar o escoamento da água represada.

De acordo com o deputado, a medida, que foi recomendada após visita técnica que observou fragilidade na estrutura do equipamento, está prejudicando a economia do município e região. “O Governo do Estado tem tomado decisões que estão prejudicando o povo de Lucrécia e da região. Segundo informações de pessoas do município, mais de R$ 4 milhões para fazer um serviço no açude”, apontou.

Para verificar a situação do equipamento, assim como o uso desses recursos, Nelter Queiroz solicita que seja criada uma comissão de deputados para atender esse “pedido do povo”. O parlamentar ainda registrou publicação de portaria que libera a realização de vaquejadas no RN. “Registrar que tivemos participação nessa luta”, disse.

Líderes comentam participação social, talento de Bia Gurgel e museu no Seridó

No horário destinado às lideranças, na sessão ordinária desta quarta-feira (16), na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, pronunciaram-se os deputados estaduais Ubaldo Fernandes (PL) e Nelter Queiroz (MDB). Além de outros assuntos, foi citada a audiência pública de iniciativa de Ubaldo Fernandes sobre a importância dos Conselhos de Direitos que acontece às 15h desta quarta-feira, e a instalação de um museu público no município de Ouro Branco.

O deputado estadual Ubaldo Fernandes destacou a audiência pública que acontece hoje, sobre os participação social para o fortalecimento da democracia, que, de acordo com ele, tem muita importância no controle social, na elaboração de políticas públicas, com participação de organizações sociais e do governo.

Ele também aproveitou para citar o requerimento que apresentou na Casa Legislativa, com voto de congratulações a Bia Gurgel, a jovem de 14 anos, de Mossoró, que foi destaque no The Voice Kids. “É um talento nato do nosso estado que elevou a importância cultural do ritmo junino, além de ser bisneta de Glorinha Oliveira”, disse.

Já o deputado Nelter Queiroz apresentou voto de pesar pelo falecimento de Ivan Leite, natural de Santana do Matos. “Aos 57, ele foi vítima da Covid-19 e não resistiu. À família, aos pais, irmãos, filhos e esposa, estendo nossa solidariedade e nosso pesar”.

O parlamentar também destacou requerimento que fez ao Governo do Estado, com base em um pleito de vereadores da cidade de Ouro Branco, para que seja feito uma cessão em comodato à prefeitura do município, de um prédio localizado no centro da cidade. Segundo ele, no local o prefeito pretende instalar o museu público do município.

Deputados aprovam projeto de Ezequiel Ferreira que regula off road no RN

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte aprovou na sessão plenária desta quarta-feira (16) o Projeto de Lei 131/2021 de autoria do presidente da Casa, deputado estadual Ezequiel Ferreira (PSDB), que estabelece diretrizes sobre a regulamentação de atividades off road, reconhecendo a atividade como esporte de aventura e radical de importante valor cultural e turístico para o RN. A matéria foi aprovada por unanimidade, com 21 votos favoráveis, e agora segue para a sanção ou veto da governadora Fátima Bezerra (PT).

“Importante parabenizar todos os seguimentos envolvidos neste debate pela construção de um consenso. Esta é a casa do diálogo, e todos sentaram à mesa, discutiram, aperfeiçoaram a proposta e trouxeram sugestões de emendas. O entendimento é sempre o melhor caminho para aprimorarmos acima de tudo a política do RN. O projeto é um benefício que a Assembleia está fazendo em defesa da população do RN, que utiliza as trilhas e o nosso litoral, seja bugueiro ou praticante de off road”, disse Ezequiel Ferreira, enaltecendo a emenda aglutinativa apresentada de forma consensual pelo próprio parlamentar e pelos deputados Kelps Lima (SDD) e Coronel Azevedo (PSC).

Relator da proposta, o deputado Gustavo Carvalho (PSDB) também destacou a proposta única construída após semanas de diálogo entre os setores envolvidos. “Mostra o equilíbrio da Assembleia Legislativa em uma discussão importante para o Estado”, completou.

Já Coronel Azevedo ressaltou o fato do projeto “regulamentar uma atividade importante para o turismo do Estado, por dar mais segurança para os envolvidos e permitir que estes também frequentem a natureza do RN de forma regulamentada e segura”.

O deputado Kelps Lima demonstrou satisfação com a aprovação da matéria em formato consensual. “Parabenizo pela forma democrática como processo foi conduzido na Assembleia, infelizmente sofremos com as fake news e radicalismos de alguns envolvidos na questão, mas chegamos a um consenso”, afirmou.

Leia maisDeputados aprovam projeto de Ezequiel Ferreira que regula off road no RN

“Eu tenho que ouvir pessoas para tomar providências”, diz Bolsonaro sobre gabinete paralelo

Bolsonaro diz que mandou mensagem para o 'presidente Biden' e promete  'aproximação' - Jornal O Globo

Em entrevista a uma afiliada da TV Record, Jair Bolsonaro confirmou que foi aconselhado por  negacionistas para tomar medidas durante a pandemia. A existência de um ‘Ministério da Saúde paralelo’ é uma das linhas centrais de investigação da CPI da Covid, que já mapeou diversas reuniões e determinou a quebra de sigilo de seus integrantes.

Uma desses reuniões foi transmitida pelas redes sociais do próprio Bolsonaro.

“Foi feita uma live e ficou na minha página. Daí a CPI pega isso, diz que era um gabinete paralelo. E se fosse? Qual o problema? Eu tenho que ouvir pessoas para tomar providências. Não posso tomar providências sem ouvir pessoas. E era uma coisa inédita, ninguém sabia no mundo todo. E nós sempre defendemos o tratamento precoce depois de ouvir muitos profissionais de saúde como esses, que eram os Médicos Pela Vida”, disse Bolsonaro.

Informações de Campêlo não confirmam as de Pazuello na CPI

Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia (CPIPANDEMIA) realiza oitiva do ex-secretário de Saúde do Amazonas.   O objetivo é esclarecer o colapso no estado no início de 2021, com falta de leitos e de oxigênio medicinal nos hospitais que recebiam pacientes com covid-19, e apurar sobre o desvio de dinheiro do combate à pandemia, a partir de suposta organização criminosa no estado.   À mesa, ex-secretário de Saúde do Amazonas, Marcellus Campelo.   Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Para o relator da CPI da Pandemia, senador Renan Calheiros (MDB-AL), há “uma óbvia contradição” entre os depoimentos do ex-secretário de Saúde do Amazonas,  Marcellus Campêlo e o então ministro da Saúde Eduardo Pazuello. Isso porque, segundo o ex-ministro da Saúde, o alerta sobre o risco de colapso de oxigênio só ocorreu no dia 10 de janeiro durante uma visita a Manaus — e não no dia 7, como afirmou Campêlo na cronologia que apresentou em seu depoimento à comissão.

Parlamentares governistas, no entanto, minimizaram a divergência de datas. Para o líder do governo, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), “essa contradição não é importante” porque o telefonema de Campêlo a Pazuello “não tratou do risco de desabastecimento de oxigênio”.

— No dia 7 de janeiro, o secretário liga para Pazuello e solicita o transporte aéreo de cilindros de Belém para Manaus. O transporte foi executado pela Força Aérea no dia 8. Não foi tratado de risco de desabastecimento — reforçou o senador Jorginho Mello (PL-SC).

Cronologia, segundo Campêlo

O ex-secretário disse que telefonou para Pazuello no dia 7 de janeiro e pediu “apoio logístico” para a transferência de 300 cilindros de oxigênio de Belém para Manaus. A ligação ocorreu após um encontro em que representantes da White Martins sugeriram a compra do insumo “diretamente de outro fornecedor, capaz de aumentar a disponibilidade do produto”.

— Eu fiz uma ligação ao ministro Pazuello no dia 7 de janeiro, explicando a necessidade de apoio logístico para trazer oxigênio a pedido da White Martins. A partir daí, fizemos contato com o Comando Militar da Amazônia (CMA), por orientação do ministro, para fazer esse trabalho logístico — informou.

Leia maisInformações de Campêlo não confirmam as de Pazuello na CPI

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: