Outdoor ironiza Lula: ‘Curitiba te espera de grades abertas’

Outdoor com pixuleco em Curitiba

Cartaz foi colocado na cidade às vésperas do depoimento do petista ao juiz federal Sergio Moro

Grupos contrários ao ex-presidente Lula espalharam em Curitiba outdoors ironizando a ida do petista à cidade para prestar depoimento na Operação Lava Jato. A audiência está marcada para a próxima quarta-feira, dia 10. “Seja bem-vindo. A ‘República de Curitiba’ te espera de grades abertas”, diz um cartaz com uma caricatura do ex-presidente com roupa de presidiário. O outdoor é assinado por grupos como Vem Pra Rua e Lava-Togas.

O depoimento em Curitiba será o primeiro encontro frente a frente entre o petista e o juiz federal Sergio Moro. A audiência está cercada por tensão pela expectativa de protestos contra e a favor do ex-presidente. Militantes dos dois lados organizam caravanas para acompanhar o depoimento. Por segurança, o Fórum da Justiça Federal de Curitiba vai fechar para o interrogatório e apenas pessoas autorizadas poderão se aproximar do local. As informações são da revista Veja.

Ministro diz que reforma da Previdência sai ainda no 1º semestre

Dyogo Oliveira

Segundo Dyogo Oliveira, ministro do Planejamento, importância da mudança na Previdência será explicada aos deputados

Lorenna Rodrigues, O Estado de S.Paulo

Apesar de parlamentares aliados já admitirem que a reforma da Previdência só deverá ser votada pelo Congresso Nacional no segundo semestre, o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, disse estar confiante na aprovação do projeto ainda no primeiro semestre.

“Estamos confiantes de que, com essa semana a mais, teremos mais tempo de mostrar aos parlamentares a importância da reforma”, afirmou. Dyogo disse também que o Planejamento ainda não tem uma previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre, mas que as previsões de crescimento entre 0,7% e 0,8% feitas pelo mercado “são boas projeções”.

Na próxima terça-feira, os 37 integrantes da comissão especial da reforma da Previdência na Câmara votarão os 11 destaques que podem modificar o texto principal do projeto apresentado pelo relator Arthur Oliveira Maia (PPS-BA).

Leia maisMinistro diz que reforma da Previdência sai ainda no 1º semestre

Sem foro em 2019, Temer poderá ser investigado na primeira instância

Brasília 05.10.2016- O presidente Michel Temer e o ministro do STF, Rodrigo Janot participam de sessao comemorativa ao 28º aniversario da Constituicao Federal do Brasil (Jose Cruz/Agencia Brasil) ***DIREITOS RESERVADOS. NÃO PUBLICAR SEM AUTORIZAÇÃO DO DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM***

O Datafolha mostrou que o presidente é não só impopular como 73% dos brasileiros acham que ele teve participação direta nos esquemas de corrupção da Petrobras

Por Julianna Sofia – Folha de são Paulo

O presidente Michel Temer não é investigado na Lava Jato a partir das delações da Odebrecht porque a Procuradoria-Geral da República argumenta que o peemedebista dispõe de “imunidade temporária” e não pode ter atos alheios a seu mandato vasculhados.

Não pode ainda —afirmou, de novo e agora com ênfase, a PGR nesta semana. Rodrigo Janot manifestou-se em um recurso do PSOL, que pede a inclusão do presidente no roteiro da apuração policial. Janot pontuou que o exercício do cargo não constitui “causa extintiva de punibilidade” e, encerrado o mandato, “certamente serão adotadas as providências que se mostrem pertinentes”.

“Não se há de interpretar o dispositivo em análise como cláusula de exclusão de responsabilidade do presidente, pois ele responderá por tais fatos perante a jurisdição competente ao término do mandato.”

Leia maisSem foro em 2019, Temer poderá ser investigado na primeira instância

Votos contra a reforma se mantêm em 232 e a favor, em 87, diz jornal

câmara

Grande parte dos deputados ouvidos disse que não declara voto antes da hora por ter esperança de uma possível mudança do texto-base

A atualização do Placar da Previdência, levantamento realizado pelo Grupo Estado depois da aprovação do texto-base na comissão especial da Câmara, mostra que o número de parlamentares contrários à reforma se mantém em 232, enquanto os que são a favor permanecem em 87.

Grande parte dos deputados ouvidos disse que não declara voto antes da hora por ter esperança de uma possível mudança do texto-base no plenário da Casa.

Até 12h15, havia 55 indecisos, 138 não quiseram responder, 2 não foram encontrados e 1 deputado não vota. São necessários 308 votos para aprovar a reforma.

O Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado e o jornal O Estado de S. Paulo vão publicar atualizações do placar até a votação final da proposta.

Ministério Público do Trabalho pede rejeição integral de projeto sobre trabalhadores rurais

Para o MPT, um dos pontos mais graves é o que permite que o empregador utilize comida ou moradia para remunerar trabalhador do campo. O órgão ressaltou que a proposta implica “grande retrocesso social”

Em resposta ao projeto de lei que institui normas reguladoras do trabalho rural (PL 6442/16), de autoria do deputado Nilson Leitão (PSDB-MT), o Ministério Público do Trabalho (MPT) divulgou nota técnica com parecer pela rejeição total do projeto. Após a votação da reforma trabalhista na Câmara, a bancada ruralista se movimenta para alterar as leis que tratam da proteção dos direitos do trabalhador rural. Para o MPT, um dos pontos mais graves é o que permite que o empregador utilize comida ou moradia para remunerar trabalhador do campo. De acordo com a proposta, a remuneração poderá ser feita por “qualquer espécie”.

A intenção é restringir o poder da Justiça do Trabalho e do Ministério Público do Trabalho, avaliam especialistas. No entendimento do Ministério Público do Trabalho, a proposta que tramita na Câmara viola princípios constitucionais, convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e trará profundo prejuízo às relações de trabalho no meio rural, representando um grande retrocesso social. As informações são do Congresso Em Foco.

Leia maisMinistério Público do Trabalho pede rejeição integral de projeto sobre trabalhadores rurais

Três meses depois de massacre em presídio do RN, corpos e cabeças aguardam exames de DNA

Resultado de imagem para itep rn

Polícia científica do estado não tem laboratório com tecnologia para a análise do código genético

Mais de três meses depois do início da disputa entre facções rivais que resultou em duas semanas de rebelião e 26 mortos, na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, Rio Grande do Norte, as consequências do massacre ainda perduram. Três corpos e 15 cabeças aguardam exame de DNA. A polícia científica do estado não tem laboratório com tecnologia para a análise do código genético. O exame deve ser feito ainda este mês, no laboratório da Polícia Científica da Bahia.

As cabeças foram encontradas em buscas sucessivas, depois da rebelião. Antes disso, 11 corpos foram identificados e liberados, sem cabeça, para as famílias. Com a identificação por meio do DNA, o diretor-geral do Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep), Marcos Brandão, informou que as cabeças vão ser entregues aos familiares para que decidam o destino dos restos mortais. “Não era certeza que essas cabeças apareceriam, foram aparecendo, por sinal, de forma gradativa, algumas só posteriormente. É igual acidente aéreo, a vítima vai ser enterrada com o que foi encontrado.”

Restam também três famílias que ainda não tiveram uma resposta definitiva sobre o destino dos restos mortais de três detentos depois da rebelião. Elas aguardam que os corpos carbonizados e degolados sejam finalmente identificados por meio do DNA. Desde janeiro, os cadáveres estão no Itep. Uma quarta vítima foi enterrada como indigente em abril. Depois da recontagem, além dos 26 mortos, foram contabilizados mais de 50 fugitivos pelo governo estadual. As informações são da Agência Brasil.

Leia maisTrês meses depois de massacre em presídio do RN, corpos e cabeças aguardam exames de DNA

LAVA JATO Lula disse que Dilma sabia de propina, diz Duque

Resultado de imagem para dilma e lula

Ex-diretor da Petrobrás atribuiu ao petista informação de que a ex-presidente estava ‘preocupada’

Segundo o executivo – preso na Lava Jato e condenado a 30 anos por corrupção e lavagem de dinheiro em duas ações penais -, Lula nessa reunião no hangar teria dito que a então presidente Dilma ‘tinha recebido informação que um ex-diretor da Petrobrás teria recebido dinheiro numa conta na Suíça, da SBM’.

“Eu falei não, não tenho dinheiro da SBM nenhum, nunca recebi dinheiro da SBM. Aí ele vira prá mim fala assim ‘olha, e das sondas tem alguma coisa?’ E tinha né, eu falei não, também não tem.”

Leia maisLAVA JATO Lula disse que Dilma sabia de propina, diz Duque

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: