Bancada do RN é umas das mais beneficiadas com a ‘torneira da bondade’ de Temer

Resultado de imagem para temer

Contabilizando cerca de 80 deputados indecisos sobre a denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva, o Palácio do Planalto liberou, somente nos primeiros 17 dias de julho, R$ 2,1 bilhões em emendas parlamentares, a metade dos R$ 4,2 bilhões destinados a deputados e senadores desde janeiro. As informações são do site Contas Abertas.

O governo abriu a “torneira da bondade” ainda em junho, quando foram liberados R$ 2 bilhões em emendas parlamentares. Naquele mês, a denúncia da PGR chegou à Câmara. Já o segundo pico de liberações, durante o recesso parlamentar, ocorre justamente quando os parlamentares retornam a suas bases e poderiam ser cobrados pelos eleitores a votar a favor da denúncia em plenário.

A sessão para autorizar ou não a PGR a entrar com ação contra Temer está prevista para acontecer no dia 2 de agosto. Liberando as emendas, Temer espera dar aos deputados indecisos “escudos” contra a pressão popular, uma vez que os valores liberados vão para obras em seus redutos eleitorais. Temer usou a mesma arma que sua antecessora: Dilma Rousseff pagou R$ 3,2 bilhões em emendas às vésperas da votação do impeachment, em abril e maio de 2016.
Ao divulgar os números (disponíveis no portal Siga Brasil, do Senado), o Contas Abertas ressalta que as liberações acontecem enquanto o governo tenta administrar um rombo fiscal de R$ 139 bilhões. Além disso, o montante empenhado para emendas neste ano representa mais de 70% do corte adicional que o Ministério do Planejamento anunciou na semana passada: mais R$ 5,9 bilhões serão contingenciados nas despesas do governo federal.

Cabe lembrar ainda que o governo aumentou as alíquotas de PIS/Cofins para gasolina, etanol e diesel. O presidente Michel Temer declarou que “a população vai compreender” a elevação.

Do total liberado em emendas em 2017, mais de 82% foi para deputados federais (R$ 3,5 bi) – que votarão a denúncia contra Temer na Câmara – e o restante para senadores. No topo do ranking de beneficiados estão as bancadas estaduais de Maranhão, Roraima e Rio Grande do Norte.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: