Relatório entregue a Comissão do Coronavírus aponta ociosidade na rede privada de saúde do RN

A Comissão de Enfrentamento ao Coronavírus da Assembleia Legislativa voltou a se reunir na tarde desta quarta-feira (08), por videoconferência. Dessa vez, o colegiado debateu as ações que estão sendo implementadas no combate a COVID-19 com o presidente do Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte, (Sinmed/RN), Geraldo Ferreira, e o presidente da Unimed-Natal, Fernando Pinto.

Sobre a possibilidade do sistema de saúde entrar em colapso, Geraldo Ferreira, presidente do Sinmed-RN, disse que isso já existia e que atualmente a situação “está até melhor que antes da pandemia”. Isso “em razão da suspensão de cirurgias eletivas e diminuição de acidentes provocada pela quarentena”. Segundo Geraldo, “o sistema sempre viveu colapsado. Os hospitais privados inclusive, que hoje estão vazios esperando pacientes. A informação que temos é de pedido de socorro para o Governo do Estado utilizar esses leitos porque eles estão em via de demitirem seus funcionários, porque estão vazios”, explicou.

O presidente do Sinmed-RN, questionou os números que apontam a quantidade de vítimas no Estado até meados de maio, caso o percentual de isolamento continue na estimativa atual – cerca de 42% da população. “Não se levou em conta que ao se ter metade da população contaminada, há uma imunidade natural da população. Esses estudos precisam ser rebatidos diante de uma realidade. A medida que infectados crescem, a transmissão fica menor porque as pessoas vão ficando imune. Esse crescimento não é geométrico permanentemente. Ela cai após 50% da população ser atingida, porque há imunidade coletiva, de rebanho. Quem está imunizado protege os demais”, explicou.

Geraldo Ferreira criticou ainda o investimento de R$ 37 milhões em um hospital de campanha no RN. O médico defende que os recursos sejam direcionados para a própria rede pública, como forma de garantir a implantação de leitos de UTIs que já existem mas não estão funcionando, seja por falta de equipamentos ou de profissionais.

Leia maisRelatório entregue a Comissão do Coronavírus aponta ociosidade na rede privada de saúde do RN

Laboratório brasileiro desenvolve teste nacional para covid-19

O Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA) anunciou hoje (08), por meio de nota, que está trabalhando em uma versão nacional dos kits de diagnóstico rápido de covid-19. O novo teste será produzido com insumos nacionais e terá um índice de detecção superior ao dos kits importados.

“A cada novo país o vírus sofre mutações e vai se adaptando. Os kits diagnósticos produzidos com anticorpos e antígenos importados podem ter baixa sensibilidade de detecção no Brasil, uma vez que não são adaptados à nossa realidade viral, por isso a necessidade de produção de um kit com insumos nacionais para atender à específica e crescente demanda brasileira”, afirmou Fábio Calderaro, gestor do CBA.

Segundo Calderaro, a técnica de produção com materiais e antígenos nacionais poderá ser distribuída para diferentes centros de produção, o que seria suficiente para suprir a demanda nacional mínima determinada pelo ministério da Saúde, que é de 30 mil testes por dia. A medida, no entanto, necessita do aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e, de acordo com o gestor, a meta só poderá ser atingida daqui a 4 meses, após a autorização do órgão.

Calderaro afirmou ainda que o novo kit de detecção – desenvolvido com antígenos de brasileiros que foram infectados pela doença – é mais eficaz e mais sensível ao vírus. “A cada novo país o vírus sofre mutações e vai se adaptando. Os kits de diagnósticos produzidos com anticorpos e antígenos importados podem ter baixa sensibilidade de detecção no Brasil, uma vez que não são adaptados à nossa realidade viral”.

Leia maisLaboratório brasileiro desenvolve teste nacional para covid-19

Mossoró não tem casos confirmados nas últimas 24 horas; mortes e suspeitos aumentam

Mossoró não teve nenhum caso confirmado do novo coronavírus nas últimas 24 horas. A informação consta no boletim epidemiológico nº 25 divulgado no início da tarde desta quarta-feira, 8, pela Secretaria de Estado da Saúde Pública do Rio Grande (Sesap/RN).

De acordo com o mais recente levantamento, o número de casos suspeitos na cidade aumentou em relação ao último boletim divulgado na terça-feira, 7. Os casos em investigação saltaram de 140 para 166. O número de casos descartados também subiu. Saiu de 41 para 43.

Cidade registra dois óbitos nesta quarta

A Secretaria de Saúde de Mossoró registrou duas mortes em decorrência da Covid-19 na madrugada desta quarta-feira, 8. As vítimas eram dois homens mossoroenses, um de 58 e outro de 62 anos, que estavam internados em um hospital privado da cidade, com diagnóstico positivo para Covid-19.

De acordo com registros obtidos pela Secretaria de Saúde, o homem de 58 anos identificado como Elias Fernandes Jales Neto, de 58 anos, “conhecido como Neto da Panelada”, chegou ao hospital privado no dia 31 de março, passou nove dias internado e veio a óbito às 2h de hoje.

O de 62, que ainda não teve o nome revelado, também deu entrada em um hospital privado no dia 30 de março, passou 10 dias internados e veio a óbito às 4h10 desta quarta.

Número de mortes sobe para cinco

Com as duas mortes registradas na madrugada desta quarta-feira, 8, Mossoró soma cinco óbitos por coronavírus. Os dois homens que morreram hoje estavam internados em um hospital privado no município.

Leia maisMossoró não tem casos confirmados nas últimas 24 horas; mortes e suspeitos aumentam

Assembleia Legislativa vai apreciar decretos de calamidade em mais cinco municípios

Depois de declarar calamidade pública em 29 municípios do Rio Grande do Norte, a Assembleia Legislativa vai realizar nova sessão remota na próxima terça-feira (14) para apreciar novos ofícios de decretação de calamidade pública, por causa da crise provocada pelo Coronavírus (COVID-19), em mais cinco municípios do Estado.

Pedro Velho, Taboleiro Grande, Areia Branca, Lagoa Salgada e Santo Antônio são os municípios que encaminharam os processos já depois da apreciação dos decretos de 29 municípios que foram aprovados, por unanimidade no Plenário da Casa, na sessão remota realizada na terça-feira (7).

Os decretos tomam por base as Leis Orgânicas dos Municípios e em consideração ao Estado de Emergência em Saúde Pública (ESPIN), decretado pelo Ministério da Saúde, em virtude da disseminação global da infecção humana pelo Coronavírus e a declaração da condição de transmissão pandêmica anunciada pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Os documentos também levam em consideração que a crise provocada pela na Saúde Pública, impõe o estabelecimento das medidas de enfrentamento da Pandemia. Os Projetos de Decretos Legislativos são apreciados e consequentemente aprovados ou rejeitados. Após essa etapa, a Assembleia elabora o decreto e publica no Diário Oficial Eletrônico.

Para tramitação dos expedientes a Assembleia Legislativa disponibilizou o e-mail secleg@al.rn.leg.br, através do qual a documentação pode ser remetida pelos municípios.

Prefeito de Jucurutu não cumpre meta de vacina em 2019 e pode deixar população mais vulnerável em meio a pandemia do corona vírus

O prefeito de Jucurutu Valdir Medeiros, eleito no pleito de 2016 até 2020, vem igual a carro desgovernado, por onde passa deixa um caos.

No mínimo, o prefeito de um munícipio deve colocar uma equipe excelente para dirigir a saúde do município e que isso seja refletido para a população como uma maneira de esclarecimento sobre os aspectos gerais de saúde, como por exemplo, a importância de cobertura vacinal, suplementação para gestantes e crianças.

O que vemos é o prefeito Valdir não dando a devido importância para a população que precisa da cobertura vacinal para proteger de doenças, e a população mais carente, precisando de suplementos e vitaminas. No ano de 2019, a secretaria municipal de Jucurutu não bateu a meta de vacina que é ofertada pelo governo federal, atingindo só apenas 70,2 % da população de Jucurutu.

O que torna isso uma irresponsabilidade, pois, o município já não tem um suporte bom na saúde, e a falta de cobertura vacinal pode deixar em colapso o sistema de saúde que não tem suporte suficiente.

Coronavírus: Nelter sugere suspensão da cobrança de tributos estaduais relativos ao emplacamento de veículos

Dando continuidade às sugestões de combate e convívio com o novo coronavírus no Rio Grande do Norte, o deputado estadual Nelter Queiroz (MDB) protocolou requerimento, nesta quarta-feira (8), solicitando ao Governo do Estado, através do Departamento de Trânsito (DETRAN), a suspensão da cobrança do IPVA e dos demais tributos estaduais relativos ao emplacamento de veículos.

“Nossa sugestão é que o Governo do Estado, através do DETRAN, suspenda a cobrança do IPVA e de outros tributos estaduais enquanto durar esta pandemia de COVID-19”, destacou o parlamentar, frisando que a suspensão das cobranças relativas ao IPVA e outros tributos estaduais não devem gerar nenhum tipo de multa ou juros ao contribuinte.

Para Nelter, esta medida beneficiará todos potiguares que estão sendo obrigados a enfrentar este momento tão difícil uma vez que o novo coronavírus impôs à humanidade condições que obrigam mudanças de hábitos, principalmente no que diz respeito ao isolamento social, que vem afetando a economia. “Todo ajuste que possa diminuir o impacto da crise gerada, principalmente em cima dos mais humildes, dos empresários, dos trabalhadores da iniciativa privada e dos profissionais informais, é de extrema importância. Todos têm que dar sua parcela de contribuição e o Estado, na qualidade de principal condutor desta crise, tem que pensar nos norte-rio-grandenses mais vulneráveis”.

Em relação ao combate do COVID-19 o deputado Nelter Queiroz já propôs: remanejamento de recursos do fundo eleitoral para o Ministério da Saúde e medidas que amenizam o colapso econômico na vida do homem do campo. O parlamentar também remanejou R$ 500 mil em emendas para o combate da doença no Estado.

Coronavírus: Nelter sugere suspensão da cobrança de tributos estaduais relativos ao emplacamento de veículos

Dando continuidade às sugestões de combate e convívio com o novo coronavírus no Rio Grande do Norte, o deputado estadual Nelter Queiroz (MDB) protocolou requerimento, nesta quarta-feira (8), solicitando ao Governo do Estado, através do Departamento de Trânsito (DETRAN), a suspensão da cobrança do IPVA e dos demais tributos estaduais relativos ao emplacamento de veículos.

“Nossa sugestão é que o Governo do Estado, através do DETRAN, suspenda a cobrança do IPVA e de outros tributos estaduais enquanto durar esta pandemia de COVID-19”, destacou o parlamentar, frisando que a suspensão das cobranças relativas ao IPVA e outros tributos estaduais não devem gerar nenhum tipo de multa ou juros ao contribuinte.

Para Nelter, esta medida beneficiará todos potiguares que estão sendo obrigados a enfrentar este momento tão difícil uma vez que o novo coronavírus impôs à humanidade condições que obrigam mudanças de hábitos, principalmente no que diz respeito ao isolamento social, que vem afetando a economia. “Todo ajuste que possa diminuir o impacto da crise gerada, principalmente em cima dos mais humildes, dos empresários, dos trabalhadores da iniciativa privada e dos profissionais informais, é de extrema importância. Todos têm que dar sua parcela de contribuição e o Estado, na qualidade de principal condutor desta crise, tem que pensar nos norte-rio-grandenses mais vulneráveis”.

Em relação ao combate do COVID-19 o deputado Nelter Queiroz já propôs: remanejamento de recursos do fundo eleitoral para o Ministério da Saúde e medidas que amenizam o colapso econômico na vida do homem do campo. O parlamentar também remanejou R$ 500 mil em emendas para o combate da doença no Estado.

Assembleia Legislativa declara calamidade pública em 29 cidades do RN

A Assembleia Legislativa do RN declarou calamidade pública em 29 cidades do Estado, em votação na manhã desta terça-feira (7). A votação dos Projetos de Decretos Legislativos de calamidade pública ocorreu em sessão remota que durou mais de duas horas e contou com a participação de 22 parlamentares.

“Apesar da suspensão dos trabalhos presenciais na sede do legislativo a atividade parlamentar teve continuidade. Nesta sessão remota, pioneira na história do legislativo potiguar, votamos 29 decretos da calamidade nos municípios. Entre os desafios que iremos enfrentar, precisamos conscientizar a nossa população que ficar em casa ainda é a melhor solução. Vamos seguir firmes, respeitando o isolamento social e acreditando que tudo vai passar”, salientou o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB).

Os municípios são Apodi, Afonso Bezerra, Angicos, Baía Formosa, Barcelona, Baraúna, Boa Saúde, Campo Redondo, Ceará Mirim, Doutor Severiano, Extremoz, Lagoa de Pedras, Macaíba, Monte Alegre, Monte das Gameleiras, Natal, Pau dos Ferros, Santa Cruz, Santana do Matos, São José do Campestre, São Miguel, São Rafael, Serra Caiada, Serra do Mel, Serrinha, Taipu, Umarizal, Upanema e Vera Cruz.

Durante a discussão da matéria os deputados reforçaram a necessidade da população potiguar permanecer em suas casas e também externaram preocupação com a economia do Estado, o risco de contaminação dos profissionais da área da saúde, as questão da saúde e do sustento das minorias e das soluções que estão sendo debatidas e apresentadas pela Assembleia do RN.

Para os deputados Kleber Rodrigues (PL), Hermano Morais (PSB), Cristiane Dantas (SDD), Francisco do PT, Souza Neto (PSB), Eudiane Macedo (Republicanos) e Vivaldo Costa (PSD) a aprovação dos decretos de calamidade pública dá segurança para que os gestores trabalhem no combate ao COVID-19. “Significa que, uma vez aprovado, o município tem maior segurança jurídica e liberdade para assistir à população carente. Dá direito ao prefeito e sua equipe de trabalhar no combate”, explicou Vivaldo Costa.

A deputada Isolda Dantas (PT) destacou a peculiaridade da situação para todas as gerações de parlamentares que compõem a Assembleia do RN e destacou a importância das ações contemplarem a economia. “Eu não entro na dicotomia vida x economia. Não podemos separar uma coisa da outra. Cuidar da saúde e cuidar da economia, é cuidar de pessoas”, disse. Os deputados Kelps Lima (SDD) e Gustavo Carvalho (PSDB) que também se manifestaram sobre o tema.

A união dos deputados também foi pauta da discussão. “Quero destacar o trabalho constante dos deputados e a unidade da classe política para que possamos amenizar o sofrimento do povo no nosso estado”, disse Ubaldo Fernandes (PL). “Todos nós somos soldados nessa guerra. É uma realização ver que os deputados da Casa estão esquecendo os interesses políticos para lutar pelo povo do RN”, disse José Dias (PSDB).

A situação das cidades de Mossoró, Assu e Santa Cruz foram destacadas pelos deputados Dr Bernardo (Avante) e Allyson Bezerra (SDD), George Soares (PL) e Tomba Farias (PSDB), respectivamente. Sandro Pimentel (PSOL) e Eudiane Macêdo chamaram a atenção para a população mais carente. “Um total de 10% da população de Natal vive em favelas. Essas pessoas preocupam”, disse Sandro.

Médicos, os deputados Getúlio Rêgo (DEM), Alberto Dickson (PROS) e Galeno Torquato (PSD) destacaram a atuação dos profissionais da saúde e a necessidade de “dar as mãos” para combater e para que todos possam se preparar para os próximos dias, quando está previsto o aumento do número de casos da doença. O deputado Coronel Azevedo (PSC) destacou o esforço dos profissionais da segurança e entregadores, que seguem trabalhando.

Conforme o último boletim divulgado pela Secretaria da Saúde do Estado do RN (Sesap), até as 7h do dia 7 de abril, o estado possui 254 pessoas contaminadas pelo novo coronavírus. Além disso, oito mortes já foram registradas por causa da doença e 2.430 casos são suspeitos em 135 municípios.

error: Content is protected !!