Temer escala ministro da Justiça para mostrar que governo monitora atos da greve

Resultado de imagem para ministro da justiça osmar serraglio

Temer escalou o ministro da Justiça, Osmar Serraglio, para dar declarações à imprensa desde cedo. O intuito é mostrar que o governo está monitorando os atos e em contato permanente com as secretarias de segurança nos Estados e que não aceitará violência ou clima de distúrbio total.

A avaliação inicial era que os protestos seriam restritos a grupos de esquerda, mas monitoramento interno mostrou tanto uma maior mobilização nas redes sociais como um maior engajamento de centrais sindicais.

A iniciativa apontou, no entanto, que os protestos devem se concentrar nos grandes centros urbanos, tendo pouca repercussão nos municípios de médio e pequeno portes. As informações são da Folha de São Paulo.

Ivan Júnior trata de melhorias no abastecimento de água com prefeito Hudson de Santana do Seridó

O prefeito de Santana do Seridó, Hudson Pereira de Brito, do PSD, esteve esta semana com o secretário de Meio Ambiente e Recursos Hidricos Ivan Júnior para tratar de melhorias no abastecimento de água e projetos da Semarh.

Com uma extensa experiência em política, Hudson Pereira, trabalhou como Secretário Extraordinário de Relações Institucionais do Gabinete Civil do governador Robinson Faria e já exerceu o cargo de Chefe do Gabinete do deputado federal Fabio Farias, durante quatro anos.

Temer deve exonerar indicados de deputados do RN

O governo dedicou boa parte da tarde desta quinta-feira (27) à tarefa de definir exonerações de indicados por parlamentares que foram infiéis na votação da reforma trabalhista.

Ato contínuo, o Planalto premiou com mais cargos quem se manteve firme na base aliada, segundo a coluna Painel da Folha de Sâo Paulo.

No embalo, os deputados federais da bancada potiguar Rafael Motta e Antônio Jácome, que ameaça votar contra a reforma da Previdência podem ficar sem os cargos que indicaram na estrutura administrativa do Governo Federal.

Maia vai proibir viagens oficiais de deputados durante votação da reforma da Previdência

Assim como fez nesta semana, quando a Câmara aprovou a reforma trabalhista, o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), vai proibir viagens oficiais de deputados no período em que há previsão de votação da reforma da Previdência.

A manobra é para evitar que possíveis deputados infiéis se “escondam” em outros países. Aliados com viagens marcadas estão sendo orientados a remarcar compromissos, segundo a coluna Painel da Folha de São Paulo.

Temer começa a fazer mapeamento de infiéis

Imagem relacionada

O governo do presidente Michel Temer (PMDB) já iniciou uma varredura para identificar os dissidentes que votaram contra a reforma trabalhista na madrugada dessa quarta-feira (26). E a promessa é não aliviar a mão na hora de punir os infiéis. O objetivo é garantir que o mesmo não ocorra com a reforma da Previdência, considerada a maior medida econômica do governo.

Articuladores políticos do Palácio do Planalto iriam se reunir nessa quinta-feira (27) com Temer para mapear os traidores e retirar os cargos no governo que foram indicados por eles. Levantamento do portal de notícias G1 aponta que 86 parlamentares dos 415 que pertencem a siglas aliadas ao governo votaram contra a reforma trabalhista, ou seja, mais de 20% de infidelidade.

Greve adia votação da Previdência

Manifestações desta sexta-feira e do Dia do Trabalhador foram de encontro às pretensões do governo

O calendário de greve geral e manifestações desta sexta-feira (28) e do 1º de maio, Dia do Trabalho, acabou impondo o adiamento dos debates em torno da reforma da Previdência. A votação do substitutivo do deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA) na comissão especial não ocorrerá mais na próxima semana, o que acabará atrasando a discussão da matéria no plenário da Câmara dos Deputados.

Além de cuidar das incertezas em relação à capacidade do governo conseguir virar os votos contrários à reforma de parlamentares da base aliada, o relator ainda negocia mudanças no parecer. Segundo fontes, a equipe econômica já trabalha com o atraso da votação e segue articulando na tentativa de barrar novas alterações que comprometem ainda mais a economia de gastos prevista com aprovação da reforma. “Está na fase de queda de braço”, disse uma fonte da área econômica.

Oficialmente, no entanto, o discurso adotado é de que os parlamentares precisam de mais tempo para conhecer as mudanças introduzidas na proposta pelo relator.

Leia maisGreve adia votação da Previdência

Anatel ameaça intervir na Oi caso governo não edite Medida Provisória

Governo prepara medida que abre caminho para intervenção na Oi

O presidente da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), Juarez Quadros, e os quatro conselheiros da agência enviaram carta sigilosa ao ministro Gilberto Kassab (Comunicações) há três semanas para dizer que intervirão na Oi caso o governo não edite a medida provisória que permitirá intervenção plena na tele, e não só na telefonia fixa (concessão).

A tele é a maior concessionária do país e está em recuperação judicial, com dívida de R$ 64,5 bilhões, dos quais R$ 20 bilhões em multas aplicadas pela agência e tributos.

No documento, que seguiu escoltado às mãos do ministro, a agência pediu que Kassab transmitisse a mesma mensagem a Michel Temer, que resiste em editar a MP porque há, segundo advogados que participam das discussões, fragilidades jurídicas.

O presidente da agência e os conselheiros temem ser responsabilizados pelo TCU (Tribunal de Contas da União) e pelo Ministério da Transparência caso a Oi vá à falência diante do impasse entre credores e acionistas sobre o plano de recuperação. As informações são do jornal Folha de São Paulo.

Leia maisAnatel ameaça intervir na Oi caso governo não edite Medida Provisória

Colapso da Oi provocaria apagão na telefonia, afirma presidente da TIM

Retrato de Stefano de Angelis, presidente da TIM Brasil

O italiano Stefano De Angelis pode reclamar de qualquer coisa, menos de marasmo. Em maio de 2016, em pleno crise econômica e com a política do país em tumulto, foi enviado para assumir o comando da TIM Brasil, operadora com imagem baleada e que havia dois anos encolhia.

Falava-se que chegaria ao país para vender a companhia. No fim do ano passado, moveu-se para comprar a Oi. Mas, por ora, nada disso irá acontecer, afirmou De Angelis à Folha, em sua primeira entrevista desde que se tornou presidente da empresa.

Ele diz que a Telecom Itália, dona da TIM, não tem planos de deixar o Brasil (“absolutamente não”) e desistiu da Oi (“neste momento não”).

Segundo ele, a situação na Oi é delicada e não há plano de contingência que preserve o sistema de telefonia celular do Brasil caso haja um colapso na operação da rival, que está em recuperação judicial e corre o risco de sofrer intervenção do governo.

“Um apagão de uma grande operadora cria tal nível de congestionamento de tráfego, que há efeito dominó”.  As informações são da Folha de São Paulo.

Centrais convocam greve com críticas às reformas do governo

Nove centrais sindicais e as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo convocaram uma greve geral nacional para esta sexta-feira (28) contra as reformas da Previdência e trabalhista e a Lei da Terceirização. Várias categorias profissionais realizaram assembleias e anunciaram adesão ao movimento.

O Palácio do Planalto informou que irá acompanhar a greve e as manifestações previstas. O entendimento é de que as mobilizações irão transcorrer dentro da normalidade e ficarão restritas às grandes cidades.

Segundo o secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, o Juruna, um dos motivos da greve desta sexta é contra novas regras previstas na reforma previdenciária, como a definição de uma idade mínima para o trabalhador poder se aposentar. Clique aqui e entenda as mudanças 

Leia maisCentrais convocam greve com críticas às reformas do governo

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: