PSL questiona ‘efeito Tiririca’ e recorre ao STF para aumentar bancada na Câmara

Resultado de imagem para bolsonaro o globo
Partido de Bolsonaro quer derrubar regra da lei eleitoral que barra candidatos a deputado com baixa votação

PSL , partido do presidente eleito Jair Bolsonaro , recorreu ao Supremo Tribunal Federal ( STF ) na tentativa de aumentar sua bancada no Congresso . A legenda conseguiu 52 cadeiras na Câmara dos Deputados na última eleição, ficando atrás apenas do PT.

O PSL questiona uma mudança na legislação ocorrida em 2015 que estabelece um mínimo de votos para que um candidato se eleja deputado, mesmo que seu partido tenha alcançado um total de votos que garanta a vaga, o chamado “efeito Tiririca”. No documento, o partido não informou quantos deputados a mais teria com a mudança da regra.

Em 2010, quando foi eleito pela primeira vez, o deputado Tiririca (PR-SP) fez com que candidatos de outros partidos que faziam parte de sua coligação também fossem eleitos carregados por sua votação acachapante. Em 2014, em sua segunda eleição, Tiririca recebeu mais de um milhão de votos. Porém, naquela ocasião, puxou apenas candidatos de seu partido, o PR, que não se coligou a outras legendas.

Até a eleição de 2014, para um candidato a deputado ser eleito ele não precisava alcançar um mínimo de votos. Bastava ficar entre os mais votados de seu partido ou coligação. Se, após a apuração das urnas, esse partido ou coligação obtivesse votos suficientes para conquistar, por exemplo, quatro cadeiras na Câmara – quociente eleitoral -, os quatro candidatos mais bem votados eram eleitos. Pouco importava se o quarto colocado tivesse mais de 100 mil votos ou apenas um.

Em 2015, o Congresso definiu uma votação mínima por candidato. Assim, mesmo que um partido tenha expressiva votação de legenda ou um bom puxador de votos, se os seus candidatos não alcançarem aquele patamar mínimo de desempenho, eles não conseguirão ser eleitos. O chamado “quociente individual” ficou estipulado em 10% do quociente eleitoral. André de Souza – O Globo

Leia maisPSL questiona ‘efeito Tiririca’ e recorre ao STF para aumentar bancada na Câmara

Ezequiel Ferreira é eleito o Parlamentar da 61ª Legislatura

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), foi eleito Parlamentar da 61ª Legislatura, após ser escolhido pelos jornalistas que acompanham os trabalhos legislativos. O deputado contou com 26, dos 36 votos registrados.

A eleição é organizada pelo Comitê de Imprensa da Casa, presidido pelo jornalista Oliveira Wanderley. “Os jornalistas escolhem aquele que, na sua visão, teve destaque durante a legislatura atual”, afirmou.

O presidente Ezequiel Ferreira agradeceu o reconhecimento da imprensa. “Recebo a escolha dos jornalistas que integram o Comitê de Imprensa com muita responsabilidade. Quero agradecer o reconhecimento e dividir com  todos os meus colegas deputados e deputadas. Agradecer também o apoio da Mesa Diretora às ações administrativas, sociais, institucionais e aos trabalhos legislativos. A escolha como Parlamentar da Legislatura é um incentivo para continuar trabalhando em favor do Rio Grande do Norte”, disse Ezequiel Ferreira.

O título é concedido ao parlamentar que se destacou nos últimos quatro anos. Os deputados Hermano Morais (MDB), Kelps Lima (Solidariedade), Fernando Mineiro (PT) e Cristiane Dantas (PPL) também foram votados.

PSL se divide, faz acenos a Maia e rival na disputa pela Câmara

Um para cada lado Integrantes do partido de Jair Bolsonaro (PSL) estão se movimentando em direções opostas na tentativa de assegurar posições influentes na Câmara dos Deputados a partir de fevereiro, quando os eleitos neste ano assumirão seus mandatos e a direção da Casa será renovada. Uma ala do partido buscou aproximação com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que deseja a reeleição. Outra tenta viabilizar a candidatura de João Campos (PRB-GO) como alternativa a Maia.

Copa e cozinha Liderado pelo presidente do PSL, Luciano Bivar (PE), o grupo que procurou Maia indicou nesta semana que gostaria de garantir uma das vice-presidências da Casa e o comando da Comissão de Constituição e Justiça, a mais importante da Câmara.

Segunda via A outra ala, que inclui um dos filhos do presidente eleito, Eduardo Bolsonaro (SP), tenta articular um bloco de oposição a Maia, atraindo integrantes de outras siglas para fortalecer a candidatura de Campos. Dirigentes do PSL, do PRB e do Podemos se reuniram no início da semana para avaliar suas chances.

Não conte comigo Campos pediu ao filho de Bolsonaro que convença o pai a se envolver diretamente com a disputa na Câmara, da qual Bolsonaro tem procurado manter distância. Representantes do PRB ouviram do futuro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), que o bloco poderá ter simpatia do novo governo, mas não mais do que isso.

Melhor esperar Dirigentes do DEM afirmam que Maia ainda não assumiu nenhum compromisso com o PSL, que acham muito confuso. Integrantes da futura bancada do partido passaram a quinta batendo boca num grupo de mensagens no WhatsApp. Painel – Folha de São Paulo

Flávio Bolsonaro empregou mulher e duas filhas de PM citado pelo Coaf

Igo Estrela/Metrópoles

O senador eleito Flávio Bolsonaro empregou em seu gabinete na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro a mulher e as duas filhas de seu ex-assessor e policial militar Fabrício Queiroz, identificado, de acordo com reportagem do jornal O Estado de São Paulo, no relatório do Coaf como autor de “transações atípicas” que somam R$ 1,2 milhão, em suas contas bancárias. A informação é da coluna de Lauro Jardim, em O Globo.

Márcia Aguiar, mulher de Fabrício, exerceu cargo de consultora parlamentar entre 2 de março de 2007 a 1º de setembro de 2017, com salário de R$ 9.835,63. Nathália e Evelyn, também foram empregadas por Flávio Bolsonaro. Uma delas continua nomeada no gabinete.

Nathália foi nomeada no gabinete da vice liderança do PP, de Flávio, em 20 de setembro de 2007, e ficou lá até 1º de fevereiro de 2011. Recebia R$ 6.490,35. De 1º de abril de 2011 a 11 de agosto de 2011, passou para outro cargo, no valor de R$ 2.950,66 bruto, no Departamento Taquigráfico e Debates.

De 12 de agosto de 2011 a 13 de dezembro de 2016, foi para a terceira empreitada, também sob o aval de Flávio. Tornou-se sua assessora parlamentar, em outro cargo, com valor de R$ 9.835,63.

A outra filha, Evelyn, foi nomeada em 13 de dezembro de 2016 assessora parlamentar de Flávio, no mesmo tipo de cargo que antes era ocupado pela irmã.

Procurado, Flávio Bolsonaro afirmou que todas as nomeações foram publicadas em Diário Oficial e que “não há nada a esconder”. “Na relação de confiança que tínhamos, ao longo do tempo ele pediu oportunidades de trabalho a seus familiares e eu atendi. São pessoas trabalhadoras, com uma grande rede de relacionamentos e que me trouxeram resultado político onde atuam, como Jacarepaguá, Osvaldo Cruz e São João de Meriti”, disse.

George Soares critica ausência do Ministério Público do Trabalho em audiência de ceramistas

Deputado George Soares convidou dois ceramistas do Assú para participar do evento na Assembléia proposto pelo deputado Hermano Morais

O deputado estadual George Soares (PR) participou, nesta quinta (06), de audiência pública proposta pelo deputado Hermano Morais (MDB), na Assembleia Legislativa do RN para discutir as necessidades e prioridades do setor ceramista no estado.

A discussão teve a presença de dois empresários ceramistas do município do Assú: Heliomar Cortez Alves e Eurimar Nóbrega Leite, que foram convidados pelo deputado George Soares para participar do evento representando a classe empresarial da região do Vale do Açu.

O deputado George lamentou a ausência de representantes do Ministério Público do Trabalho na audiência. ”O melhor caminho é a construção de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre as partes, assim como estamos fazendo com os que exploram a folha da carnaúba. Esperamos do MP do Trabalho um entendimento para com as condições de trabalho das cerâmicas, senão perderemos mais de 10 mil empregos e todo um setor que engloba a construção civil pode parar. No Vale do Açu, o pólo cerâmico movimenta a economia e não pode ter suas atividades ameaçadas, isso seria muito ruim para todos. É preciso proteger o trabalhador, mas dar condições ao empregador do setor ceramista. ” Afirmou George.

Assessoria de Imprensa do Deputado Estadual George Soares

Audiência de Hermano Morais aborda desafios dos ceramistas potiguares

Na intenção de discutir as prioridades e as necessidades do setor ceramista do Rio Grande do Norte enfrenta, o deputado Hermano Morais (PMDB) reuniu empresários, representantes do poder público e da sociedade civil em audiência pública, nesta quinta-feira (6), no auditório da Assembleia Legislativa.  

O objetivo do deputado Hermano Morais quando idealizou a audiência foi de contribuir para a formalização de parcerias e novas formas de aperfeiçoamento visando o avanço na produtividade. O trabalho dos órgãos fiscalizadores diante da atividade econômica foi o principal foco da discussão.

De acordo com Hermano Morais, essa discussão se faz necessária para que se tenha condições de mapear esse setor tão importante para a economia do estado. “As cerâmicas foram ameaçadas de fechamento pelos órgãos ambientais, já que a maioria dos ceramistas não estavam em condições de fazer investimentos que as fiscalizações exigiam. Hoje temos 160 empresas em funcionamento. O que pretendemos é encontrar soluções satisfatórias que não ocasionem o fechamento dessas empresas”, explicou. 

O presidente do Sindicato da Indústria Cerâmica para Construção do Rio Grande do Norte (SINDICER-RN), Pedro Terceiro de Melo, ressaltou que todas as dificuldades enfrentadas pelo estado implicam também no aumento dos problemas para o setor ceramista. “Fazemos parte de uma economia e estamos tentando manter o setor e evoluir, mas sabemos que o momento, para as empresas de modo geral, não só cerâmico, é um momento muito delicado. Diante desse quadro econômico do RN, estamos recebendo muitas fiscalizações e algumas delas nos deixam desconfortáveis por serem muito difíceis de serem atendidas. Entendemos que devemos obedecer as leis, mas esperamos fazer isso de forma que possamos manter nossas empresas funcionando. Nosso desejo é de dialogar. Estamos certos de que devemos fazer alguma coisa para compensar as degradações ambientais, mas que seja também viável para a gente”, disse.

De acordo com ele, o setor cerâmico mais importante do mundo é o da China e o segundo, é o do Brasil. Em relação ao Nordeste, o RN está terceiro lugar, perdendo  somente para os estados da Bahia e do Ceará. O setor potiguar gera em torno de 6 mil empregos.

Leia maisAudiência de Hermano Morais aborda desafios dos ceramistas potiguares

PR anuncia que vai integrar base aliada do governo Bolsonaro

Resultado de imagem para joão maia e zenaide
Deputado João Maia com a irmã senadora Zenaide Maia e o seu afilhado, deputado estadual George Soares

Terceira bancada a ser recebida pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, o PR anunciou nesta quarta-feira, 5, que vai integrar a base aliada do novo governo, mas que a adesão às propostas dependerá do convencimento dos parlamentares.

Segundo o líder do partido na Câmara, deputado José Rocha (BA), só será possível “medir a temperatura” conforme as propostas econômicas forem encaminhadas ao Congresso a partir do próximo ano.

Bolsonaro participou nos últimos dois dias da primeira rodada de conversas oficiais com dirigentes partidários e parlamentares – também estiveram no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) integrantes do PSDBMDB e PRB. 

“Nós não vamos, de maneira coercitiva ou de qualquer outra maneira, forçar o parlamentar a votar como o partido encaminhar. Mas, com certeza, faremos todos os esforços no sentido do convencimento. Os que não se acharem convencidos vão votar como acharem melhor”, afirmou Rocha.

O PR, partido do ex-deputado Valdemar Costa Neto, que foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do mensalão e comanda a sigla nos bastidores, possui a sexta maior bancada da Câmara, com 41 deputados.

Leia maisPR anuncia que vai integrar base aliada do governo Bolsonaro

MPF cobra melhoria nas futuras casas dos moradores desalojados pela Barragem de Oiticica

Perícia apontou diversas falhas na construção das primeiras residências da nova comunidade, das quais 38 sofreram desabamentos no início do ano

O Ministério Público Federal (MPF) ingressou com uma ação civil pública contra o Estado do Rio Grande do Norte, o Consórcio Solo-Consbrasil e a KL Engenharia, por causa dos problemas detectados nas casas que vêm sendo construídas para receber a população transferida do local que será a futura Barragem de Oiticica, em Jucurutu.

A população da comunidade de Barra de Santana – que será transferida para a área que ficou conhecida como Nova Barra de Santana – já vinha denunciando falhas nos imóveis em construção. No início deste ano, 38 casas sofreram desabamento de parte de suas estruturas em decorrência de fortes ventos e chuvas na região.

O fato chamou ainda mais atenção para os possíveis problemas, tanto do ponto de vista do material e da técnicas que vinham sendo utilizados na obra, quanto ao risco que essas falhas podem representar à vida dos futuros moradores. 

A Procuradoria da República no Município de Caicó, que vem acompanhando o caso, solicitou a realização de perícia técnica, realizada por expert dos quadros do MPF. O laudo pericial constatou diversas irregularidades na técnica empregada na construção das casas, incluindo concretagem mal executada; piso cedendo; contrapiso mal executado; vazios na argamassa das juntas; estrutura em madeira do telhado apoiada diretamente na alvenaria, sem previsão de estruturas de apoio ou de maiores cuidados na distribuição das cargas; tijolos com furos na vertical; falta de alinhamento da alvenaria; entre outros.

Leia maisMPF cobra melhoria nas futuras casas dos moradores desalojados pela Barragem de Oiticica

TRT inaugura Complexo Judiciário de Pau dos Ferros nesta segunda (10)

Resultado de imagem para TRT-RN

A presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região, desembargadora Auxiliadora Rodrigues, estará em Pau dos Ferros nesta segunda-feira (10) para inaugurar, às 17h,  as instalações do Complexo Judiciário de Pau dos Ferros, onde funcionarão o Posto Avançado da Justiça do Trabalho e uma Vara da Justiça Federal.

O novo Complexo Judiciário Federal de Pau dos Ferros funcionará na rua Djalma Freitas S/N, bairro Princesinha do Oeste.

Para a presidente Auxiliadora Rodrigues, essa é o  resultado concreto da parceria entre o TRT-RN e a JFRN. “Juntos, estamos em busca do fortalecimento da justiça e de dar cidadania à toda a população”, garatiu.

O presidente do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, desembargador Manoel Oliveira Erhardt, e do diretor do Foro da JF no Rio Grande do Norte, juiz Marco Bruno Miranda Clementino também participarão da solenidade.

O Posto Avançado da Justiça do Trabalho de Pau dos Ferros tem jurisdição sobre os municípios de Água Nova, Alexandria, Almino Afonso, Antônio Martins, Coronel João Pessoa, Doutor Severiano, Encanto, Francisco Dantas, Frutuoso Gomes, João Dias, José da Penha, Itaú, Lucrécia, Luiz Gomes, Marcelino Vieira, Martins, Messias Targino, Paraná, Pilões, Portalegre, Rafael Fernandes, Rafael Godeiro, Riacho da Cruz, Riacho de Santana, Rodolfo Fernandes, Olho D’Água dos Borges, São Francisco do Oeste, São Miguel, Severiano Melo, Tabuleiro Grande, Tenente Ananias, Viçosa, Patu, Major Sales, Pau dos Ferros Venha-Ver, Serrinha dos Pintos e Umarizal. 

Viagem em jatinho sem informar à Justiça Eleitoral tira pasta de Malta

WALTERSON ROSA/FRAMEPHOTO
Senador saiu da lista de ministeriáveis após o presidente eleito, Jair Bolsonaro, receber informações de que ele viajou em aeronave de empresário sem informar à Justiça Eleitoral

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, decidiu cortar da lista de possíveis ministros o senador e candidato derrotado à reeleição Magno Malta (PR-ES) após receber informações de que o aliado fez viagens para aproximar o empresário Eraí Maggi da campanha do PSL e, até mesmo, usar sua proximidade para defender nomes que poderiam compor um eventual governo.

Pelos dados recebidos por Bolsonaro, Maggi teria colocado à disposição do senador um jatinho particular para alguns deslocamentos e ainda abriu sua fazenda para encontro com ruralistas. 

Em conversas com aliados, Bolsonaro chegou a avaliar também uma entrevista dada pelo cobrador Luiz Alves de Lima, de Vitória, que foi preso e sofreu tortura depois de ser acusado de pedofilia por Malta em 2010. Anos depois, a Justiça absolveu Alves. Na quarta-feira, 5, Bolsonaro disse que o perfil do senador “não se enquadrou” no futuro ministério, mas que ele ainda poderia estar “em outra função”. 

Malta não registrou deslocamentos em jatinhos do empresário nas prestações de conta ao TSE. Ele disse ter gasto na campanha R$ 163 mil em veículos, R$ 50 mil em combustível e R$ 273 mil em carros de som. Leonencio Nossa, O Estado de S. Paulo

Leia maisViagem em jatinho sem informar à Justiça Eleitoral tira pasta de Malta

Orações antecedem reuniões de Bolsonaro com parlamentares religiosos

Rafael Carvalho/Governo de transição
Políticos transformaram encontros com presidente eleito em cultos na sede do governo de transição, em Brasília

Encontros de parlamentares religiosos com o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), têm se transformado em verdadeiros cultos. Quando tem espaço, ao receber deputados e senadores no gabinete do governo de transição, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) em Brasília, o militar da reserva ouve não só pedidos, mas também orações (assista abaixo).

No vídeo acima, a oração é conduzida pelo deputado Pastor Eurico (Patriota-PE). Em determinado momento ele diz que o governo de Bolsonaro “será bombardeado de todos os lados”, mas Deus servirá de “escudo para proteger teu filho”, acredita.

Leia maisOrações antecedem reuniões de Bolsonaro com parlamentares religiosos

Ex-chefe de gabinete do governo de RN é preso em Brasília

Reprodução/Facebook

Aristides Siqueira Neto é condenado a 7 anos e 9 meses de prisão por peculato. Ele foi auxiliar de Fernando Freire na Vice-Governadoria e na Governadoria 

Uma ação conjunta do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) e do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) prendeu em Brasília o ex-chefe de Gabinete da Governadoria do Estado Aristides Siqueira Neto. Ele é condenado a 7 anos, 9 meses e 10 dias de reclusão pelo crime de peculato.

Aristides Siqueira foi auxiliar de Fernando Antônio da Câmara Freire quando ele foi vice-governador e governador. Aristides Siqueira Neto era considerado foragido e foi localizado após uma denúncia dando conta do paradeiro dele. As informações foram checadas e o MPDFT cumpriu o mandado de prisão na terça-feira (4) com o apoio da Polícia Civil do DF.

Em abril de 2014, Freire e Siqueira foram condenados 6 anos e 6 de reclusão pelo crime de peculato (subtração ou desvio de dinheiro público). O MPRN apelou da decisão e em 2016 a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte determinou a ampliação da pena dos dois para 7 anos, 9 meses e 10 dias de prisão. O esquema fraudulento praticado por eles ficou conhecido como a ‘Máfia dos Gafanhotos’. 

Fernando Freire, Aristides Siqueira e outros envolvidos foram condenados por crimes de peculato porque realizaram o desvio de dinheiro público para a concessão fraudulenta de gratificações por meio do pagamento de cheques salário.

No caso investigado pelo MPRN, Aristides Siqueira atuava como indicador dos beneficiários e como sendo um deles. A movimentação bancária de Aristides em 2002 aponta um elevado número de depósitos recebidos, sempre por meio de cheques ou de dinheiro em espécie.

MOSSORÓ: Polícia Federal investiga fraudes contra o INSS

A suspeita se recusou a responder a quase totalidade das perguntas que lhe foram formuladas e disse que só falaria em Juízo.

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira, 6, a Operação IM(PPP)RÓPRIO, para apurar notícia de utilização de documentação para obtenção de benefícios previdenciários perante o INSS. Foi cumprido  um mandado de busca e apreensão em escritório de advocacia na cidade Mossoró/RN.

A Representação de Inteligência Previdenciária – REINP detectou que diversos indivíduos teriam apresentado documentos fraudulentos para comprovar as condições especiais de suas atividades laborais pretéritas.

Os documentos, em sua maioria, referiam-se a formulários do tipo PPP, uma espécie de documento histórico laboral utilizado para fazer prova de condições de risco vivenciadas pelo empregado.

Embora a maior parte dos requerimentos suspeitos tenham sido indeferidos no âmbito administrativo, há notícia de que o intento dos fraudadores seria o ajuizamento de ação previdenciária a fim de induzir o Juízo a erro e obter, com base das documentações fraudadas, a concessão do benefício previdenciário anteriormente indeferido no INSS.

As apurações preliminares no INSS constataram que todos os indivíduos que apresentaram documentação com indícios de fraude foram assessorados pelo mesmo causídico. Estima-se que, em apenas 6 casos sob suspeita de fraude, o prejuízo seria de R$ 3,6 milhões, levando-se em consideração a expectativa de vida da população brasileira.

Procuradoria Federal acusa Dilma e Mantega por improbidade nas ‘pedaladas fiscais’

O Ministério Público Federal do Distrito Federal ingressou com ação civil pública contra a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), o ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, e outras quatro pessoas por improbidade administrativa no caso das ‘pedaladas fiscais’.

Entre os acusados também estão o ex-presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, preso e condenado na Lava Jato, o ex-secretário do Tesouro, Arno Augustin, o ex-subsecretário de Políticas Fiscais, Marco Pereira Aucélio, e o ex-presidente do BNDES, Luciano Galvão Coutinho.

Na sexta-feira, 30, o juiz Francisco Codevila, da 15ª Vara Federal de Brasília, aceitou denúncia e colocou Mantega, Bendine, Augustin e Marcos Aucélio no banco dos réusem uma ação criminal no caso das pedaladas. Dilma e Luciano Coutinho se livraram da denúncia apresentada pela procuradoria por prescrição. Paulo Roberto Netto, Julia Affonso e Fausto Macedo – O Estado de São Paulo

Leia maisProcuradoria Federal acusa Dilma e Mantega por improbidade nas ‘pedaladas fiscais’

Nelter requer melhorias para municípios de três regiões

O deputado estadual Nelter Queiroz (MDB) protocolou diversos requerimentos esta semana solicitando ações para os municípios de Currais Novos e Florânia, no Seridó; Touros, no Mato Grande; e São Rafael, no Vale do Assú.

A ações solicitaras pelo parlamentar dizem respeito ao desassoreamento do açude Dourado, em Currais Novos; a melhoria do sinal da Tim, em Florânia; reforço policial para Touros e construção de lombadas na RN-118 em São Rafael, na saída pra Jucurutu.

“Sempre estamos atentos às demandas locais. Lutar por melhorias para nossos municípios sempre será prioridade para nosso mandato”, frisou Nelter.

CURSO

Também é de autoria do parlamentar requerimento direcionado às Secretarias de Estado da Saúde Pública (SESAP) e do Trabalho, Habilitação e Assistência Social (SETHAS), solicitando a realização de curso para a fabricação de perucas a serem usadas por pacientes da rede pública estadual que estão em tratamento contra o câncer.

Coaf aponta movimentação atípica de ex-assessor de Flávio Bolsonaro

Flávio Bolsonaro com Jair Bolsonaro, em Brasília
Documento decorrente da Operação Furna da Onça cita cheque para Michelle Bolsonaro

Um relatório produzido pelo Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) em desdobramento da Operação Lava Jato no Rio indica movimentação financeira atípica de um ex-assessor do deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSC), que é filho de Jair Bolsonaro e senador eleito.

A informação foi revelada pelo jornal O Estado de S. Paulo nesta quinta-feira (6).

O ex-assessor parlamentar e policial militar Fabrício José Carlos de Queiroz movimentou R$ 1,2 milhão entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017, de acordo com o relatório do órgão.

A reportagem do jornal afirma que uma das transações de Queiroz citadas no relatório do Coaf é um cheque de R$ 24 mil destinado à futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

Leia maisCoaf aponta movimentação atípica de ex-assessor de Flávio Bolsonaro

Damares Alves será ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos

Resultado de imagem para Damares Alves será ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos

O futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, anunciou nesta quinta-feira que a pastora Damares Alves será ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. A assessora do senador Magno Malta (PR-ES) estava cotada para o cargo desde a semana passada, mas seu nome foi confirmado apenas nesta quinta-feira.

Após indefinições sobre o destino da Fundação Nacional do Índio (Funai), Bolsonaro decidiu que a fundação será transferida do Ministério da Justiça e Segurança Pública para a pasta que será comandada pela pastora.

“A ministra é advogada e educadora e também receberá na pasta dos Direitos Humanos a Funai, visto que ela, inclusive, é mãe de uma índia”, disse Onyx, em fala a jornalistas no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), onde são tocados os trabalhos da equipe de transição.

%d blogueiros gostam disto: