fbpx

Palocci revelará destino de propinas de mais de R$ 300 milhões

1

Segundo a “IstoÉ”, petista vai detalhar destino de mais de R$ 300 milhões recebidos da Odebrecht

Caso o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci feche um acordo de colaboração premiada com o Ministério Público Federal (MPF) na operação Lava Jato, ele confirmará que é mesmo o “Italiano” das planilhas da Odebrecht e vai detalhar o destino de mais de R$ 300 milhões recebidos da empreiteira em forma de propina, dos quais R$ 128 milhões são atribuídos a ele. As informações estão publicadas na edição desta semana da revista “IstoÉ”.

A publicação traz que, de acordo com pelo menos três fontes que participaram das tratativas iniciais para a colaboração premiada, o ex-ministro abrirá detalhes da criação de uma conta-propina destinada a atender demandas do ex-presidente Lula.

Parte da propina que irrigou essa conta teria sido resultado de um acordo celebrado entre ele e Lula durante a criação da empresa Sete Brasil, no ano de 2010. O ex-presidente teria ficado com 50% da propina, um total de R$ 51 milhões.

Leia maisPalocci revelará destino de propinas de mais de R$ 300 milhões

TSE pode rever regra que anistia contas de partidos

1

Em sessão no dia 20 deste mês, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou com ressalvas as contas referentes ao exercício de 2011 do PP. A decisão não traria surpresas não fosse um questionamento da ministra Rosa Weber sobre o critério usado para a aprovação, uma jurisprudência do TSE que impede a desaprovação de contas partidárias quando o valor dos gastos irregulares envolvendo verbas do Fundo Partidário é inferior a 10% do montante recebido, seja qual for a natureza da irregularidade.

O PP, um dos partidos com o maior número de políticos envolvidos na Lava Jato, recebeu, em 2011, R$ 22,6 milhões do Fundo Partidário, mas as irregularidades alcançaram R$ 1,7 milhão – ou 7,5% do total, menos de 10%, e, portanto, as contas não deveriam ser desaprovadas. Entre as irregularidades apontadas pela assessoria técnica do TSE está o uso de R$ 255 mil para o pagamento de honorários a advogados que fizeram a defesa pessoal de integrantes do partido, até mesmo em processos por corrupção. 

Leia maisTSE pode rever regra que anistia contas de partidos

Juiz determina que Eike Batista deixe Bangu e cumpra prisão domiciliar

Eike Batista

O juiz federal Gustavo Arruda Macedo determinou neste sábado (29) que Eike Batista deixe Bangu 9 e passe a cumprir prisão domiciliar. A decisão, a qual o Broadcast teve acesso, foi tomada um dia após o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, atender o pedido de liberdade da defesa do empresário. Preso desde janeiro, Eike terá que ficar em sua casa no Jardim Botânico, onde poderá receber visitas da Polícia Federal sem aviso prévio.

De acordo com o advogado de Eike Batista, Fernando Martins, o empresário deverá deixar a penitenciária neste domingo. O fundador do grupo X foi preso na Operação Eficiência, um desdobramento da Calicute, que levou à prisão o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB). Eike foi indiciado por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e pertencimento a organização criminosa. Ele teria pago US$ 16,5 milhões em propina ao esquema liderado pelo ex-governador Sérgio Cabral para ter benefícios em seus negócios. As informações são da Agência Estado.

Leia maisJuiz determina que Eike Batista deixe Bangu e cumpra prisão domiciliar

Falta de resposta do papa causa dano à igreja, diz adversário de Francisco

Cardeal Raymond Burke na praça São Pedro, Vaticano

Para o maior adversário do papa Francisco dentro da Igreja Católica, a recusa do pontífice em esclarecer pontos de seu controverso documento sobre o casamento está causando “um grande dano” à milenar instituição.

“Há crescentes confusão e divisão” entre os membros da igreja, laicos ou não, diz o cardeal americano Raymond Burke, 67. Principal antípoda conservador do papa argentino, ele ganhou notoriedade ao liderar o questionamento do documento “Amoris Laetitia” (“Alegria do Amor”, em latim), publicado em 2016. As informações são do jronal Folha de São Paulo.

Leia maisFalta de resposta do papa causa dano à igreja, diz adversário de Francisco

Aécio é tão rejeitado quanto Lula, diz Datafolha

Resultado de imagem para lula e aecio

O senador Aécio Neves (MG), que terminou em segundo em 2014 e hoje é investigado sob suspeita de corrupção e caixa dois, é o exemplo mais eloquente da crise tucana, segundo pesquisa do Datafolha.

É tão rejeitado quanto Lula: não votariam nele 44%, contra 30% no levantamento de dezembro passado. Sua intenção de voto oscilou de 11% para 8%, quando era de 26% no fim de 2015.

Já o governador Geraldo Alckmin (SP) viu sua rejeição pular de 17% para 28%, e sua intenção de voto oscilou para baixo, de 8% para 6%. Até a delação da Odebrecht, em que é suspeito de receber R$ 10,7 milhões em caixa dois, ele passava relativamente ao largo da Lava Jato. As informações são do jornal Folha de São Paulo

Com Temer rejeitado, 85% defendem eleição direta, aponta Datafolha

A impopularidade do governo Michel Temer (PMDB) cresceu e já é comparável à de sua antecessora, Dilma Rousseff (PT), às vésperas da abertura do processo de impeachment que acabou por cassá-la em 2016.

Segundo pesquisa do Datafolha, a gestão do peemedebista tem 61% de avaliação ruim ou péssima, com 28% a considerando regular e apenas 9%, ótimo ou bom.

Logo antes de a Câmara afastá-la, em abril do ano passado, Dilma tinha 63% de rejeição e 13% de aprovação. Era um número inferior ao recorde da própria petista, o maior aferido pelo instituto desde a redemocratização de 1985: 71% de ruim/péssimo e 8% de ótimo/bom, em agosto de 2015.

Os 9% de aprovação são também similares à taxa de Fernando Collor de Mello antes de ser impedido, em setembro de 1992, embora a reprovação fosse maior (68%). As informações são do jornal Folha de São Paulo.

Leia maisCom Temer rejeitado, 85% defendem eleição direta, aponta Datafolha

Bolsonaro sobe de 9% para 15% e de 8% para 14% nos dois cenários da pesquisa

Resultado de imagem para bolsonaro

O deputado Bolsonaro, que tem posições conservadoras e de extrema direita, subiu de 9% para 15% e de 8% para 14% nos dois cenários em que é possível acompanhar a evolução. Nesses e em outros dois com candidatos diversos, Bolsonaro empata com Marina.

Ele é o segundo nome mais lembrado de forma espontânea, com 7%. É menos que os 16% de Lula, mas acima dos 1% dos outros, segundo a Folha de São Paulo.

Com uma intenção de voto concentrada em jovens instruídos e de maior renda, Bolsonaro se favorece da imagem de “outsider” com baixa rejeição (23%) e do fato de que o Datafolha já registrava em 2014 uma tendência conservadora no eleitorado.

Ele parece ocupar o vácuo deixado por lideranças tradicionais de centro-direita do PSDB, golpeadas na Lava Jato, confirmando a avaliação de que há espaço para candidaturas que se vendam como antipolíticas em 2018.

Lula amplia liderança para 2018, e Bolsonaro chega a 2º, diz Datafolha

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) cresceu e aparece no segundo lugar da corrida para a Presidência em 2018, empatado tecnicamente com a ex-senadora Marina Silva (Rede).

É o que aponta a primeira pesquisa Datafolha após a divulgação de detalhes da delação da Odebrecht, que atingiu em cheio presidenciáveis tucanos –que veem o prefeito paulistano, João Doria (PSDB), surgir com índices mais competitivos.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), por sua vez, mantém-se na liderança apesar das menções no noticiário recente da Lava Jato.

O Datafolha fez 2.781 entrevistas, em 172 municípios, na quarta (26) e na quinta (27), antes da greve geral de sexta (28). A margem de erro é de dois pontos percentuais. As informações são do jornal Folha de São Paulo.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: