Comando do PMDB tira diretório de Pernambuco do grupo de Jarbas

A executiva nacional do PMDB decidiu na tarde desta terça-feira, por 17 votos a 6, dissolver o atual diretório estadual de Pernambuco, retirando o comando da legenda das mãos do deputado federal Jarbas Vasconcelos. O senador Fernando Bezerra Coelho foi escolhido o novo presidente da legenda no estado. Ele se filiou ao partido em setembro do ano passado.

A medida tem motivação eleitoral. O grupo que dirige o PMDB no estado apoia a reeleição do atual governador, Paulo Câmara (PSB). A maioria da executiva nacional da sigla quer lançar candidato próprio para disputar o governo pernambucano. A ideia é indicar ao pleito o senador Bezerra Coelho.

O vice-governador de Pernambuco, Raul Henry, muito próximo a Vasconcelos, disse que seu grupo político irá levar a decisão ao pleno do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ao Supremo Tribunal Federal (STF). E reclamou: As informações são de DÉBORA BERGAMASCO – O Globo.

— É um processo vergonhoso o que aconteceu hoje aqui, conduzido de maneira ilegal e indecente pelo presidente (do MDB) Romero Jucá. Não há nenhum fundamento para pedir a dissolução do PMDB de Pernambuco, que foi constituído democraticamente, legitimamente — declarou Raul Henry, que avisou que não deixará o PMDB.

O senador Jucá, presidente do partido, rebateu:

— Não houve ilegalidade. É choro de quem perdeu. Seguimos o regimento, tivemos uma ampla votação. A posição do Raul Henry era apoiar uma candidatura do (atual governador de Pernambuco Paulo) Câmara, do PSB. E a posição do diretório nacional é ter uma candidatura própria do senador Fernando Bezerra.

Jucá disse que o presidente Michel Temer apoia a decisão do diretório nacional. E finalizou:

— Entre uma candidatura do PSB e uma candidatura própria do PMDB, nós optamos por uma candidatura própria.

A intervenção no diretório estadual de Pernambuco foi anunciada em janeiro por Romero Jucá. Mas o caso foi parar na justiça e, por meio de decisão liminar, a turma de Jarbas Vasconcelos vinha conseguindo se manter na direção da agremiação regional. A decisão, contudo, foi derrubada monocraticamente pelo TSE.

Vasconcelos, que está no partido há 52 anos e é um dos seus fundadores, saiu da reunião realizada na presidência do PMDB, contrariado. Limitou-se a dizer:

— Vou fumar um cigarro.

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: