Coronel pagou reforma de filha de Temer, afirma vendedor

Amigo de longa data do presidente Michel Temer e acusado, em delação da JBS, de ter recebido R$ 1 milhão de uma doação ilegal que abasteceria em R$ 15 milhões campanhas do PMDB, o coronel João Batista Lima Filho foi responsável pelo pagamento de material de construção para uma obra num imóvel associado a Maristela Temer, filha do presidente. A Argeplan, empresa do coronel, foi quem acertou os custos de compras feitas em uma empresa no interior de São Paulo, responsável pela reforma.

Entre documentos apreendidos no escritório do militar aposentado, semanas atrás, há um recibo de projeto de reforma de um imóvel que seria de Maristela Temer, no bairro de Alto de Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo, segundo O Globo.

Uma nota fiscal expedida pela marcenaria Móveis e Esquadrias Santos Limitada, do município de Garça, no interior do estado, mostra que a Argeplan foi quem acertou o pagamento. A participação da empresa do coronel no serviço foi confirmada pelo empresário Marcos Lourenço, dono da empresa e quem assina a nota.

Embora não lembre o valor da nota — a empresa faliu meses depois e os documentos contábeis não estão mais em seu poder —, o empresário diz que a transação foi “correta”.

— Me pediram para fazer um orçamento para a obra. Inclusive, eles tinham feito outros orçamentos. Mas eu fechei e fiz a venda. Tudo de forma correta, com nota fiscal e valor parcelado — contou Lourenço ao GLOBO.

O relacionamento da marcenaria com a empresa de coronel Lima é de mais de 20 anos. Embora sempre tenha tratado com o escritório, e nunca diretamente com o militar aposentado, Lourenço disse ter conhecimento da proximidade entre Lima e Michel Temer. Lourenço contou que sabia se tratar de obras na casa de Maristela Temer.

— Sim, eu sabia. Quem não sabia? Todo mundo que estava trabalhando na obra sabia. Acertei o orçamento para a filha dele e executei o serviço. É uma rotina normal de venda para a minha firma. Isso é indiferente para mim.

Marcos Lourenço diz que ninguém da polícia o procurou e que soube da informação pela imprensa. Procurado, o coronel João Batista Lima Filho não foi encontrado.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: