Covid-19: recomendação do MPF e MP/RN resulta em curso online para profissionais de saúde

Laboratório de Inovação tecnológica em Saúde (LAIS/HUOL/UFRN ...

Um curso online voltado a profissionais de saúde que atuam na regulação dos leitos de internação dos pacientes da covid-19 – no Rio Grande do Norte – foi lançado em uma parceria do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal (Lais/UFRN) e a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap/RN), com apoio de divulgação do Conselho Regional de Medicina do estado. O objetivo é preparar as equipes que vão utilizar a plataforma eletrônica RegulaRN, criada em parceria com o Instituto Metrópole Digital, também da UFRN.

Essa capacitação de pessoal era um dos pontos previstos no Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) proposto pelo Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público do Estado (MP/RN) e que determinou a utilização do RegulaRN como ferramenta para organização e distribuição dos leitos disponíveis, tanto na rede pública, quanto na rede privada de saúde.

Os participantes dos treinamentos são distribuídos em salas virtuais, com aulas ao vivo, durante até três semanas. Pesquisadores do Lais ficaram responsáveis pela transmissão do conteúdo e por sanar dúvidas dos profissionais de saúde. Há ainda manuais em formato de texto e vídeo.

Sistema – Na recomendação do Ministério Público, o objetivo maior é garantir a atualização correta das informações contidas no RegulaRN, permitindo não só a melhor distribuição possível dos pacientes, bem como gerando dados que possam ajudar na atuação dos gestores, com transparência e eficiência.

Acesse aqui vídeos tutoriais sobre o sistema.

Na plataforma, secretarias estadual e municipais de saúde devem manter atualizadas as informações sobre número de leitos disponíveis para covid-19 – classificando em UTI, semi-intensivo ou enfermaria/retaguarda -, além de relacionar a quantidade de respiradores em funcionamento, quebrados ou em manutenção.

As unidades de saúde, por sua vez, devem requerer as vagas – quando necessário – através do sistema eletrônico. Já às centrais de regulação caberá a gerência dos dados e pedidos feitos na plataforma, colocando os pacientes na fila de espera (quando for o caso) e estabelecendo os critérios de prioridade conforme as normas vigentes.

Covid-19 – A pandemia do novo coronavírus já resultou em mais de 250 mil mortes em todo o planeta, sendo aproximadamente 8 mil no Brasil. A necessidade de um grande número de leitos de UTI e de respiradores para os pacientes da doença provocada por esse vírus é uma das maiores preocupações dos gestores.

Assessoria de Comunicação Social – MPF

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: