fbpx

Crea entrega ‘Agenda Propositiva’ aos candidatos ao governo do RN

Os candidatos ao Governo do Estado receberam, ontem, uma agenda propositiva entregue e elaborada pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio Grande do Norte (Crea-RN). Os concorrentes foram sabatinados e apresentaram suas propostas para o Estado.

De acordo com a presidente do Crea-RN, Ana Adalgisa Dias Paulino, o documento foi elaborado por todos os setores do órgão e contou com visitas feitas ao interior do Estado para destacar as potencialidades e as principais demandas do Rio Grande do Norte.

“A agenda foi construída com profissionais da engenharia e agronomia é um grande marco para o nosso Crea. Fomos ao interior, até a base, para que possamos, juntos, levar um farol para o desenvolvimento do Estado. Discutimos questões regionais sempre voltadas para a engenharia, agronomia e geociências” destacou a presidente do Crea.

Ainda de acordo com a presidente do órgão, as proposições serão monitoradas pelo Crea e a expectativa é de que o próximo governador do RN cumpra as propostas.

“A aceitação da agenda foi muito positiva. Todos receberam, faremos o acompanhamento através do nosso portal. Teremos um sistema onde todas as informações estarão contidas e comparadas com os programas de governo que o candidato eleito apresentou. Vamos acompanhar ao longo dos quatro anos e tentar apresentar essa agenda para o legislativo”, acrescentou.

Ao longo do encontro, cada candidato teve 20 minutos para expor livremente seus respectivos Planos de Governo e dez minutos para responder a três perguntas sobre a Agenda de Desenvolvimento e cinco minutos para considerações finais.

Entre todos os candidatos, apenas Danniel Morais (PSOL) faltou ao encontro por questões de saúde, mas seu vice, Ronaldo Tavares, o representou na sua fala.

Fátima Bezerra

Segundo a candidata à reeleição, Fátima Bezerra (PT), o atual governo começou “arrumando a casa” e que o Estado estava “falimentado” em 2019 no começo da gestão. Ela citou o déficit de R$ 1 bilhão e folhas de pagamento atrasadas com os servidores, ressaltando que uma das próximas metas do seu governo é fortalecer a energia eólica do Estado.

“O Rio Grande do Norte vai assumir um protagonismo ainda maior nas energias renováveis. Estamos aqui com cerca de mais de R$ 13 bilhões investidos nas energias eólicas. Estamos vocacionados para exportar energia eólica combinada com hidrogênio verde para o mundo todo”, disse Fátima, citando ainda o projeto de um possível “Porto Indústria Verde”, que ela acredita que será “uma revolução para o desenvolvimento econômico e social do Rio Grande do Norte”.

Fábio Dantas

O candidato Fábio Dantas (SD) disse que quer fazer do RN “o melhor lugar para se investir no Brasil” e prometeu, como uma de suas propostas de governo, a redução setorial de impostos como atrativo para investimentos, além de flexibilização na emissão de licenças ambientais.

“Pretendemos fazer isso em todas as áreas da cadeia produtiva. Se fizermos, o Rio Grande do Norte será o melhor lugar para se investir no Brasil”, disse o candidato. “Vamos ouvir a todos, mas teremos um governo de tomada de decisões. Via muito que nos últimos 30 anos os governos conversavam muito e tomavam poucas decisões. Vou botar a cara para bater. Não tenho medo de órgão de controle nenhum. Vamos respeitar o meio ambiente, os órgãos, mas não tenho medo. Vou decidir. O RN parece ser o único lugar do mundo em que a natureza é mais valiosa que o homem. A natureza é a principal matriz do homem, mas precisa ser parceira dos homens”, disse Fábio.

Styvenson Valentim

O candidato ao governo do Estado, senador Styvenson Valentim (Podemos), disse que, se eleito, pretende fazer mudanças na gestão pública do Estado e celeridade à concessão de licenças ambientais. Styvenson propôs ainda a extinção de algumas secretarias e autarquias no Estado, como a Emprotur e o Datanorte, que segundo ele, são “cabides de empregos”.

“Não adianta esse estado fazer o maior racionamento dentro do seu orçamento para poder gastar se lá na ponta não temos competência para executar uma obra. Meu primeiro passo é reformular toda a administração pública, não só no que se aplica às secretarias, nas suas competências e quem as fazem. Além dessas reformas, precisamos de legislações. A maior reclamação da construção civil são as licenças”, disse.

Clorisa Linhares

A candidata Clorisa Linhares disse que uma de suas principais propostas é a facilitação da abertura de empreendimentos no Rio Grande do Norte e a colaboração para que empresas não fechem. Ela afirmou que quer garantir um ambiente menos hostil aos empreendedores.

“As microempresas são responsáveis por 74% dos empregos gerados no Rio Grande do Norte. As políticas públicas que a gente tem hoje não são para favorecer nem ajudar esse segmento. Estudei e vi como é truncado e desfavorável às pessoas que querem empreender em nosso estado”, disse Clorisa. Além de criticar a dificuldade de se abrir empresas, Clorisa Linhares também disse que é necessário colaborar com a qualificação das pessoas que abrem seus próprios negócios no Rio Grande do Norte. “As pessoas que vendem as suas motos para empreender, mas não têm conhecimento de gestão. Vão na cara e na coragem porque não conseguem um emprego. Nos três primeiros anos passam por muitos problemas e chegam a fechar seus negócios. Quem empreende tem que investir em qualificação técnica e vamos colaborar”, disse.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: