ENGENHARIA DA CORRUPÇÃO: Veja como um vereador desviou dinheiro público para a conta da mãe

A Justiça bloqueou os bens do vereador Ítalo Mendonça para garantir que ele pague pelo prejuízo que causou aos cofres públicos da cidade de Macau. Pelos cálculos iniciais do Ministério Público, o parlamentar conseguiu desviar das contas da Prefeitura, a quantia de 128 mil reais. Uma auditoria preliminar mostrou que esse valor pode facilmente superar os 200 mil reais.

Mas, como é que o vereador conseguiu desviar tanto dinheiro sem que ninguém notasse? É aí onde está a engenharia da corrupção.

Ítalo Mendonça ocupou cargo de confiança na gestão interina de Einstein Barbosa, oportunidade em que teve direito a uma senha para entrar no sistema da folha de pagamento do funcionalismo municipal. Foi aí que ele pôs em prática o plano para desviar dinheiro público.

Como funcionava o esquema: Ítalo Mendonça, usando a senha do sistema, identificava algumas pessoas que estavam aposentadas, recebendo dinheiro pela MacauPrev. Ele então pegava os dados dessa pessoa, que tinha sido servidor efetivo da Prefeitura de Macau e implantava novamente no sistema. Na teoria, a pessoa receberia pela Prefeitura e pela MacauPrev. Mas na prática, era diferente. Ítalo Mendonça fez funcionar seu esquema de desvio de dinheiro público. Ele pegava todos os dados da pessoa que estava aposentada, implantava novamente no sistema como efetivo, mas o segredo da engenharia do roubo aos cofres públicos está justamente na conta que o vereador Ítalo Mendonça apontava para que o dinheiro fosse depositado. Não era a conta do servidor. Era a conta da própria mãe que ele implantava no sistema para que o dinheiro fosse desviado. A pessoa, que estava tendo seu nome usado indevidamente, sequer sabia da tramoia que estava acontecendo.

Toda a engenharia da corrupção montada pelo vereador Ítalo Mendonça para desviar dinheiro da folha dos servidores públicos, está comprovada (confira 1 e 2).

O vereador usou de todas as artimanhas para tentar esconder seus crimes, mas tudo ficou gravado no sistema  através de documentos com dados e fatos incontestáveis. Esses fatos ocorreram na época em que Einstein Barbosa delatou o então prefeito Kerginaldo Pinto para assumir seu lugar.

Algumas das falcatruas Ítalo Mendonça fez quando já estava afastado do cargo comissionado para ser candidato a vereador, mas continuou usando a senha para praticar crimes sem que nenhuma providência tivesse sido tomada pela gestão da época. Hoje, Einstein é procurador da Câmara em que Ítalo Mendonça é secretário da mesa diretora.

Macau pode esperar alguma coisa dessa Câmara, que tem uma presidente cujo lema é: “Rouba, mas faz”. ?

Será que os vereadores farão algo para tentar não se contaminar com a sujeira do vereador Ítalo Mendonça? Ou o corporativismo conivente vai falar mais alto?

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: