Fuga em Mossoró causa primeira ofensiva da oposição contra Lewandowski

fuga de dois integrantes do Comando Vermelho do presídio federal de Mossoró (RN) foi o pretexto que a oposição precisava para iniciar a primeira ofensiva contra Ricardo Lewandowski, que tomou posse no Ministério da Justiça e Segurança Pública no dia 1º deste mês.

Dois requerimentos de informação e um pedido de convocação foram apresentados por deputados bolsonaristas para Lewandowski esclarecer quais foram as circunstâncias que permitiram a primeira fuga de presídios federais na história.

Como administra crises envolvendo a segurança pública, o Ministério da Justiça tornou-se o alvo preferido da oposição. Flávio Dino, antecessor de Lewandowski na pasta, compareceu diversas vezes à Câmara para ser interpelado por bolsonaristas. Em certo momento, Dino decidiu desobedecer ordens de convocação devido à insistência da oposição em chamá-lo para debater os mesmos temas.

Havia uma preocupação do governo Lula em blindar o início da gestão de Lewandowski da ação de parlamentares da Comissão de Segurança Pública, dominada por bolsonaristas em 2023. A composição do colegiado para este ano legislativo não está definida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.