Fux afirma que escolha de Sérgio Moro foi ‘por genuína meritocracia’

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse nesta quinta-feira, 1, ao Broadcast Político que o juiz federal Sergio Moro, da Operação Lava Jato, é um ‘excelente nome’ para comandar o superministério da Justiça no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). “A sua escolha foi a que a sociedade brasileira faria, se consultada”, disse o ministro.

Na avaliação de Luiz Fux, o juiz federal é “símbolo da probidade e da competência”. Para o ministro, a escolha de Sergio Moro foi “por genuína meritocracia”.

“(Moro) Imprimirá no Ministério da Justiça a sua marca indelével no combate à corrupção e na manutenção da higidez das nossas instituições democráticas, prestigiando a independência da Polícia Federal, do Ministério Público e do Judiciário”, disse Fux.

‘Marketing’. Um segundo ministro do STF, que pediu para não ser identificado, acredita que a ida de Moro ao superministério da Justiça foi uma “jogada de marketing” do governo Bolsonaro – com data de validade – e colocará o magistrado no centro do debate político, vulnerável a críticas sobre a sua futura gestão. Teo Cury e Rafael Moraes Moura/O Estado de São Paulo

Para esse integrante do STF, juízes, de uma forma em geral, são ‘péssimos gestores’ e a futura nomeação de Moro dá munição ao discurso do PT de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso e condenado no âmbito da Operação Lava Jato, é alvo de perseguição política e de julgamento parcial.

Procedimentos. O corregedor nacional de Justiça, Humberto Martins, disse nesta quinta-feira ao Broadcast Político que os procedimentos disciplinares que tramitam no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para apurar a conduta do juiz federal Sérgio Moro na Operação Lava Jato serão “analisados no tempo certo”. Cabe ao CNJ julgar processos disciplinares e aplicar sanções administrativas contra juízes.

“Os casos de Sérgio Moro serão analisados no seu tempo. O corregedor nacional analisará tudo dentro do tempo, independentemente de ser indicado ministro, nao ser indicado. Não sei nem qual será a minha decisão, vou analisar caso a caso”, disse Martins à reportagem.

Para o advogado Valdetário Monteiro, conselheiro do CNJ, a “experiência do juiz Sergio Moro em 22 anos de magistratura e lidando com matérias de altíssimo conhecimento técnico serão de grande valia ao novo governo”.

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: