fbpx

Governadora do RN terá minoria na Assembleia e bancada federal

Os resultados das urnas nas eleições para os Legislativos favoreceram, amplamente, a oposição com as eleições de 15 deputados estaduais oposicionistas – de uma bancada de 24 cadeiras na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, enquanto são nove os deputados eleitos e reeleitos que apoiam a governadora Fátima Bezerra (PT).

As eleições de domingo (02) também revelaram que a governadora Fátima Bezerra poderá ter dificuldades em defender projetos de seu interesse no Congresso Nacional, vez que o seu partido, o PT elegeu apenas dois deputados federais – a reeleita Natália Bonavides e Fernando Mineiro — e passará a contar apenas com o apoio da senadora Zenaide Maia (PROS) na Câmara Alta do país em função do senador Jean Paul Prates (PT) não ter disputado a reeleição.

Em contrapartida, a oposição contará em Brasília com oito parlamentares, os reeleitos deputados federais João Maia, General Girão (PL) e Benes Leocádio (União Brasil) e os novos deputados Robinson Faria e Sargento Gonçalves (PL), o vereador natalense Paulo Freire (União Brasil) e ainda o senador eleito Rogério Marinho (PL), que toma a vaga de Prates e o senador Styvenson Valentim (Podemos).

Com a abertura da 63ª Legislativa em 02 de fevereiro, a bancada da oposição terá a atuação dos deputados José Dias, Gustavo Carvalho, Tomba Farias, Nelter Queiroz e Galeno Torquato, Kerginaldo Jácome (PSDB), Coronel Azevedo, Wendel Lagartixa, Terezinha Maia e Neilton Diógenes (PL), Cristiane Dantas e Luís Eduardo Bento (Solidariedade), Taveira Júnior e Ivanilson Oliveira (União Brasil) e Adjuto Dias Neto (MDB).

Já a bancada da situação contará com os deputados Os petistas reeleitos Francisco do PT, Isolda Dantas e Divaneide Basílio (PT), George Soares, Eudiane Macedo e Hermano Morais (PV), Ezequiel Ferreira, Kleber Rodrigues e Dr. Bernardo (PSDB).

Parlamentares de situação e oposição avaliaram como fica a relação com o governo, como o deputado Gustavo Carvalho, que disse o seguinte: “Muito cedo para esta análise e muito tarde para decepções”. No entanto, Carvalho acrescentou que “minha posição já é clara, definida e transparente”, quanto sua permanência na bancada oposicionista.

O deputado reeleito José Dias afirma que este será o seu último mandato na Assembleia, mas declarou que se “no campo estadual não foi do seu agrado, mas tem que respeitar porque numa democracia tem que se respeitar as regras do jogo”.

José Dias afirma que continuará sendo oposição ao governo Fátima Bezerra: “Parece até que é uma boa sina. Vamos pedir a Deus que as coisas não piorem tanto porque a governadora se elegeu só dizendo que pagou o funcionalismo sem ter feito nada de fundamental na saúde, na educação, na segurança e na economia do Estado”.

A deputada estadual reeleita Cristiane Dantas (Solidariedade) relata que “terá comportamento a favor do RN, nas pautas que forem boas para a sociedade votaremos a favor”.

Com relação ao fato da oposição ser maioria na Casa, “isso é o que menos importa, pois os deputados trabalham a favor da sociedade, e não contra ou a favor de governo. Acreditamos que a maioria dos deputados votarão com independência”.

O deputado Coronel Azevedo (PL) já enfatizava, no plenário da Assembleia, o desempenho eleitoral do seu partido, que constituirá a segunda maior bancada da Casa: “Aqui no Estado elegemos quatro deputados estaduais, quatro federais e um senador. Uma bancada que vai trabalhar a favor do Rio Grande do Norte”.

Azevedo destacou que os colegas de partido, deputado estadual eleito Wendell Almeida e o deputado federal eleito Sargento Gonçalves, “vão trabalhar em defesa da segurança e dos agentes, principalmente da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar”. A segurança precisa ser resgatada com ação do poder público, assim como a Educação e a malha viária do Estado”.

Para o deputado Nelter Queiroz (PL) “a eleição não terminou. Nós temos a eleição do segundo turno para presidente” e esse “é um cenário que o resultado vai também percutir no Estado”.

Na opinião de Queiroz, a oposição já saiu vitoriosa elegendo um senador, seis deputados federais e 15 deputados estaduais, mas “ganhando o presidente Bolsonaro, a coisa vai tomar outro rumo”.

Atual líder do governo na Assembleia, o deputado Francisco do PT diz acreditar que “com a boa capacidade de diálogo do nosso governo haveremos de construir uma bancada em sintonia com o governo e os interesses do povo potiguar”.

Segundo Francisco, “já existem diálogos em andamento e acredito na possibilidade real de uma bancada consistente de apoio ao governo, mas por hora nosso empenho maior tem sido no sentido de viabilizar a vitória do ex-presidente Lula no segundo turno das eleições”. Vereadora em Natal e deputada eleita, Divaneide Basílio afirma que “maioria na Assembleia se constrói no diálogo”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: