fbpx

Governo Lula vira ‘cabide de emprego’ para deputados não eleitos e petistas esquecidos

A composição inicial do governo Lula 3 no segundo e terceiro escalões tem sido marcada pela nomeação de deputados não eleitos e de petistas que, em outras épocas, foram alijados ou esquecidos.

Somente no Ministério da Justiça de Flávio Dino, dos sete secretários da pasta, cinco são parlamentares que não conseguiram se eleger nas eleições de outubro.

Elias Vaz (PSB-GO) foi nomeado secretário de Assuntos Legislativos; Tadeu Alencar (PSB-PE) é o novo secretário Nacional de Segurança Pública; Wadih Damous (PT-RJ) assumiu a Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor; o advogado Augusto de Arruda Botelho (PSB-SP) foi indicado para a Secretaria Nacional de Justiça e Marivaldo Pereira (PSOL-DF) ficou com a Secretaria de Acesso à Justiça.

Na Conab, Neri Geller (PP-MT), deve ser nomeado até o final dessa semana para dirigir a Companhia Nacional de Abastecimento e o deputado federal Hildo Rocha (MDB-MA) é tido como nome certo para ser o próximo secretário-executivo do Ministério das Cidades. Os dois também tentaram as urnas e não se elegeram.

Em relação aos petistas que estavam fora dos holofotes, dois nomes se destacam: a da ex-ministra do Planejamento e ex-presidente da Caixa Econômica Federal Miriam Belchior que assumiu a Secretaria Executiva da Casa Civil e do ex-chefe de gabinete de Lula Gilberto Carvalho, que deve assumir a Secretaria de Economia Solidária do Ministério do Trabalho.

O antagonista

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: