Jumento está entre os premiados como “prefeito nota 10 do Brasil”

Dados do Tribunal de Contas do Estado (TCE) mostram que, em três premiações realizadas em Porto Alegre em 2016 e 2017, o instituto faturou R$ 116 mil em quase uma centena de Câmaras e prefeituras.

— A empresa, pelo que vimos, atribui o prêmio em decorrência de pesquisa telefônica feita com eleitores. E que não é comprovada, o que revela fraude — diz Valtuir Nunes, porta-voz do TCE.

Promoção pessoal e lucro para empresas

Para o chefe do MP, Fabiano Dallazen, “esses eventos visam à promoção pessoal do agente público e ao lucro das empresas”. O especialista em gestão pública, Aloísio Zimmer, diz que o mais preocupante são as notícias falsas geradas como repercussão das premiações, especialmente em blogs e redes sociais, o que pode, inclusive, influenciar eleições:

— Cria-se até mesmo uma implantação de falsas memórias no cidadão que depois será eleitor, porque o prefeito passa uma imagem de bom gestor.

Administração de jumento foi considerada “nota 10”

A empresa União Brasileira de Divulgação (UBD), de Pernambuco, também usa o pretexto de organizar seminários para oferecer premiações a políticos. Para demonstrar a falta de critérios na concessão dos títulos de “gestor nota 10”, a equipe negociou a compra de diploma e medalha a um jumento, o Precioso, de Paulista (PE). O custo da honraria foi de R$ 1.480.

O repórter se fez passar por assessor de três prefeituras gaúchas. Inicialmente, adquiriu dois certificados para prefeitos reais, que autorizaram o uso de seus nomes para desvendar a farsa.

Na cerimônia de entrega da premiação em Brasília, verificou-se que o seminário se resumia à entrega das homenagens.

A equipe do Fantástico conseguiu incluir o jumento Precioso na  lista dos supostos cem melhores prefeitos do país ao negociar com o diretor da UBD, Fernando Vieira da Cunha.

A compra da honraria foi feita por meio de troca de mensagens.

Precioso, então, foi convidado a receber a medalha de mérito e o diploma Gestor Nota 10 em outro encontro, desta vez em um hotel de Recife (PE). Ele teria sido  aprovado em saúde, infraestrutura, educação, assistência social e transparência pública. Convidado pelo repórter a entregar o diploma no lado de fora do hotel,  Cunha deparou com o jumento. Questionado se sentia vergonha em conceder um diploma ao animal, disse:

— Não, porque esse aqui carregou Jesus Cristo, ou não?

Contraponto

O que diz o Instituto Tiradentes
Por meio de nota, o instituto informa que não comercializa medalhas e diplomas de mérito, nem certificados de participação em seus seminários, que são emitidos, apenas, àqueles participantes presentes em pelo menos 75% dos seminários.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: