Justiça prorroga prisão de ex-assessor de Temer e ex-governadores

A Justiça negou o pedido de relaxamento de prisão feito por Tadeu Fillipelli, ex-assessor do presidente Michel Temer, pelos ex-governadores do Distrito Federal Agnelo Queiroz e José Roberto Arruda, e outros seis detidos na Operação Panatenaico, deflagrada na última terça-feira para apurar fraudes na construção do estádio Mané Garrincha, em Brasília. Todos eles tiveram ainda a prisão temporária prorrogada por mais cinco dias, a pedido da Polícia Federal.

Ao decidir, o juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, afirmou que a libertação dos investigados poderá atrapalhar a apuração, que já encontrou documentos que aparentam ser “tabelas de propina”, agendas com marcação de encontros entre investigados, o que demonstra vínculo, entre outros materiais.

Ele destacou ainda que “inúmeras diligências” ainda poderão ser cumpridas atingindo terceiros, o que leva à necessidade da prorrogação da prisão. Soltos, os investigados podem criar obstáculos para o avanço da investigação, segundo o magistrado. Por Renata Mariz, de O Globo.

Oliveira ressaltou que os problemas de saúde apontados pelos investigados para terem direito à liberdade não são capazes de afastar a necessidade de suas custódias. E que eventuais necessidades poderão ser supridas no ambiente prisional em que se encontram, por meio de visitas médicas ou até encaminhamento a determinados centros de saúde ou hospital.

“Sem contar o fato de que se trata de pessoas que ocuparam cargos e posições políticas e públicas de destaque no Distrito Federal em passado próximo, e/ou que possuem elevado poder político/financeiro/operacional, o que afasta todas as alegações, conquanto bastante judiciosas, formuladas pelos defensores dos custodiados em seus pedidos de revogação/não prorrogação da segregação cautelar temporária”, disse Oliveira.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: