Lira atribui ataque a Moraes no Twitter da Câmara a invasão hacker

O presidente da Câmara, Arthur Lira, disse à coluna neste sábado (10/2) que o tuíte do perfil oficial da Casa no Twitter com ataques ao ministro Alexandre de Moraes, do STF, e ao presidente Lula foi feito a partir de uma invasão hacker da conta. A publicação já foi apagada.

“A reclamação já havia chegado na comunicação e a informação de lá é que foram hackeados, estão tomando providências”, afirmou Lira à coluna.

O presidente da Câmara não quis fazer mais comentários sobre o assunto e a assessoria de imprensa dele informou que a senha da conta foi alterada pelos administradores.

Em um primeiro momento, ao receber da coluna uma imagem do tuíte, Arthur Lira perguntou se a publicação estava de fato na página da Câmara ou se poderia ser uma imagem adulterada. Ao ouvir que o tuíte era verdadeiro e seguia no ar, Lira disse que buscaria informações com o deputado Jilmar Tatto, do PT de São Paulo, secretário de Comunicação da Câmara.

A publicação, que foi veiculada às 11h09, chamou Moraes de “ditador” e atacou também o presidente Lula. O tuíte foi apagado cerca de 15 minutos depois.

“O DITADOR Alexandre de Moraes destrói a democracia. Estão planejando um golpe de Estado orquestrado pelo Alexandre e por @LulaOficial. Serei caçado, mas estou lutando contra”, disse o tuíte, que marcou os perfis do ex-presidente Jair Bolsonaro, do vereador Carlos Bolsonaro, do pastor Silas Malafaia e do influenciador Monark.

Perfil da Câmara publicou ataque ao ministro do STF Alexandre de Moraes
Perfil da Câmara publicou ataque ao ministro do STF Alexandre de Moraes

Leia a nota enviada pela Câmara sobre o episódio:

“A conta oficial da Câmara dos Deputados no X foi hackeada na manhã deste sábado, 10, e postada uma mensagem injuriosa.

Menos de 15 minutos depois, o texto foi apagado e imediatamente trocada a senha de acesso para que novos ataques cibernéticos não sejam realizados.

As autoridades policiais e medidas de segurança foram acionadas. A Câmara dos Deputados também fará uma investigação interna.

Estamos empenhados na melhoria contínua dos nossos processos de segurança para evitar que novos episódios como esse voltem a ocorrer”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.