Lula indica Flávio Dino para o STF e Paulo Gonet para a PGR

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, confirmou a indicação para vagas aos cargos de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e de procurador-geral da República (PGR). Tratam-se de Flávio Dino e Paulo Gonet, respectivamente. Os nomes foram encaminhados ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, nesta segunda-feira (27).

A confirmação foi feita através de publicação nas redes sociais do presidente. Em fotos, Lula aparece ao lado dos indicados e de membros do Governo Federal.

Com a oficialização das indicações, Dino e Gonet precisarão ser sabatinados pelo Senado, que dará parecer pela aprovação ou não dos nomes. Ainda não há data definida para a sabatina.

Quem é Flávio Dino

Maranhense e filho de advogados, Flávio Dino já em seus primeiros meses como ministro, ganhou protagonismo depois dos atos antidemocráticos do 8 de Janeiro, colecionou embates com parlamentares da oposição e chamou a atenção nas redes sociais. Mais recentemente, tem driblado convites da Comissão de Segurança Pública na Câmara, foi figura importante no decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) nos portos e aeroportos e buscou se desvincular do caso da presidente de ONG ligada ao Comando Vermelho que fez duas visitas ao Ministério da Justiça, como revelou o Estadão.

Ele começou sua carreira no Judiciário e chegou a ser juiz federal da 1ª Região entre 1994 e 2006, quando se candidatou para a Câmara dos Deputados e entrou na vida política. Foi deputado federal, presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), governador do Maranhão e, em 2022, foi eleito senador pelo PSB, mas se licenciou do Senado para assumir o Ministério da Justiça no governo Lula.

Quem é Gonet

Discreto e com carreira que foge dos holofotes, o subprocurador Paulo Gonet passou por uma peneira. Lula tinha na lista de preferências para o comando do Ministério Público Federal nomes mais próximos ao PT e com perfil anti-Lava Jato. Lula preferiu seguir conselhos de ministros do STF para optar por Gonet.

Gonet tem as bênçãos dos ministros Alexandre de Moraes e Gilmar Mendes. O subprocurador entrou no MPF em 1987. Sua ligação com Gilmar Mendes vem dessa época. Gilmar também foi membro do Ministério Público. Os dois já escreveram livros juntos e fundaram o Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), instituição de ensino superior na área de direito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.