Maternidade Januário Cicco precisa de doação de leite

A doação de leite, apesar de ser fortemente estimulada em todo o Brasil, encontra diariamente dificuldades no devido abastecimento dos seus bancos. Mesmo com a celebração do Dia Nacional da Doação de Leite Humano, no último dia 19 de maio, a Maternidade Januário Cicco se vê diante de um futuro incerto sobre o suprimento para a demanda interna diária da instituição, que necessita de sete a oito litros diários, enquanto consegue suprir para seus pacientes apenas de quatro a cinco litros e meio. Em Natal, a doação de leite materno pode ser realizada nos hospitais Maternidade Januário Cicco, Hospital da Polícia Militar, na Maternidade Divino Amor, em Parnamirim, e no Hospital Santa Catarina, na Zona Norte.

Em Natal, os bancos de leite materno pasteurizado são voltados para suprir a necessidade de bebês prematuros e patológicos, podendo também ser utilizados por bebês internados em UTIs Neonatais ou em tratamentos domiciliares, o último podendo ser amparado apenas pelo serviço direto de pasteurização realizado pela Maternidade Januário Cicco.

Com demanda interna de sete a oito litros de leite por dia, a Maternidade ainda funciona como centro de tratamento do leite vindo de outros hospitais privados. Reconhecido pela Fiocruz como referência no tratamento de leite, a Januário Cicco é o único banco de leite do estado que é autorizado a pasteurizar o leite de outras instituições privadas, abastecendo os bancos de leite das UTI Neonatais dos hospitais Unimed, Hapvida, Rio Grande, Varela Santiago, e para o Hospital Ana Bezerra, em Santa Cruz, o que aumenta o volume de entrada de leite nos laboratórios do banco, sem significar que o estocado será destinado para o uso da Maternidade.

Apesar do estigma de que o leite de lactantes tardias não é ideal para recém-nascidos, todos os leites são aceitos pela instituição. A enfermeira coordenadora do banco de leite da Maternidade, Adriana Cristina, alerta para a importância da quebra do estigma, enfatizando a necessidade de todos os leites para a continuidade do funcionamento do banco de leite. “Tanto faz a mulher ser lactante porque teve seu bebê agora, como tanto faz se ela é lactante de um bebê de um ano de idade, todos os dois leites serão bem-vindos, não haverá a interferência no quão forte ou fraco o leite será”, informa Adriana.

Para a realização da doação de leite materno, a doadora precisa ter uma produção de leite além da necessária pelo seu próprio bebê e estar em boa condição de saúde, o que inclui a não utilização de medicações no período da doação. “Caso a mulher tenha adoecido, é necessário que, além da melhora total da enfermidade, ela tenha metabolizado toda medicação que ela possa ter tomado no período de tratamento”, alerta a coordenadora.
“As lactantes interessadas em doar devem procurar qualquer um dos bancos de leite para a realização do pré-cadastro, que será seguido pela visita domiciliar para o cadastro e instruções de armazenamento, e em seguida receberão os frascos já etiquetados e as inscrições para a coleta do leite armazenado. É oferecido o apoio do Corpo de Bombeiros ”, realizam rotas para buscar as doações após a sinalização de que estão prontas para irem ao banco. O contato com a maternidade deve ser feito através do contato (84) 3342-5800 ou pelo Whatsapp (84) 99135-8217.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.