Medo de Terceira Guerra Mundial domina as redes após ataque dos EUA contra general do Irã

No final do primeiro dia útil de 2020, o mundo convive com uma escalada da tensão no Oriente Médio.

Um ataque realizado pelos Estados Unidos contra um aeroporto de Bagdá, capital do Iraque, na madrugada desta sexta (3, noite de quinta no Brasil) matou o general Qassim Suleimani, principal comandante militar do Irã e o líder de uma milícia local pró-Teerã.

O bombardeio foi operacionalizado por um drone e a ação autorizada pessoalmente pelo presidente Donald Trump, que logo após o ataque postou em uma rede social a bandeira dos EUA, sem maiores comentários.

Considerado um herói no país, Suleimani recebeu uma oração em rede nacional como homenagem e foi chamado de mártir. O militar liderava há mais de 20 anos a força Quds, braço de elite da Guarda Revolucionária do Irã responsável pelo serviço de inteligência e por conduzir operações militares secretas no exterior.

O governo iraniano convocou uma reunião de emergência de sua cúpula de segurança para debater uma resposta ao ataque.

O Pentágono afirmou que o ataque foi feito para impedir que o Irã realizasse novos ataques contra alvos americanos.

A tensão entre Teerã e Washington acaba de atingir, portanto, um nível estratosférico.

Especialistas consideram o maior em pelo menos dez anos.

As redes sociais refletem esse momento.

Em poucas horas, dominam os assuntos mais comentados no mundo no Twitter neste momento (2h desta sexta, 3):

  • Trump, com 2 milhões de tuítes
  • Iran, 1,2 milhão de tuítes
  • World War 3, com 455 mil tuítes
  • WWIII, com 160 mil tuítes

No Brasil, Terceira Guerra Mundial já conta com 131 mil tuítes.

É muito cedo ainda para prever quais serão as reais consequências dessa crise. O Irã já prometeu duras retaliações contra os Estados Unidos, mas parte dos analistas considera improvável uma resposta iraniana direta contra território ou bases americanas. O que pode acontecer é uma intensificação dos conflitos pulverizados que ocorrem no Oriente Médio há décadas. Ao mesmo tempo, não responder, seria, do lado iraniano, mostrar fraqueza, o que não deve passar na cabeça do aiatolá Ali Khamenei, dada a importância estratégica de Suleimani para o Irã. Neste momento, todas as cartas estão sobre as mesas e nenhuma hipótese pode ser rapidamente descartada.

Antes de qualquer alarmismo, no entanto, é importante lembrar que em pelo menos dois momentos dos últimos anos as pessoas na internet temeram uma Terceira Guerra Mundial como se fosse um evento iminente.

Em 2016, quando a Rússia apresentou o míssil Satã 2.

Em 2017, quando os Estados Unidos lançaram 59 mísseis Tomahawk de dois navios de guerra americanos no Mar Mediterrâneo e atingiram a base aérea de Al Shayrat, em Homs, destruindo caças sírios, munição, radares e outros equipamentos militares. A ação foi uma retaliação de Donald Trump ao ataque químico em Khan Sheikhun, na Síria, dois dias antes, que matou ao menos 80 pessoas, dezenas delas crianças.

Para quem se lembra bem daquele momento de 2017, o clima era bem parecido com o que estamos vivendo agora. As redes estavam em polvorosa com ameaça de escalada do conflito. Como sabemos, a Terceira Guerra Mundial não se concretizou.

Nos Estados Unidos, muitos internautas lembraram que o ex-presidente democrata Bill Clinton fez algo parecido em 1998. Acuado, assim como Trump, com uma ameaça de impeachment, ele lançou um ataque aéreo no Iraque, como mostra manchete do The New York Times de 17 de dezembro daquele ano.

Como sabemos, a Terceira Guerra Mundial também não começou no fim dos anos 90. A história, no entanto, é imprevisível, e nunca se sabe o que se passa na cabeça de aiatolás e Trumps, ainda mais após uma morte tão simbólica como esta.

O preço do petróleo e as ações da indústria armamentista, por exemplo, estão em alta nesta sexta. Guerra costuma ser lucrativa para alguns poucos poderosos.

Nesta madrugada, os tuítes variam entre a preocupação séria e os memes e piadas. A impressão que se tem é que se o mundo de fato entrar em guerra ainda assim parte da internet continuará fazendo piadas sobre o tema, com os brasileiros disputando o pódio.

Outro termômetro para sentir o quão as pessoas estão nervosas com o assunto são as buscas do Google.

Nas últimas quatro horas, há um crescimento expressivo no interesse por “Terceira Guerra Mundial”, no Brasil, e “World War 3”, nos EUA.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: