Morre mais uma criança, e vítimas de fogo em creche de MG chegam a dez

Resultado de imagem para Morre mais uma criança, e vítimas de fogo em creche de MG chegam a dez

Morreu na manhã deste sábado (7) a décima vítima do ataque incendiário registrado na última quinta-feira (5) em uma creche municipal de Janaúba, no norte de Minas Gerais.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, Talita Vitória Bispo, de 4 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu hoje no hospital João 23, em Belo Horizonte.

Ela havia sido transferida à unidade hospitalar mais cedo, às 5h, da Santa Casa de Misericórdia de Montes Claros, a cerca de 130 km de Janaúba.

Com Talita, já são dez os mortos na tragédia —entre os quais, o autor do ataque, o segurança Damião Soares dos Santos, 50, e a professora Heley de Abreu Silva Batista, 43, que tentou contê-lo e salvar os alunos no momento do crime. As informações são do UOL. 

Além de Talita, a Santa Casa de Montes Claros transferiu para o João 23, nas últimas horas —às 23h30 desse sábado (6)—, também o paciente Mateus Felipe Rocha Santos, de 5 anos.

Outros nove pacientes seguem internados na Santa Casa, entre os quais, duas adultas, de 23 anos e 51 anos, que respiram com ajuda de aparelhos. Sete crianças com idades entre 3 e 6 anos estão com quadro estável.

PREOCUPAÇÃO

Em visita ao Hospital João 23, em Belo Horizonte, o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Luciano Chaves, afirmou que a maior preocupação dos médicos em relação às vítimas de incêndio em creche de Janaúba (MG) é com a queimadura de vias respiratórias.

“As queimaduras, além do comprometimento da superfície corporal, tem a gravidade do comprometimento pulmonar. A inalação da fumaça prejudica muito o prognóstico de saúde das crianças”, disse.

Segundo ele, o comprometimento das vias aéreas tem potencial mais grave.

Três crianças de 2, 3 e 5 anos, tiveram queimaduras nas vias aéreas e foram transferidas na manhã desta sexta (6) do hospital João 23 para o hospital Odilon Behrens, ambos em BH. As crianças respiravam com a ajuda de aparelhos e o estado era considerado grave. Chaves informou que o banco de peles da Santa Casa de Porto Alegre tem peles suficientes para 15 crianças e que o material já está bloqueado para ser usado nas vítimas de Janaúba se necessário.

A sociedade também ofereceu equipe médica de emergência para reforçar o atendimento no João 23, que é um hospital de referência para o tratamento de queimaduras na América Latina.

Chaves foi ao hospital prestar solidariedade e apoio científico. “O que vimos no CTI é uma cena muito triste, são crianças que estão todas entubadas, é um quadro realmente grave.”

DOAÇÃO

O hospital João 23 também recebeu nesta sexta uma doação de vinte caixas de curativos de biocelulose para queimaduras. Cada caixa contém 12 películas de 16 cm por 21 cm, quantidade que pode atender as dez pessoas internadas atualmente no hospital –oito são crianças.

Segundo a enfermeira Ludmila Ramalho, a empresa responsável pela fabricação dos curativos, chamados de Nexfill, ofereceu a doação ao hospital, que aceitou prontamente. Os curativos são finos como uma folha de seda, são transparentes e de uso único, não é preciso trocá-lo constantemente.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: