Novo diretor-geral da PF vai prestar esclarecimentos em Comissão do Senado

Resultado de imagem para segovia

A Comissão de Direitos Humanos do Senado aprovou nesta quarta-feira convite para que o novo diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, preste esclarecimentos sobre sua indicação ao cargo e possíveis interferências na Lava-Jato. O requerimento foi apresentado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Por se tratar de convite, Segovia não é obrigado a comparecer.

O senador justifica que saber os motivos que levaram o delegado à frente da PF “é essencial” para o sucesso da Lava-Jato, assim como também explicar as ligações dele com seus possíveis investigados, como o ex-presidente José Sarney, e o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha.

“Policiais federais têm se mostrado preocupados com essa troca, uma vez que existe o receio que essa mudança possa prejudicar as investigações em andamento da Operação Lava Jato, que inclusive inclui o presidente Michel Temer e boa parte da sua base”, diz Randolfe. As informações são de O Globo.

Na solenidade de transmissão de cargo, Segovia disse que não irá interferir nas investigações da Lava-Jato. Ele também prometeu celeridade nas investigações contra Temer.

— Ele (Temer) continuará sendo investigado, sem nenhum problema. Terá toda celeridade, como os demais inquéritos no Supremo Tribunal Federal — disse Segovia.

O diretor-geral levantou suspeitas sobre a conclusão das investigações da JBS por parte da Procuradoria Geral da República (PGR), que resultou nas duas denúncias contra Temer. Segovia disse que, se dependesse da PF, a apuração não teria terminado em prazo tão curto.

— Talvez uma única mala não desse toda a materialidade para apontar se houve ou não crime, e quais são os partícipes. Isso poderia ter sido respondido se a investigação tivesse mais tempo. E quem colocou esse deadline foi o Ministério Público Federal. E também seria esclarecido por que Joesley (Batista, dono da JBS) sabia quando iria acontecer (a divulgação da delação) para ganhar milhões no mercado de capitais — disse Segóvia.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: