Operação Lava Dirceu

O senador Sergio Moro (União-PR) ironizou nesta sexta-feira, 26, o retorno de José Dirceu à TV após quase duas décadas de ostracismo.

“Operação Lava Dirceu a todo vapor, em breve Lula poderá indicá-lo para CEO de uma grande empresa brasileira”, escreveu o ex-juiz da Lava Jato na rede social X, antigo Twitter.

Como mostrou Crusoé, José Dirceu voltou, tentando recuperar sua visibilidade política e recobrar algum protagonismo no PT.

Mensaleiro condenado no petrolão, envolvido nos dois maiores esquemas de suborno da história do Brasil, ele já havia feito saber que abençoa o retorno de Marta Suplicy ao PT para figurar como vice na chapa à prefeitura de São Paulo que terá o psolista Guilherme Boulos como titular.

Antes disso, circularam declarações de Dirceu num podcast em que ele disse que é “quase uma covardia” o PT não apoiar as medidas econômicas defendidas pelo ministro da Fazenda Fernando Haddad.

A manifestação mais espalhafatosa de Dirceu aconteceu ainda em meados de 2023, quando ele e o advogado Kakay, do Grupo Prerrogativas, posaram juntos em Paris celebrando a cassação do mandato de deputado federal do ex-procurador da Lava Jato Deltan Dallagnol.

Pesam contra Dirceu condenações a quase 42 anos de cadeia, sobretudo por crimes de corrupção.

A construção da narrativa

Ao dar as caras na TV, José Dirceu adota a premissa de Lula (PT) de que crimes de corrupção e abusos de poder podem ser esquecidos se houver “narrativa melhor”.

“Se eu quiser vencer uma batalha, eu preciso construir uma narrativa para destruir o meu potencial inimigo”, disse Lula ao lado de Nicolás Maduro, durante visita do ditador venezuelano ao Brasil em junho de 2023.

Sobre Dirceu, Lula disse, em fevereiro de 2023, que ele “não tem que andar escondido, tem que colocar a cara para fora e brigar”.

“Você tem que brigar para construir uma outra narrativa na sociedade brasileira”, acrescentou.

A narrativa segue em construção, com a colaboração da imprensa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.