Pacientes reclamam de politicagem na Maternidade de Assu e denunciam que cargos políticos circulam em áreas exclusivas aos profissionais do setor expondo mãe e nascituro a possíveis infecções

O silêncio ensurdecedor do Hospital Regional e da Maternidade de Assú sobre óbitos que acontecem tem gerado uma preocupação enorme na população, porque um sistema de saúde pago com recurso do povo deve satisfação sim, no sentido de esclarecer e tirar as dúvidas e temores da população.

Mas a Direção do Hospital ao invés de se pronunciar sobre os problemas e dizer o que está sendo feito para melhorar, identificando os erros e buscando estratégias para resolvê – los, prefere fazer a velha politicagem, e o Blog recebeu denúncias sobre  a exibição ilegal de pacientes, já que eles estão numa situação de vulnerabilidade por estarem no local e chega indicados em cargos de direção que se utilizam do cargo para estar em áreas que são exclusivas aos profissionais do setor, cheia de adornos em um centro cirúrgico ou similares, e sem o mínimo de conhecimento sobre biossegurança e higienização, expondo inclusive a mãe e o nascituro ao risco de infecção hospitalar.

O uso de acessórios como anéis, brincos e pulseiras no ambiente hospitalar pode comprometer o estado de saúde de um paciente, por serem objetos que facilitam a contaminação por vírus ou bactérias, normas simples de segurança.

E é fácil deduzir o porquê de cargos políticos estarem querendo fazer uma propaganda a todo custo da Maternidade e do Hospital, se utilizando do serviço publico para obter vantagens pessoais, que é manter seu cargo em meio à enxurrada de reclamações e clara incompetência em gerir a saúde com inúmeras falhas e sem a humildade de reconhecer as falhas.

Já escutamos relatos de pessoas que se sentiram constrangidas e coagidas, porque estão numa situação de fragilidade e com medo de receberem um mau atendimento, aceitam as fotos.

Mas a verdade é que todo cidadão que é atendido na rede pública tem esse direito garantido por Lei, e o fato de necessitar dos serviços do SUS não implica que eles são obrigados a participarem de ações feitas com finalidade única e exclusivamente política.

Aqui fica o alerta, para que a gestão de saúde entenda que nenhum atendimento é FAVOR e sim uma OBRIGAÇÃO, e constranger e coagir pessoas emocionalmente vulneráveis em sala de hospital é algo repugnante.

Mas na cidade do Assú e região isso é bem comum, porque a gestão da saúde liderada pelo deputado George e o prefeito Gustavo sabem que precisam a todo custo se utilizar de material nas redes sociais com intuito de enganar a população, porque se o serviço funcionasse bem não haveria enxurrada de criticas.

A realidade da saúde é bem mais triste do que se imagina, e a população já entendeu essa manobra, principalmente em período eleitoral. E se calar só piora a situação, é imprescindível que todos gritem numa só voz, sobre os problemas crônicos da saúde debilitada da região, e o quanto essa negligência e politicagem têm tirado vidas, e o pior, que se quebrem os protocolos de biossegurança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.