PARTE II: Os malefícios da oligarquia e o que Assú perdeu em 10 anos com o filho de Ronaldo, George Soares como deputado estadual

Ao ser eleito deputado estadual, George Soares teria tudo para como qualquer jovem, desenhar uma carreira promissora. Mas aprendeu com o pai, Ronaldo Soares, como exercer a influência nefasta sobre a vida das pessoas sofridas e humildes da cidade, neutralizando o comportamento natural da crítica e até o modo de pensar, instalando neles um modo de pensar como escravo, dizendo amém a tudo.

Com a cabeça jovem mas enraizada na velha política do assistencialismo de seu pai, e da ideia do “quanto pior melhor”, George é eleito deputado estadual, e não faz parcerias com outros deputados pois acha que isso irá prejudica- lo na votação em Assú. Já que se alguém fizer algo de bom pra cidade, vai tirar voto dele, e assim, ele vem marcando sua história política, como o agressivo, intimidador, cheio de arrogância e prepotência, tornando – o num deputado “non grato” para a maioria quase unânime de deputados estaduais da Assembleia.

Assú elege um deputado da terra, mas não ganha muito com isso, pois a ineficácia e a maldade de George Soares ganham forma, e o que for bom pro Assú que não seja pelas suas mãos, ele move céus e terras para descontruir. Isso acontece pela mesma tática usada pelo pai e assim, ele usa sua força de deputado para impedir que boas ações cheguem ao município. E estaria pior, se Assú tivesse acreditado em suas mentiras na campanha de 2012, e ele tivesse conseguido obter êxito na disputa pela Prefeitura do Assú.

Como deputado estadual, não conseguiu criar um plano de trabalho para unir forças políticas e correr atrás do desenvolvimento que a cidade e o povo do Assú precisam e que perderam nos 30 anos de comando do seu pai na cidade, e pasmem, ele dedicou tempo e trabalho para prejudicar todas as iniciativas do prefeito à época de 2009 a 2016. Mas a gestão na época foi eficaz, e conseguiu com trabalho, realizar obras até então já desacreditadas pela população, como era a duplicação da entrada da cidade, gerar empregos apoiando o pequeno negócio, revitalização do cine teatro, dentre outras.

De 2010 a meados de 2020, Assú não ganhou sequer uma UTI, mesmo com João Maia e Zenaide Maia como aliados ferrenhos do deputado George, e só teve agora, porque o deputado federal Benes Leocádio lutou com unhas e dentes para que o Governo do Estado, implantasse essa UTI de forma imediata em face a pandemia que vivemos com o novo corona vírus.

George conseguiu ser o líder do governo, no entanto, mais atrapalha do que ajuda, porque os servidores o chamam de “o deputado da pec da morte”, em alusão a reforma da previdência no estado, que retira direitos dos servidores.

O deputado estadual George tornou – se o parlamentar da incoerência, da perseguição, do ódio e contra tudo que represente algo de bom para Assú e a região. O blog do VT desafia alguém a mostrar uma obra para o povo que tenha vindo de outros parlamentares e que tenha tido o apoio do filho mimado e emocionalmente desequilibrado de Ronaldo, George Soares.

O mandato que deveria representar vitória e orgulho, não representa hoje nada mais do apenas mais um Soares com poder, em que só se beneficiam as cunhadas, madrasta, primos, irmã, e outros, todos detentores de cargos altos nos gabinetes em Brasília e espalhados nas secretarias do Governo desastroso de Fátima Bezerra. E enquanto isso a população amarga o desemprego, falta de estrutura decente na saúde, na educação, falta moradia, e eles ainda cantam de galo, que estão mudando o Assú. Só se for pra pior.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: