PF convidou Carlos Bolsonaro e outros alvos de operação a depor

A Polícia Federal convidou os alvos da Operação Vigilância Aproximada, deflagrada nesta segunda-feira (29), a prestar depoimento. Ao todo, a corporação cumpriu mandados de busca e apreensão contra quatro investigados em Brasília, no Rio de Janeiro e na Bahia. Entre eles, o filho do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ).

O objetivo da operação é investigar organização criminosa que se instalou na Agência Brasileira de Inteligência (Abin) com o intuito de monitorar ilegalmente autoridades públicas e outras pessoas.

Até o momento, a PF convidou a prestar depoimento Carlos Bolsonaro; a assessora dele, Luciana Paula Garcia da Silva Almeida; a assessora do deputado federal Alexandre Ramagem, Priscila Pereira e Silva; e o militar do Exército cedido para a Abin na gestão de Ramagem, Giancarlo Gomes Rodrigues.

Todos sofreram mandados de busca e apreensão. O convite para depoimento é diferente de intimação. Como o próprio nome diz, é um convite. Carlos e os outros alvos podem responder em até três dias.

A Polícia Federal (PF) apreendeu, no fim da manhã desta segunda-feira (29), o celular de Carlos Bolsonaro e mais três computadores que estavam em uma casa do pai dele, o ex-presidente Jair Bolsonaro, na região de Angra dos Reis (RJ).

Com informações de Metrópoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.