PF prende engenheiro que parcelava propina

Policiais federais de Jales, no interior de São Paulo, deflagraram na manhã desta sexta-feira, 2, a Operação Liquidação e prenderam um engenheiro civil que presta serviços de fiscalização em obras para a Caixa Econômica Federal.

Antonio Eden Cabral Paro foi preso em flagrante quando havia acabado de receber R$ 5 mil, parte em dinheiro vivo e parte em cheque, relativos a uma propina que teria exigido de um empresário da construção civil. A abordagem ocorreu nas proximidades da agência da Caixa de Jales.

Paro, de 63 anos, reside no município de Votuporanga (SP). Segundo a PF, ele é credenciado pela Caixa para fiscalizar obras financiadas em vários municípios da região de São José do Rio Preto, inclusive do programa Minha Casa, Minha Vida. As informações são de O Estado de São Paulo.

No momento em que foi preso, Paro negou que tenha cometido algum ato ilícito. Alegou que o dinheiro se referia a trabalho de consultoria.

A Operação foi batizada Liquidação em alusão à conduta do engenheiro que, segundo a PF, dava descontos e parcelava o pagamento da propina exigida.

Os policiais receberam informações de que o acusado exigia propina para que parcelas de financiamentos da Caixa fossem liberadas. Segundo a PF, enquanto o empresário não pagasse a quantia exigida, o engenheiro não aprovava o andamento da obra e a parcela do financiamento ficava bloqueada – na prática, não era liberada pela Caixa.

“As investigações vão prosseguir objetivando a identificação da participação de outros envolvidos e vítimas do esquema criminoso desmantelado na data de hoje”, informou a PF, em nota.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: