PGR denuncia deputado do PR por pagar doméstica com dinheiro da Câmara

O deputado João Carlos Bacelar (PR-BA)

O deputado federal João Carlos Bacelar (PR-BA) foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República por crime de peculato por usar recursos de seu gabinete na Câmara dos Deputados em proveito pessoal.

Segundo a procuradora-geral, Raquel Dodge, Bacelar empregou em seu gabinete como secretárias parlamentares Maria do Carmo Nascimento e Norma Suely Ventura, que desenvolviam atividades particulares para o deputado.

Maria do Carmo Nascimento era empregada doméstica na casa dos pais do deputado João Carlos Bacelar entre 2002 e 2011. Ela foi demitida após reportagem da revista “Veja” revelar o uso da servidora para trabalhos pessoais.

Em depoimento, Maria do Carmo confirmou que nunca exerceu a função de secretária parlamentar do deputado, tendo sempre atuado como empregada doméstica.

Já Norma Suely Ventura, segundo a Procuradoria, era funcionária da Embratec Terraplanagem, empresa do deputado do ramo da construção civil. As informações são da Folha de São Paulo.

A Procuradoria ainda informa que Norma foi sócia desta e de outras empresas do deputado, sendo utilizada como “possível laranja” do parlamentar.

Raquel Dodge solicitou ao STF (Supremo Tribunal Federal) a condenação do deputado por peculato e a perda de função pública.

A denúncia contra João Carlos Bacelar foi encaminhada no mesmo dia em que Folha revelou que outro debutado baiano, o peemedebista Lúcio Vieira Lima, tinha três secretários parlamentares que davam expediente no apartamento da mãe dele.

OUTRO LADO
Procurado, o deputado João Carlos Bacelar classificou a denúncia como “absurda” e disse que irá se defender nos autos. Ainda afirmou que a funcionária Norma Suely Ventura trabalha no seu escritório de representação do mandato em Salvador e não em sua empresa.

O deputado foi questionado sobre qual seria o endereço do escritório na capital baiana, mas não quis responder.

A Folha pediu o telefone do escritório de representação do deputado na Bahia ao PR, partido ao qual ele é filiado. O telefone dado foi o da Embratec Terraplanagem.

No escritório, quem atendeu a ligação foi a própria Norma, que afirmou ali ser o escritório de representação do deputado em Salvador. Uma hora depois, um outro funcionário afirmou que ali funcionava a sede da Embratec e não trabalhava nenhuma pessoa com o nome Norma no local.

Funcionários da portaria do edifício afirmam que o escritório do parlamentar fica na sala 707, logo acima do escritório da Embratec, que fica na sala 607.

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: