Prédio do antigo Papi não vai abrigar leitos durante crise do coronavírus

A expectativa do Governo do Estado em utilizar a estrutura do antigo hospital Papi para abrigar leitos voltados ao atendimento a pacientes infectados pelo coronavírus não poderá ser confirmada. O hospital não tem condições de ser utilizado para esse fim antes de uma ampla reforma que demandaria pelo menos quatro meses. É o que afirma Luiz Roberto Fonseca, diretor do Hospital Rio Grande, que faz parte do grupo que vai comprar o prédio do antigo Papi. A informação foi confirmada na manhã desta quinta-feira (26), em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan News Natal.

Com planos de que o antigo Papi fosse um hospital emergencial durante a crise do novo coronavírus, o Governo do Estado publicou, no domingo (22), uma portaria requisitando a estrutura do prédio para utilizar por 180 o local. A informação repassada pela Secretaria de Infraestrutura do Estado (SIN) foi de que ainda não havia sido realizada a inspeção no local até a quarta-feira (25). Contudo, Luiz Roberto Fonseca disse que o local não reúne condições para ser utilizado na crise do coronavírus.

“O Papi é impossível de ser utilizado com a finalidade do enfrentamento à pandemia. Até nos causou um certo grau de surpresa com o requerimento do Papi, porque a estrutura vai carecer de quatro a seis meses, no melhor dos cenários, para estar apta à utilização”, disse o diretor do Hospital Rio Grande, que também foi secretário de Saúde de Natal e do Estado. “A estrutura está inclusive com risco de utilização, está muito deteriorada, abandonada há mais de quatro anos”, ressaltou.

O prédio do Papi, que tem 2.860m² e capacidade atual para 150 leitos, foi comprado pelos grupos Delfin e Incor Natal, proprietários também do Hospital Rio Grande, por R$ 18,9 milhões. De acordo com Luiz Roberto Fonseca, o prédio deverá passar por reformas que durarão entre seis e nove meses, com um custo inicial estimado de R$ 5 milhões, e será implantada uma unidade de atendimento materno-infantil.

*Tribuna do Norte

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!