Prefeitura de Natal não cobra dívidas de R$ 74 milhões das empresas de ônibus

O programa eleitoral de Robinson Faria (PSD) na noite dessa segunda-feira (24) foi destinado a mostrar as obras estruturantes e sociais na zona Norte de Natal, mas serviu também como um alerta.

O programa expôs a investigação do Ministério Público contra o ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT), por suposto recebimento de propinas em troca do aumento nas passagens de ônibus. E mais ainda, apresenta um débito gigantesco de empresas de ônibus – os maiores devedores – para com o município de Natal. O montante que chega a quase R$ 74 milhões e nunca foi cobrado.

De acordo com o programa, a empresa Nossa Senhora da Conceição é a que tem o maior débito. São R$ 29,9 milhões devidos à Prefeitura de Natal. A segunda é a Transflor, cuja dívida ultrapassa os R$ 18 milhões. Já os débitos da Reunidas e da Santa Maria juntos somam mais de R$ 25,7 milhões. Os dados são baseados em informações da própria Secretaria Municipal de Tributação (SEMUT).

O programa do candidato-governador questiona o motivo de todos esses valores até agora não terem sido cobrados pelo executivo municipal. E põe também em dúvida a capacidade de gestão do ex-prefeito Carlos Eduardo Alves. 

A propaganda de Robinson apresentou o trabalho feito para a população da Zona Norte de Natal, como o Anel Viário Metropolitano e avenidas, as obras de saneamento, Central do Cidadão, reconstrução da sede da UERN, Restaurante Popular e diversas outras ações. “É como se fosse duas Natal. Só se governava do[rio] Potengi  para o Sul. Para o Norte, nada. Não tinha governo para a Zona Norte”, critica Robinson Faria durante o programa.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: