Presidente da Câmara diz que prisão de Henrique Eduardo Alves é ‘triste’

President of the Chamber of Deputies Rodrigo Maia gestures during a meeting of the Pension Reform Commission with Brazil's president Michel Temer at the Planalto Palace in Brasilia, Brazil, April 11, 2017. REUTERS/Ueslei Marcelino ORG XMIT: UMS02

Após a prisão de Henrique Eduardo Alves, ex-presidente da Câmara, nesta terça-feira (6), o atual comandante da Casa, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que a situação é “triste” e criticou o que considera “um excesso de prisões preventivas”.

“É triste. O Brasil tem vivido um momento difícil. Acho que tem tido um excesso de prisões preventivas. O [ex-]deputado Henrique Eduardo Alves tem endereço, não tinha nenhuma expectativa de sair do Brasil. Mas é uma decisão da Justiça que, claro, foi executada pela PF, e a gente precisa executar”, disse Maia ao ser indagado por jornalistas sobre a prisão do ex-presidente da Câmara.

Henrique Eduardo Alves foi preso na manhã desta terça suspeito de ter recebido R$ 7,15 milhões em propinas, diretamente ou por meio do diretório Estadual do PMDB do Rio Grande do Norte. As informações são da Folha de São Paulo.

Alves foi conduzido para a sede da Polícia Federal em Natal e deverá permanecer preso no Rio Grande do Norte, sob suspeita de ter cometido crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Segundo a investigação do Ministério Público Federal, o ex-deputado teria se beneficiado de contratos com empreiteiras. O principal deles é o da construção da Arena das Dunas, em Natal, pela OAS.

Há indícios de ação constante de Alves para dificultar a apuração de irregularidades nessa obra que teriam atrasado a apuração dos desvios.

Antes de Henrique Eduardo Alves, seu sucessor na presidência da Câmara, o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), já havia sido preso, no âmbito da Operação Lava Jato.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: