fbpx

Prisão de Roberto Jefferson repercute na política; veja reações

Ex-deputado Roberto Jefferson é preso pela Polícia Federal no inquérito das milícias digitais | Política | G1

A prisão do ex-deputado e presidente nacional do PTB (Partido Trabalhista Brasileiro) Roberto Jefferson nesta sexta-feira (13) movimentou o mundo político, já que sua detenção se deu, em decisão do ministro Alexandre de Moraes, por suposta participação nos esquemas de “milícias digitais” que atentariam contra a democracia.

Até a tarde de sexta, a notícia havia causado forte reação do núcleo próximo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), principalmente por meio de mensagens publicadas pelos seus filhos e por parlamentares da base governista nas redes sociais. A filha de Jefferson, Christiane Brasil, chegou a criticar o presidente pelo silêncio. Bolsonaro, porém, ainda não se manifestou oficialmente.

Do outro lado, políticos da oposição celebraram o ato de Moraes. Até mesmo o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, comentou sobre o fato em seu perfil no Twitter.

No poder Executivo, o vice-presidente Hamilton Mourão afirmou que apesar do ministro ter “certa prorrogativa” em buscar a prisão, ele considerava “essa história de prender […] meio complicado”, afirmou rapidamente a jornalistas.

“Eu tenho visto aí que o ex-deputado Roberto Jefferson faz as criticas aí, que você pode colocar como pesadas. Se o camarada se sente ofendido, acho que ele tem que buscar o devido processo. O ministro Alexandre de Moraes tem uma certa prerrogativa aí, e essa história de mandar prender, eu acho que é meio complicado isso aí”, disse Mourão. Assista:

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) escreveu que “a democracia, essa balela de Estado democrático de direito, já não estão sob ameaça, estão sob ataque intenso mesmo”. O parlamentar foi acompanhado de posicionamento similar vindo de Carla Zambelli (PSL-SP), deputada da base governista. “Apagaram as contas do Roberto Jefferson nas redes sociais. Daniel Silveira continua preso. Não existe mais Estado de Direito no país”, escreveu.

Uma das mensagens de apoio a Roberto Jefferson veio de sua filha, Christiane Brasil, que também criticou o presidente Jair Bolsonaro sem mencioná-lo diretamente por supostamente “não fazer nada”: “Estão prendendo os conservadores e o bonito não faz nada? O próximo será ele! E se não for preso, não vai poder sair nas ruas já já!”, escreveu.

O partido presidido por Jefferson também manifestou-se em nota oficial: “O PTB foi surpreendido com mais uma medida arbitrária orquestrada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. Este é mais um triste capítulo da perseguição aos conservadores”, escreveram.

O mesmo tom foi adotado pela vice-presidente do partido, Graciela Nienov, que foi ao Rio de Janeiro para acompanhar os trâmites da prisão. “Como vice-presidente nacional do PDT, declaro que o partido está 100% unido com nosso grande lider Roberto Jefferson, e, em nome de todos os petebistas, convoco os partidos conservadores e de direita a se mobilizarem contra essa prisão arbitária e ilegal”, criticou em um vídeo.

Oposição – e embaixador da China – comentam caso

Além das reações contrárias à prisão, parlamentares críticos ao governo Bolsonaro, que tinha proximidade com Roberto Jefferson, celebraram a operação da Polícia Federal que o prendeu.

Para o deputado federal Rogério Correia (PT-MG), Jefferson “ostentava armas e bancava o valentão bolsonarista”. O também deputado Marcelo Freixo (PSB-RJ) reproduziu uma foto de Jefferson com o ministro Luiz Eduardo Ramos, hoje na Secretaria-Geral da Presidência, e afirmou que “para o governo Bolsonaro, Roberto Jefferson, condenado por lavagem de dinheiro e corrupção passiva, é um ‘soldado da liberdade e da democracia’.”

Já a ex-deputada Manuela D’Ávila, candidata à vice-presidência nas eleições de 2018, afirmou que o deputado “tem incentivado permanentemente o uso de armas contra os que pensam diferente, como fez recentemente, contra o embaixador da China e em outro vídeo, contra mim”.

O próprio embaixador Yang Wanming também manifestou-se sobre o caso nas redes, apesar de não citá-lo diretamente. “Lindo dia para todos!”, escreveu, acompanhado de emojis de palmas. Há algumas semanas, Roberto Jefferson havia chamado o embaixador de “malandro” e “macaco” e pedido a Bolsonaro, em um vídeo em que aparece com duas armas, que mandasse Wanming embora.

CNN Brasil

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: