fbpx

PT e PSB adiam decisões sobre eleições nos Estados

O PT e o PSB adiaram decisões sobre as disputas por governos estaduais para a semana que vem. As legendas haviam determinado que esta quarta-feira (15) era a data limite para pôr fim ao impasse.

A presidente do Partido dos Trabalhadores, deputada Gleisi Hoffmann (PR), explicou que contaminações por covid-19 somadas à viagem do ex-presidente e pré-candidato pela chapa PT-PSB, Luiz Inácio Lula da Silva, a Uberlândia (MG), nesta quarta (15), e depois ao Nordeste fizeram com que o prazo fosse prorrogado. O presidente do PSB, Carlos Siqueira, justificou o adiamento com o feriado de Corpus Christi, na quinta-feira (16).

Algumas das conversas contarão com a presença de Lula e do ex-governador paulista e vice na chapa, Geraldo Alckmin (PSB).

Um dos principais impasses é o governo de São Paulo. Os petistas querem que Márcio França (PSB) desista da candidatura e apoie o ex-prefeito Fernando Haddad (PT). “O presidente [Lula] estava com covid e agora o Márcio [França] também pegou covid. Iríamos fazer conversas na semana passada, mas isso impediu”, disse Gleisi, citada pelo jornal O Globo.

Além de São Paulo, ainda há pendências nos Estados de Acre, Paraíba, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Rio de Janeiro.

De acordo com Gleisi, as negociações no Rio Grande do Sul estão bem encaminhadas. Os líderes dos partidos no Estado se reunirão nesta 4ª feira (15.jun) para decidir entre as candidaturas do deputado estadual Edegar Pretto (PT) e do ex-deputado federal Beto Albuquerque (PSB).

Outro Estado com as conversas avançadas é Santa Catarina. A presidente do PT afirmou que a sigla abrirá mão da pré-candidatura de Décio Lima pela do senador Dário Berger (PSB), se essa for considerada a melhor solução pelo grupo.

Já no Espírito Santo, o governador Renato Casagrande (PSB) declarou na segunda-feira (13) voto em Lula. Ele disputará reeleição e o PT desistirá da pré-candidatura do senador Fabiano Contarato.

No Rio de Janeiro, o impasse é entre o deputado Alessandro Molon (PSB) e o presidente da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), André Ceciliano (PT), no Senado. Espera-se que a questão seja resolvida na semana que vem. O pré-candidato ao governo do Estado é o deputado Marcelo Freixo (PSB).

Com informações do Poder 360

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: