RN terá 1,45 mil novos casos de câncer de próstata em 2023

A estimativa do Instituto Nacional do Câncer é que em 2023 o Rio Grande do Norte tenha 1,45 mil casos de câncer de próstata. O câncer de próstata, de acordo com o Inca, é o segundo tipo de câncer mais incidente na população masculina em todas as regiões do país, atrás apenas dos tumores de pele não melanoma. No Brasil, estimam-se 71.730 novos casos de câncer de próstata por ano para o triênio 2023-2025. Atualmente, é a segunda causa de óbito por câncer na população masculina, reafirmando sua importância epidemiológica no país. Novembro é o mês mundial de combate ao câncer de próstata, utilizando a cor azul como forma de chamar a atenção para o problema.

Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Urologia do Rio Grande do Norte SBU-RN), Ângelo Campos, “uma pesquisa da UBU, em parceria com o Instituto de Pesquisa IDEIA, apontou que 46% dos homens, maiores de 40 anos, só vão ao médico quando sentem alguma dor, isso é preocupante, porque um câncer de próstata em estágio inicial não apresenta sintomas e, de maneira geral, a partir dos 40 anos, fazer exames de rotina é sempre válido para a prevenção de doenças cardiovasculares”, explicou. A Sociedade de Urologia lançou, na última segunda (06), oficialmente, a campanha Novembro Azul 2023.

Segundo o urologista, quando se trata de usuários exclusivos do Sistema Único de Saúde (SUS), o percentual sobe para 58%, devido à dificuldade de acesso aos serviços de saúde ou à informação insuficiente. Os exames utilizados para a investigação do câncer de próstata são o PSA e o toque retal.

Segundo Ângelo Campos, em geral, na fase inicial o câncer de próstata é assintomático e não altera a vida do paciente. Já na fase avançada, ele pode causar dores, vontade de urinar o tempo todo, inclusive à noite (chamado de nictúria), sangue ao urinar e disfunção erétil.

“É por isso que precisamos fazer o rastreio e diagnosticar ou vai apresentar sintomas mínimos. Normalmente, quando vem aparecer sintomas é porque a doença está em fase avançada”, disse.

A idade é o principal fator de risco para o câncer de próstata, sendo mais incidente em homens a partir da sexta década de vida, bem como, histórico familiar de câncer de próstata antes dos 60 anos e obesidade para tipos histológicos avançados. Destaca-se também a exposição a agentes químicos relacionados ao trabalho, sendo responsável por 1% dos casos de câncer de próstata.

Éder Lemos, um professor de 56 anos, compartilhou sua história de superação do câncer de próstata. Em abril deste ano, ele recebeu o diagnóstico da doença quando houve uma variação significativa em seu PSA, que historicamente permanecia muito baixo. O PSA é um exame de sangue que é comumente usado para identificar a presença de células cancerígenas no corpo, fornecendo um valor de referência que indica a presença ou ausência do câncer.

Segundo o professor, o seu câncer estava em um estágio inicial, medindo aproximadamente 4,5 milímetros. Ele enfatizou que a prevenção foi fundamental para salvar sua vida. Após passar por um procedimento cirúrgico, a prevenção evitou a disseminação do câncer em seu corpo. Atualmente, ele realiza acompanhamento a cada três meses com exames de PSA e não necessitou de radioterapia, fazendo apenas fisioterapia como parte de seu tratamento.

A Secretariade Saúde de Natal (SMS/Natal), por meio das unidades básicas de saúde, se preparam para a Campanha Novembro Azul. Durante todo o mês há estímulo para que o homem cuide de sua saúde periodicamente de forma integral, especialmente em consultas de rotina. Atividades como rodas de conversa, palestras, orientações, testes rápidos, entre outras atividades educativas, serão desenvolvidas diariamente nas UBS de Natal durante a sala de espera dos atendimentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.