RN teve média de quase 3 assassinatos por dia em 2023 e atingiu 20 mil homicídios em 12 anos

O Governo do RN divulgou nesta semana números que demonstram a redução de homicídios no Rio Grande do Norte em 2023. Foram 1040 mortes no ano, o menor número em 12 anos, segundo a atual gestão. O que chamou a atenção, no entanto, é que menos com a queda, o RN ainda registrou quase 3 homicídios diários.

E mais: somando os últimos 12 anos, são mais de 20 mil assassinatos. Esse número é maior do que a população de quase 140 municípios potiguares – que tem menos de 20 mil habitantes. Dentre elas, Jucurutu, São Paulo do Potengi, Caraúbas, Maxaranguape.

Números “positivos”

De acordo com dados estatísticos compilados e divulgados pela Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análises Criminais (Coine) da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), durante todo o ano de 2023 foram registradas 1.040 mortes violentas em todo o território potiguar. Até então, o menor número de homicídios em um ano havia ocorrido em 2011, com 1.099 crimes.

Além do quantitativo geral do estado, as maiores cidades do Rio Grande do Norte, Natal e Mossoró, também concluíram o ano com recordes na série histórica desde 2011.

Em Natal, foram 195 mortes violentas registradas ao longo de 2023. Entre os 12 anos comparados, o ano com menor número era 2022, com 262 casos. Ao todo, foram 67 crimes a menos entre 1º de janeiro a 31 de dezembro do ano passado.

No município de Mossoró, pela primeira vez, foram registradas menos de 100 mortes violentas em um ano. Em 2023, foram 89 mortes violentas, este número também é o menor desde 2011. Até então, o recorde no município era do ano de 2012, com 136 ocorrências.

 

Comparativo com 2022

O número de ocorrências de mortes violentas em 2023 também apresentou significativa diminuição em relação ao ano de 2022, quando 1.216 crimes dessa natureza foram registrados ao longo do ano de 2022. A redução de um ano para o outro foi de 14,5%, o que significa 176 vidas poupadas.

Entre as condutas criminais com maior redução nos índices, destaque para o número de ocorrências de homicídios dolosos. No ano de 2022, foram registrados 980 casos, enquanto em 2023, durante todo o ano, foram 813 crimes (-17%).

Outro destaque acontece em relação aos latrocínios, o roubo seguido de morte, com redução de 32 ocorrências em 2022, para 28 crimes em 2023 (-12,5%).

Redução em dezembro

Em um recorte sobre o mês de dezembro, o último mês do ano em 2023 foi o terceiro com menor índice de mortes violentas desde 2011, com 85 casos, ficando abaixo de 100 homicídios em 30 dias. Comparado ao mês de dezembro de 2022, quando foram registrados 103 crimes, são 18 mortes a menos (-17,4%).

O índice de 2023, no comparativo dos últimos 12 anos, só é menor do que dezembro de 2011, com 78 crimes, e de dezembro de 2021, mês recorde da série histórica, com 76 ocorrências.

Histórico de MVIs ano a ano no RN

2023: 1.040 (menor número de crimes)

2022: 1.216

2021: 1.306

2020: 1.501

2019: 1.455

2018: 1.964

2017: 2.412 (maior número de crimes)

2016: 1.996

2015: 1.670

2014: 1.772

2013: 1.665

2012: 1.224

2011: 1.099

Total de assinatos em 12 anos: 20.320

Redução nas maiores cidades

Natal: (-25,6%)

2022: 262

2023: 195

Mossoró: (-47,0%)

2022: 168

2023: 89

Parnamirim: (-43,1%)

2022: 51

2023: 29

São Gonçalo do Amarante: (-25,0%)

2022: 52

2023: 39

Macaíba: (-45,2%)

2022: 42

2023: 23

A partir deste ano, a Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análises Criminais da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) atualiza a nomenclatura utilizada para Mortes Violentas Intencionais (MVIs), seguindo uma padronização nacional do termo. Entretanto, são considerados MVIs os índices de homicídio doloso, latrocínio, feminicídio, lesão corporal seguida de morte e intervenção de agentes do Estado.

*96 FM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.