Rogério Marinho se irrita com declaração de diretor da OIT no Brasil

Ruy Baron/Valor

Relator da reforma trabalhista na Câmara, o deputado Rogério Marinho (PSDB­RN), disse nesta quarta­-feira (14) que o diretor do escritório da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil, Peter Poschen, age como “ativista de esquerda” por, segundo ele, emitir “comentários políticos” a respeito do projeto, que modifica mais de 100 artigos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Para o deputado, a postura de Poschen “não é adequada para alguém que representa uma entidade multilateral da qual o Brasil é signatário”. Marinho se irritou com nota emitida por Poschen a pedido de senadores de oposição, na qual ele desmente afirmações feitas pelo deputado de que a OIT teria reconhecido que a reforma não fere direitos dos trabalhadores.

“O senhor Peter Porschen mente quando diz que a OIT não interfere na política local. Ele mente porque esteve em audiências públicas na Câmara e no Senado e emitiu comentários políticos sobre a reforma”, disse o deputado ao Valor PRO, serviço de informação em tempo real do Valor.

Na opinião de Marinho, Poschen não pode emitir esse tipo de comentário “porque não é brasileiro e porque representa uma entidade da qual o Brasil é signatário”. “Essa não é uma postura adequada. É uma postura política, parcial”, disse Marinho, para quem Poschen age “como um ativista de esquerda”. “Ele deveria se preocupar mais em estar aqui representantdo uma entidade multilateral e ter menos contundência de quem fala como ativista político”, afirmou.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: