Senador tucano defende saída de Temer e novas eleições em até oito meses

O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) defendeu, nesta segunda-feira, a posição do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso sobre o futuro político do Brasil e disse que novas eleições deveriam ser convocadas em até oito meses. Em nota enviada ao GLOBO em 15 de junho, FH havia sugerido que Temer deveria ter “um gesto de grandeza” e antecipar as eleições. A posição do tucano foi reforçada em artigo publicado nesta segunda-feira pelo jornal “Folha de S.Paulo”, em que ele adiciona que, antes da escolha do novo presidente, o Congresso deveria fazer a reforma política.

Em evento promovido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) para discutir a reforma política, Ferraço voltou a defender a saída do seu partido do governo Temer, afirmou que o PSDB deve reconhecer seus erros publicamente e afastar o senador Aécio Neves (PSDB-MG) da presidência do partido em virtude das denúncias da Lava-Jato. As informações são de O Globo.

— O governo não me parece ter condição de continuar liderando ou de ir aprofundando essas mudanças e transformações. Quem deveria discutir isso é o próprio PSDB. O PSDB deveria trazer esse tema para nós debatermos. Eu defendo que o PSDB saia do governo, defendo que o PSDB continue liderando mudanças e transformações e faz muito sentido isso que o Fernando Henrique propõe. É difícil imaginar como esse governo estará até o fim de 2018. A antecipação das eleições gerais, com regra, com previsibilidade, pode ser uma boa medida para mitigar o aprofundamento e deterioração da crise.

Apesar de concordar com a ideia de antecipar as eleições, Ferraço quis deixar claro que suas reivindicações não são as mesmas de outros políticos da oposição. Para o senador, seria importante um tempo hábil de planejamento antes de convocar o pleito.

— A pauta do PT é eleições diretas já, em 60 ou 90 dias. Não é isso que o Fernando Henrique está propondo. O que ele propõe é que o próprio presidente da República tome a iniciativa de encaminhar para o Congresso brasileiro, possivelmente uma proposta de emenda constitucional, propondo eleições para, quem sabe, daqui a oito meses.

A demora em uma decisão, na visão do tucano, aumenta a “deterioração do ambiente político”. Relator da reforma trabalhista em duas comissões no Senado, Ferraço afirma que uma troca no governo é necessária para que as mudanças sejam aprovadas.

— Depende de uma decisão do presidente. Quando ele envia ao congresso ele dá uma pacificada geral. Ele mostra desapego, produz um gesto de bastante grandeza. Porque quando a gente olha para o futuro próximo, eu não consigo ver uma luz no fim do túnel. Só consigo continuar vendo uma deterioração do ambiente político. Os fatos vão se sucedendo com muita intensidade e com muita velocidade. Então a antecipação das eleições para um prazo razoável significa a possibilidade se você eleger um novo governo, um governo legitimado pelo voto da população.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: