Solene no Legislativo celebra 30 anos do Centro Feminista 8 de Março

A tarde desta quarta-feira (29), na Assembleia Legislativa, foi de homenagens pelos 30 anos do Centro Feminista 8 de Março. Proposta pela deputada estadual Isolda Dantas (PT), a Sessão Solene contou com a presença de representantes femininas do Executivo estadual e da capital e da Câmara Municipal de Natal, além da atual coordenadora-geral e outras mulheres que fazem parte da referida instituição feminista.  De acordo com o seu site, o Centro Feminista 8 de Março desenvolve ações baseadas em três elementos: feminismo, organização e formação. Suas atividades têm por objetivo “proporcionar o fortalecimento das organizações de mulheres nos espaços sociais, em especial as trabalhadoras rurais, oferecendo apoio, assessoria e formação em gênero aos grupos de mulheres, comissões de mulheres dos sindicatos rurais, entidades de assessoria técnica, gerencial e organizativa que atuam no meio rural e urbano de Mossoró e região”.A deputada Isolda Dantas iniciou seu discurso contando sobre a trajetória da instituição e destacando sua relevância na vida das mulheres que a compõem. “Eu me lembro como se fosse hoje daquele 8 de março de 1993, na Câmara Municipal de Mossoró, quando criamos o ‘Centro da Mulher 8 de Março’. Na época, existia um centro na Paraíba com o mesmo nome, então, para não criar confusão, mudamos o nosso para ‘Centro Feminista 8 de Março’. A instituição tem como missão construir o feminismo para transformar a vida das mulheres. E eu tenho certeza que, ao longo de todos esses anos, cada uma de vocês, assim como eu, teve a vida modificada pela ação do feminismo”, relembrou a parlamentar.Em seguida, a deputada falou sobre a influência da militante Nalu Faria – símbolo da luta feminista no Brasil desde a década de 1980 – para a formação e mudança de viés da entidade mossoroense.“Quando tivemos o acompanhamento de Nalu Faria, ela nos fez pensar que a ação do centro deveria ser muito maior do que imaginávamos. Ela dizia que o feminismo deveria existir não só em Mossoró, mas no mundo inteiro. E foi quando passamos a construir a ‘Marcha Mundial das Mulheres’, como uma ação que iria de fato transformar suas vidas. Antes disso, nós já fazíamos um trabalho com municípios vizinhos do Estado, mas ao longo do processo entendemos que não era possível limitar o feminismo apenas a Mossoró e ao Rio Grande do Norte”, detalhou.Segundo Isolda, ao longo do tempo, o centro foi crescendo cada vez mais, “passando a atuar em outros municípios do Nordeste e do Brasil, expandindo-se para a América Latina e depois para o mundo inteiro, junto com a Marcha Mundial das Mulheres”. Sobre as ações realizadas pelo centro feminista, a parlamentar citou os 10 dias que o grupo de 400 mulheres passou “marchando” em São Paulo; a Virada Cultural, ação que durou 24 horas ininterruptas; e a campanha contra a Alca (Área de Livre Comércio das Américas).“E também não podemos esquecer os nossos parceiros, como a Central Única dos Trabalhadores, o Partido dos Trabalhadores, a Asa Potiguar e as inúmeras comissões de mulheres que estão sendo homenageadas hoje”, acrescentou.Por fim, Isolda Dantas agradeceu a todas as trabalhadoras rurais e urbanas, aos grupos de jovens e às instituições parceiras, que, segundo ela, “sempre confiaram e apoiaram a causa”.“Eu sempre digo que, se hoje eu estou aqui nesta Casa, na condição de deputada estadual e mulher mais votada da história da Assembleia Legislativa, é por causa de vocês e do centro feminista, que acreditaram em mim e, acima de tudo, no feminismo. Então, eu só tenho a agradecer a todas que fazem o Centro Feminista 8 de Março, por vocês conduzirem esta instituição com muita seriedade, fortaleza e, principalmente, com a missão de construir o feminismo no mundo inteiro, para mudar as nossas vidas. Portanto, em nome de toda a Assembleia, eu externo nossa gratidão a essa mulherada que segue conduzindo com muita firmeza a ‘Marcha Mundial das Mulheres’ e o ‘Centro Feminista 8 de Março’. Muito obrigada!”, concluiu a deputada.Representando as homenageadas, Francisca Eliane de Lima frisou que “o centro não faz parte só das vidas coletivas, mas também muda o individual de cada mulher com a qual trabalha”.“Toda a minha trajetória, quem eu sou e onde eu estou hoje faz parte desta instituição, a qual eu conheci pela oportunidade. Na época, eu não fazia parte do grupo de mulheres do assentamento e, certo dia, eu estava passando com meus três filhos (um no braço e os outros dois puxando em cada mão), quando uma pessoa que estava ministrando uma oficina me perguntou por que eu não fazia parte do grupo. Eu respondi para ela que eu não podia, porque tinha três filhos. Então, ela me disse que aquilo não era obstáculo e que eles podiam fazer parte do grupo junto comigo. A partir daquele momento eu me transformei e sou a mulher que sou hoje”, relatou.Francisca falou ainda sobre a opressão da sociedade sobre as mulheres e destacou a transformação interna que o centro feminista provoca em cada uma delas.“A minha história não é diferente da de vocês, porque todas nós somos oprimidas dentro dessa sociedade, pelo simples fato de sermos mulheres. Então, falar de vocês é falar de vida. E é engraçado que muita gente diz que quando as mulheres entram no movimento feminista elas logo deixam seus maridos. Mas não é o movimento que faz a gente se separar; ele apenas faz a gente sair daquele espaço privado e fechado, abrindo nossos olhos para que a gente possa ver o mundo. E isso nos faz ver a vida de maneira diferente. E toda a transformação acontece a partir do nosso processo de auto-organização. É por isso que eu sempre digo: tudo que eu sou e onde eu estou hoje faz parte da minha transformação de vida política vinda desse movimento que eu tanto admiro e respeito. Por tudo isso, meus parabéns ao Centro Feminista 8 de Março, à Marcha Mundial de Mulheres e a todo o Movimento Feminista!”, finalizou.Homenageadas:Antônia Holanda;Ilma Maria, representando a Articulação no Semiárido Brasileiro;Gildênia Barbosa da Silva Freitas, representando a Central Única dos Trabalhadores;Hilberlândia Ferreira de Andrade, representando a Comissão Pastoral da Terra;Conceição Dantas, representada pelas senhoras Sandra Paiva, Rejane Medeiros, Ivi Aliana e Cláudia Lopes;Célia de Medeiros Rocha, representando o Grupo Marcha das Margaridas;Plúvia Oliveira, representando a Marcha Mundial das Mulheres;Maria Dantas De Melo;Marli Felipe da Silva Souza, representando o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST;Teresa Freire, representando o Partido Dos Trabalhadores – PT;Francisca Eliane de Lima (Neneide), representando a Rede Xique-Xique;Ana Paula Martins, Adriana Vieira, Andrea Sousa, Brisa Brachi e Isadora Mendes, representando a homenageada Nalu Faria – In Memoriam; Maria Magneide de Oliveira, representando as instituições do município de Apodi;Ana Maria Gomes da Silva, representando as instituições do município de Assú;Maria Rosângela da Silva Santos, representando as instituições do município de Baraúna;Maria Eliene de Souza, representando as instituições do município de Caraúbas;Maria Rita Borges, representando as instituições do município de Governador Dix-Sept Rosado;Francisca das Chagas Damasceno, representando as instituições do município de Mossoró;Eva Siqueira, representando as instituições do município de Upanema;Maria Dantas, representando as instituições do município de Natal;Erivaneide Fernandes de Medeiros, representando as instituições do município de Currais Novos;Teresinha Ferreira dos Santos Freire, representando as instituições do município de Lagoa Nova;Maria de Jesus Gomes da Silva, representando as instituições do município de Cerro Corá;Francimária Santos da Costa, representando as instituições do município de Ipanguaçu;Juliane Gomes da Mota, representando as instituições do município de Ceará-Mirim; Raniele de Medeiros Souza, representando as instituições do município de Taipu; Geciane Câmara dos Santos, representando as instituições do município de Pureza; Maria Lúcia Pereira da Silva, representando as instituições do município de Touros; Micarla Pinto Felipe, representando as instituições do município de João Câmara;Vereadora Brisa Bracchi;Vereadora Lilia Holanda; Diaconia – Risoneide.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.