‘Temer perdeu a dignidade’, diz procurador da Lava Jato

Resultado de imagem para Carlos Fernando dos Santos Lima,

O procurador regional da República Carlos Fernando dos Santos Lima, da força tarefa da Lava Jato em Curitiba, classificou como “grave” a afirmação do presidente Michel Temer (PMDB) sobre “associação criminosa” ao atacar em rede social denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR). “Acho que ele (Temer) perdeu a visão da dignidade que o cargo exige dele”, disse Santos Lima em entrevista ao jornal “O Estado de S. Paulo”.

Em junho, ele já havia dito que o presidente foi “leviano” ao atacar o ex-procurador geral Rodrigo Janot, após apresentação da primeira denúncia contra Temer. “O que Rodrigo Janot fez foi a obrigação dele”, disse o procurador da Lava Jato ao novamente defender o ex-chefe do Ministério Público Federal, alvo de críticas vindas de Temer, de sua defesa e de aliados após a segunda denúncia criminal – por organização criminosa e obstrução de Justiça.

Na última terça-feira, Temer postou: “Precisamos lidar com mais uma denúncia inepta e sem sentido, proposta por uma associação criminosa que quis parar o país.” O procurador da República Deltan Dallagnol respondeu ao presidente no dia seguinte, também em rede social: “Só há uma associação criminosa que quis parar o país”.

Na entrevista ao “Estadão”, Santos Lima disse que os ataques de Temer são “sem pé nem cabeça”: “A defesa dele só fez xingar. Isso é uma acusação muito grave, é um absurdo. Não tem pé nem cabeça”. O procurador da Lava Jato defendeu que integrantes do Ministério Público podem se manifestar contra quem “rouba a democracia”. “A única obrigação do Ministério Público é fazer. E a única defesa que o Ministério Público tem é quando faz. Porque o não fazer é muito mais danoso ao interesse público. O que o Rodrigo Janot fez foi a obrigação dele”, afirmou.

Perguntado se as críticas de Temer ao ex-PGR atingem todo o Ministério Público, Santos Lima disse que já “perdeu a calma” com as colocações do presidente. “Como cidadão eu me manifesto, e, como membro do MP, não posso deixar de falar sobre pessoas que roubam a democracia ou de defender a minha instituição como é esse caso em relação ao Temer. Eu defendo a instituição”, declarou.

Temer já foi denunciado por Janot por corrupção passiva, mas o pedido de abertura de ação penal foi barrado pela Câmara. Antes de deixar o comando da PGR, Janot ofereceu uma segunda denúncia contra o presidente e mais dois ministros: Moreira Franco (Secretaria Geral) e Eliseu Padilha (Casa Civil). Este segundo pedido está na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara e será relatado pelo deputado governista Bonifácio de Andrada (PSDB-MG). Caberá ao tucano emitir um parecer sobre o pedido do MPF e submetê-lo ao colegiado. Se o relatório for aprovado, seguirá para o plenário. A PGR precisa da autorização de 342 dos 513 deputados para apresentar a denúncia ao STF.

Entrevista

“A defesa dele (de Temer) só fez xingar. Isso é uma acusação muito grave, é um absurdo. Não tem pé nem cabeça.”

“Acho que ele (Temer) perdeu a visão da dignidade que o cargo exige dele. Eu já perdi a calma com as colocações dele, já disse que foi leviano anteriormente.”

“Não uso nenhuma afirmação relativa a fatos relacionados aos processos em que atuo. Mas, como cidadão, eu me manifesto, e, como membro do MP, não posso deixar de falar sobre pessoas que roubam a democracia ou de defender a minha instituição como é esse caso em relação ao Temer.”

Santos Lima
procurador da República

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: