Alckmin: ‘Não há razão para PSDB ficar no governo após reformas’

Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), em Brasília - 08/02/2017

Na véspera de uma reunião que deverá reunir as principais lideranças tucanas para discutir o possível desembarque do PSDB da base aliada do governo do presidente Michel Temer (PMDB), o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), indicou neste domingo que a decisão de seu partido sobre a permanência ou não na gestão do peemedebista é questão de semanas.

Após assistir ao desfile cívico em homenagem aos combatentes da revolução constitucionalista de 1932 na capital paulista, o governador reiterou o compromisso do partido com as reformas, mas adiantou que não vê motivo para o PSDB participar do governo depois da votação da reforma trabalhista, prevista para terça-feira no Senado, e da reforma da Previdência, que acredita que vá tramitar em pouco tempo. Alckmin citou ainda que o partido deve aguardar a reforma política, que “também tem data”. Na sua avaliação, os tucanos devem ajudar o Brasil, “mas sem precisar participar do governo”.

Questionado sobre se este é o momento certo para o PSDB sair da base aliada que dá sustentação ao governo Temer, Alckmin respondeu que, por ele, encerraria a aliança, mas ponderou que o partido tem responsabilidade com o país e que um eventual desembarque pode gerar tumulto num momento em que o governo federal já encontra dificuldades para aprovar a reforma trabalhista. As informações são de O Estado de São Paulo.

Leia maisAlckmin: ‘Não há razão para PSDB ficar no governo após reformas’

Temer se reúne com presidentes da Câmara e do Senado

O presidente Michel Temer recebeu neste domingo os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), no Palácio do Jaburu. Na véspera da apresentação do relatório sobre a denúncia contra ele na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, Temer passou cerca de uma hora conversando com Rodrigo Maia. Já o presidente do Senado chegou às 11h30 e saiu por volta das 13h.

O presidente retornou ontem para o Brasil, antes do encerramento da cúpula do G-20, grupo das maiores economias do mundo, como já estava previsto na agenda divulgada pelo Palácio do Planalto na última sexta-feira. E disse que volta ao país “tranquilíssimo” após a viagem a Hamburgo, na Alemanha. Ele resumiu em uma palavra seu estado de espírito:

Nos últimos dias, multiplicaram-se os sinais de defecção na base aliada para a votação, na Câmara, da denúncia da Procuradoria-Geral da República contra Temer por corrupção passiva.

Leia maisTemer se reúne com presidentes da Câmara e do Senado

Janot se diz ‘consternado com corrupção dos mais altos dignatários da República’

Resultado de imagem para rodrigo janot

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, avalia que, sem a delação do empresário Joesley Batista, da JBS, não seria possível identificar “o complexo esquema de pagamento de propina” envolvendo o presidente Michel Temer, o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures – ex-assessor especial do peemedebista -, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o procurador Ângelo Goulart.

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Janot defende enfaticamente o instituto da colaboração. Ele classificou de “decisão histórica” o recente julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) que “confere segurança jurídica aos colaboradores”.

O procurador pondera que, apesar do amplo conhecimento do Ministério Público em grandes investigações, há muita dificuldade em desmontar organizações criminosas, “já que a regra, nesses casos, costuma ser a Omertà, ou seja, o silêncio como garantia de vida”.

Leia maisJanot se diz ‘consternado com corrupção dos mais altos dignatários da República’

“Eu estou doido para consertar o Brasil”, afirma ex-presidente Lula

"Eu estou doido para consertar o Brasil",afirma ex-presidente Lula: No entanto, o petista não garantiu se irá concorrer à Presidência nas eleições de 2018

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse em entrevista ao jornalista Water Santos, da Revista Nordeste, que está “doido para consertar o Brasil” e questionou o preconceito existente com os mais pobres e o Nordeste do país.

Ao iniciar a conversa, Lula lembrou que o atual prefeito de São Paulo João Doria (PSDB), quando dirigia a Embratur, chegou a propor que a seca do nordeste e a miséria fosse transformada num ponto de atração turística.

O ex-presidente falou sobre a discriminação com os mais pobres. “Eles não aceitam que as pessoas do andar de baixo, subam para o andar de cima”.

Leia mais“Eu estou doido para consertar o Brasil”, afirma ex-presidente Lula

Detran disponibiliza whatsapp e email para agendamentos na Junta Médica

O Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) criou um novo procedimento para facilitar para a população a marcação de atendimento e análises de competência da Junta Médica do Órgão, que se encontra ligada a Coordenadoria Médica e Psicológica (Comed). Agora o usuário pode realizar seu agendamento utilizando dois canais: Whatsapp e o email. A medida reforça as ações empreendidas pela Direção Geral do Detran no sentido de levar mais comodidade ao usuário e diminuir o registro de filas nas unidades do Departamento.

No caso do whatsapp, o cidadão deve gravar na agenda do seu aparelho celular o número (84) 98102-7472, que é o canal de comunicação do Detran específico para agendamento de dia e horário de atendimento na Junta Médica. Outro canal disponível para marcação é o email: comep.detran@rn.gov.br. Nesses dois pontos de comunicação o Detran já providenciou pessoal habilitado para atender, orientar e efetivar a marcação de atendimento de forma organizada.

Outra informação repassada pela Coordenadoria Médica e Psicológica do Detran é que o serviço de agendamento somente poderá ser efetivado em dias úteis de segunda a sexta-feira, no horário de 8h às 13h30. “Nossa intenção é que o serviço fique mais rápido e cômodo para o usuário”, comentou o diretor-geral do Detran, Júlio César Câmara.

Antes de aval relâmpago de financiamento à JBS, Joesley se encontrou com o presidente do BNDES

Registros de entrada da sede do BNDES no Rio mostram que o empresário Joesley Batista, dono da JBS, esteve no gabinete do então presidente do banco, Luciano Coutinho, às vésperas de decisões controversas sobre duas operações que teriam provocado prejuízo de R$ 711 milhões à instituição financeira, nos cálculos do Tribunal de Contas da União (TCU). Os dados foram obtidos pelo GLOBO por meio da Lei de Acesso à Informação. Em sua delação, Joesley afirma não ter negociado propina com Coutinho ou funcionários do banco, mas diz ter feito pagamentos de US$ 150 milhões ao PT acertados com o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega.

Uma das operações questionadas pelo TCU trata da liberação de R$ 1,1 bilhão para o grupo de Joesley adquirir uma empresa de carnes americana, a National Beef, a australiana Tasman Group e a divisão de carnes da Smithfield Beef Group. O apoio foi pedido em 11 de fevereiro de 2008. Nove dias depois, o enquadramento da operação já foi feito pela área técnica e, no dia 4 de março, a diretoria aprovou o aporte. Em um relatório sobre o caso, o TCU observou que essa tramitação em 22 dias é fora do padrão do BNDES, que demoraria, em média, 210 dias para realizar esse tipo de operação.

Os dados obtidos pelo GLOBO mostram que Joesley esteve na presidência do BNDES no dia 14 de fevereiro, três dias depois de o pedido ter sido efetivado e durante a tramitação relâmpago do aporte. De acordo com o registro, ele foi ao gabinete que era ocupado por Coutinho no Rio e ficou no local das 14h54m às 17h07m. As informações são de O Globo.

Leia maisAntes de aval relâmpago de financiamento à JBS, Joesley se encontrou com o presidente do BNDES

Governador autoriza recuperação da RN 118, de Ipanguaçu até Macau

Resultado de imagem para robinson faria assu

O governador Robinson Faria anunciou ontem, durante participação no programa Sala de Redação, da Rádio Princesa, a recuperação da rodovia RN-118, de Ipanguaçu até Macau. Ele afirmou que já autorizou a ordem de serviço para começar ainda esta semana a recuperação.

Escute abaixo o áudio da entrevista do governador Robinson Faria:

Major Fernandes pede afastamento do deputado preso Dison

Resultado de imagem para major fernandes

O major da Polícia Militar André Luis Fernandes, suplente do deputado estadual Dison Lisboa (PSD), pediu à Justiça do Rio Grande do Norte, o afastamento do parlamentar de suas funções políticas. Dison cumpre pena em regime semiaberto desde o sábado (1º), após determinação da Vara de Goianinha de que ele fosse preso devido a condenação em primeira e a segunda instância, mesmo que ainda recorra.

Apesar da prisão, o gabinete do parlamentar continua funcionando normalmente na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte e ele pode ir trabalhar. A Casa Legislativa informou que aguardava uma notificação da Justiça para se pronunciar sobre a continuação do trabalho dele.

O advogado do major Fernandes, Alexandre Magno Alves de Souza, pediu que os direitos políticos de Dison sejam suspensos devido à condenação criminal e que a Assembleia Legislativa fosse notificada da decisão.

Major Fernandes (PSC) foi candidato a deputado estadual em 2014, pelo PSD, mesmo partido de Dison Lisboa, na Coligação Liderados pelo Povo III. Ele obteve 25.006 votos e ficou na segunda suplência. O primeiro suplente, Amazan Silva, foi eleito prefeito de Jardim do Seridó em 2016 e assumiu o cargo executivo.

%d blogueiros gostam disto: