Concessão da raspadinha atrai três multinacionais do setor de jogos

Movimentação em casa lotérica na capital paulista

Previsto para meados de dezembro, o leilão da concessão da Lotex, estatal de loterias instantâneas conhecida como raspadinha, já atrai o interesse de três multinacionais do setor de jogos.

A britânica IGT, a grega Intralot e americana Scientific Games estão acompanhando o processo que vai a audiência pública na terça (26).

Além do serviço de operação de loterias, as empresas atuam em segmentos como gestão de apostas esportivas, slot machines, tecnologia e desenvolvimento de jogos.

Listada na Bolsa de Nova York, a IGT se declara a maior do mundo. Ela mantém um escritório em São Paulo, à espera da retomada dos negócios suspensos desde a proibição dos bingos em 2004. É sócia da Gtech, que foi alvo da CPI dos Bingos à época.

Procurada, a IGT admite interesse na Lotex, mas ressalva que ainda são estudos. “A IGT é uma forte candidata, mas ainda não temos decisão final sobre a participação nessa licitação, pois estamos analisando as condições que acabam de ser publicadas”, afirma a IGT International, em nota.

A resolução em que o governo determinou o lance mínimo de R$ 1 bilhão pelo direito de explorar a Lotex foi publicada no dia 1º deste mês. O governo espera que a estatal possa ser concedida por até R$ 2 bilhões. As informações são de JOANA CUNHA, Folha de São Paulo.

Leia maisConcessão da raspadinha atrai três multinacionais do setor de jogos

Cientistas criam teste rápido que detecta uso de cocaína na impressão digital

Cientistas da Universidade de Surrey, no Reino Unido, desenvolveram um teste rápido, usando a impressão digital, que pode, em alguns minutos, confirmar se uma pessoa fez uso de cocaína. A pesquisa, publicada no jornal científico “Clinical Chemistry”, é o resultado do primeiro estudo em grande escala de usuários da droga.

A pesquisa foi considerada um avanço para um alcance maior na detecção de usuários de outras substâncias da mesma categoria.

O estudo, realizado em parceria com o Netherlands Forensic Institute and Intelligent Fingerprinting (Instituto Forense e de Inteligência em Impressão Digital), foi liderado por Catia Costa e Melanie Bailey, da Universidade de Surrey. A equipe desenvolveu uma nova técnica para analisar os níveis de cocaína detectados nas impressões digitais: eles usaram papel cromatográfico para retirar as amostras como parte de uma técnica conhecida como “Espectrometria de massas por paper spray”.

Foram analisadas impressões digitais de pacientes que faziam tratamento em centros de reabilitação, assim como de um grande grupo não usuário de drogas. Todos os participantes lavaram suas mãos de formas variadas antes do teste, para, depois, as amostras serem coletadas em um “paper spray”.

Leia maisCientistas criam teste rápido que detecta uso de cocaína na impressão digital

Alemães protestam contra resultados obtidos por partido de extrema direita

Manifestantes se concentram em frente ao Volksbühne, um teatro em Berlim onde os líderes do partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha (AfD) comemoram os resultados obtidos nas eleições federais alemães. A polícia cercou o local e mantém o isolamento, enquanto os manifestantes gritam palavras de ordem como “Fora, nazistas”.

Paralelamente vários grupos judeus na Europa e nos Estados Unidos expressaram forte preocupação com os resultados do (AfD) e pediram aos outros partidos que não façam aliança com eles. O AfD obteve aproximadamente 13,5% dos votos, e com isso se torna o terceiro maior partido no Parlamento Alemão (Bundestag). O AfD não tinha representação no Parlamento desde 1950.

Ronald Lauder, presidente do Congresso Mundial Judeu, com base em Nova Iorque (EUA), disse que a chanceler Angel Merkel é “uma verdadeira amiga de Israel e do povo judeu” e criticou os resultados obtidos pelo AfD num momento em que o anti-semitismo cresce no mundo.

– É abominável que o AfD, um movimento reacionário que traz de volta o pior do passado da Alemanha e deveria ser considerado fora da lei, agora possa usar o Parlamento para promover sua plataforma vil – disse ele. As informações são de O GLOBO COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS.

Leia maisAlemães protestam contra resultados obtidos por partido de extrema direita

Celso Athayde lança partido e aposta no mercado para promover negros

Rio de Janeiro, Rj, BRASIL. 20/09/2017; Retrato de Celso Athayde um dos fundadores do partido Frente Favela Brasil. ( Foto: Ricardo Borges/Folhapress)

No dia 30 de agosto, um grupo de militantes e artistas ligados a causas da população negra protocolou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um pedido de registro para a formação de um partido político intitulado Frente Favela Brasil. Os postulantes terão que aguardar o TSE analisar a documentação e, se tudo estiver certo, precisarão coletar assinaturas de mais de 180 mil eleitores sem vínculo com outras siglas.

“Conseguir as assinaturas vai ser muito fácil”, diz o empresário e ativista social Celso Athayde, 54, idealizador do novo partido. Não é bravata. Há 20 anos, ele fundou com um grupo de amigos, entre eles o rapper MV Bill, a Cufa (Centra Única das Favelas), uma organização que hoje está presente em 412 cidades brasileiras e arregimenta um exército de colaboradores diretos estimado em 1,5 milhão de pessoas.

Ao contrário do que se poderia supor, a Cufa não é uma entidade sem fins lucrativos –e apesar de eventuais parcerias com prefeituras e governos, é sobretudo no mercado que busca sua força e sua autonomia.

“A Cufa nunca foi sem fins lucrativos, e eu nunca tive vergonha de dizer isso. O problema do lucro não é ele existir, é o que você faz com ele. Se você tem lucro e aplica na especulação imobiliária, é uma coisa. Mas se você usa para viabilizar mais ações sociais, qual o problema?”, questiona Athayde. Além de ver nas relações com o Estado o risco do “cabresto” e da barganha por voto, ele critica algumas premissas de políticas públicas, que podem ser bem-intencionadas, mas erram o alvo. As informações são de MARCOS AUGUSTO GONÇALVES, Folha de São Paulo.

Leia maisCelso Athayde lança partido e aposta no mercado para promover negros

Partidos desafiam TSE e mantêm estrutura que dá poder a cúpulas

Imagem relacionada

Partidos políticos descumprem uma decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e mantêm estruturas de direção pelo país que fortalecem o poder dos líderes nacionais e estaduais das legendas.

Uma resolução da corte de 2015 determinou que os partidos reduzissem o número de comissões provisórias –executivas criadas em cidades e Estados onde o partido acaba de se instalar e que devem durar no máximo 120 dias.

A abertura dos comitês temporários é permitida, mas o problema é que muitas siglas abusam do recurso para manter como lideranças locais pessoas nomeadas por seus “caciques”, enfraquecendo o papel dos filiados.

Como esses dirigentes não são eleitos nem cumprem mandatos –e ainda podem ser trocados a qualquer momento por decisão de instâncias superiores–, isso contribui para a ausência de democracia interna nas siglas.

A avaliação é tanto do TSE quanto de organizações que cobram mudanças para tornar os partidos menos sujeitos à ação de “donos”. As consequências, dizem, vão desde a baixa renovação de quadros até a limitação para lançamento de novos candidatos, já que as cúpulas detêm o poder de escolha. As informações são de JOELMIR TAVARES, Folha de São Paulo.

Leia maisPartidos desafiam TSE e mantêm estrutura que dá poder a cúpulas

Doria e Alckmin começam a esboçar trégua

São Paulo SP Brasil 13 09 2017 PODER Congresso Brasil Competitivo 2017 com tema economia digital, no Hotel Unique, em São Paulo (SP), os ministros da Saúde, Ricardo Barros, da Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab, da Integração Nacional, Helder Barbalho, o prefeito de São Paulo, João Doria e os governadores Geraldo Alckmin (SP), Paulo Hartung (ES) e Paulo Câmara (PE)..PODER foto Jorge Araujo Folhapress 703

Cientes do risco de implosão do PSDB devido a seu cabo de guerra, Geraldo Alckmin e João Doria apresentaram cartas de conciliação para tentar garantir a parceria entre ambos em 2018.

Tanto o governador paulista quanto seu afilhado político, prefeito de São Paulo eleito no primeiro turno em 2016, querem ser candidatos à Presidência no ano que vem.

A alta temperatura da troca de farpas entre os dois nas últimas semanas, contudo, colocou em alerta o tucanato, que teme uma cisão que comprometa a posição majoritária do partido no campo governista em 2018 –não por acaso, DEM e PMDB vêm buscando se cacifar falando em candidatos próprios.

A sinalização de trégua veio de parte a parte, embora haja caciques do tucanato que duvidem de sua eficácia.

Alckmin disse a interlocutores que considera legítimo o pleito de Doria de ser candidato, e o prefeito sinalizou que não despreza o desejo de seu padrinho político de vê-lo candidato a governador. As informações são de IGOR GIELOW, Folha de São Paulo.

Leia maisDoria e Alckmin começam a esboçar trégua

FHC acha que Doria é o melhor candidato para o PSDB

Fernando Henrique achava que o melhor candidato para o PSDB era Geraldo Alckmin. Achava. Hoje o ex-presidente está convencido de que João Doria tem mais chances de emplacar.

Doria, aliás, tem feito importantes sinais ao DEM, como o jantar da semana passada. Mas o fato é que a maior referência da legenda, Rodrigo Maia, está mais para Geraldo Alckmin do que para o prefeito de São Paulo. As informações são de Mauricio Lima, da coluna Radar, da VEJA.

Na Câmara, 1/4 dos deputados estouraria limite de gasto em eleição

Luis Macedo/Camara dos Deputados

Tendo como base a eleição de 2014, um em cada quatro deputados federais teria ultrapassado o teto de gasto de R$ 2,5 milhões proposto em projeto de lei pelo relator da reforma política na Câmara, Vicente Cândido (PT-SP). O texto será debatido nesta terça-feira no plenário da Casa. Dos 513 parlamentares, 122 deles (24%) gastaram mais do que o limite apresentado na proposta de Cândido.

No caso de Arlindo Chinaglia (PT-SP), parlamentar campeão de gastos, a proporção é quatro vezes maior. A campanha do petista custou R$ 10,2 milhões (valores atualizados) em 2014, segundo levantamento realizado pelo cientista político Jairo Nicolau, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Se mantidas as atuais regras, no ano que vem as eleições majoritárias e proporcionais terão financiamento exclusivo de pessoas físicas. Em 2015, o Supremo Tribunal Federal (STF) julgou inconstitucionais as doações empresariais. Pela lei, somente pessoas físicas podem doar a candidatos sob o limite de 10% do seu rendimento no ano anterior à campanha.

Senado e Câmara têm hoje pressa para estabelecer alternativas (mais informações nesta página). Qualquer mudança deve ser aprovada até 7 de outubro para valer na próxima eleição. “As campanhas são muito caras aqui no Brasil”, afirmou Nicolau. Segundo ele, o único país com gastos eleitorais maiores são os Estados Unidos. “Na França, na Alemanha, mesmo convertendo real para euro, as campanhas são mais baratas.”

Leia maisNa Câmara, 1/4 dos deputados estouraria limite de gasto em eleição

Angela Merkel confirma que vai negociar nova coalizão na Alemanha

Eleição na Alemanha

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, confirmou neste domingo, 24, que vai liderar a formação de uma nova coalizão para iniciar seu quarto mandato como chefe de governo. O anúncio foi feito em seu discurso de vitória, proferido no quartel-general do Partido Cristão-Democrata (CDU), em Berlim. A atual premiê reconheceu que seu partido obteve um resultado inferior ao esperado, mas atribuiu o resultado ao desgaste provocado pelos 12 anos de exercício do poder.

” O CDU esperava resultados melhores, mas não vamos esquecer, diante do desafio extraordinário, que nós atingimos nossos objetivos estratégicos: nós somos o partido mais forte “, argumentou a chanceler, que vai dar início a seu quarto mandato. ” Nós temos o mandato para formar o novo governo e nós vamos formar o novo governo. “

Segundo Angela Merkel, um dos desafios de seu governo e de seu partido será retomar a confiança dos eleitores que nos últimos anos migraram para o Alternativa para a Alemanha (AfD), partido de extrema direita criado em 2013 e que, nesse intervalo, cresceu de 4,7% dos votos – sem direito a vagas no Parlamento – para cerca de 13%, tornando-se a terceira maior força política do País. ” Essa também foi a eleição na qual vimos a chegada ao Parlamento do AfD. Nós vamos conduzir uma profunda análise. Nós queremos reconquistar os eleitores que votaram pelo AfD, e descobrir suas preocupações “, sustentou. As informações são de Andrei Netto, enviado especial, O Estado de S.Paulo.

Leia maisAngela Merkel confirma que vai negociar nova coalizão na Alemanha

Em data-limite para reforma política, Congresso prioriza fundos eleitorais

Resultado de imagem para Em data-limite para reforma política, Congresso prioriza fundos eleitorais

Sem conseguir implementar mudanças efetivas para as eleições de 2018, o Congresso Nacional vai concentrar esforços nas próximas duas semanas para aprovar a criação de um fundo público para o financiamento de campanha. Hoje, a preocupação de deputados federais e senadores é uma só: como levantar recursos para abastecer as campanhas no próximo ano, uma vez que em 2015 o Supremo Tribunal Federal (STF) proibiu as doações de empresas. Tanto o Senado quanto a Câmara estão debruçados sobre essa questão.

Diante da dificuldade dos deputados de avançarem com as propostas da reforma política no plenário, os senadores começaram na semana passada a articular um “plano B”. O Congresso tem pressa porque, para valer em 2018, as novas regras eleitorais precisam ser aprovadas até 7 de outubro – um ano antes das eleições.

A iniciativa no Senado tem sido patrocinada pelo líder do governo na Casa, senador Romero Jucá (PMDB-RR). Ele foi um dos primeiros a defender a criação de um fundo público que, nas suas contas, poderia chegar a pelo menos R$ 3,6 bilhões. As informações são de O Estado de são Paulo.

Leia maisEm data-limite para reforma política, Congresso prioriza fundos eleitorais

Governo Temer privilegia pautas de conservadores e empresariado

Sao Paulo, SP. Brasil. 12.12.2016. O presidente Michel Temer, ao lado de politicos e empresarios durante homenagem, no Palacio dos Bandeirantes, em Sao Paulo, em motivo do Prêmio Líder do Ano, no evento promovido pelo Lide, entidade do Grupo Doria. (Foto: Moacyr Lopes Junior/Folhapress)

Em 16 meses de gestão de Michel Temer, demandas do empresariado e de setores que defendem posições conservadoras tiveram avanço significativo no Executivo e no Congresso.

Propostas encampadas por campos opostos, por outro lado, não registraram movimentação expressiva no governo ou no Legislativo, que nas últimas eleições assistiu a um crescimento das bancadas da bala (segurança pública), evangélica e ruralista.

Assim que assumiu, em 12 de maio de 2016, Temer recebeu uma pauta de reivindicações de representantes do empresariado e dos ruralistas, dois segmentos que apoiaram o impeachment de Dilma Rousseff (PT).

A CNI (Confederação Nacional da Indústria) enviou um documento com 36 “propostas para o Brasil sair da crise”. Pelo monitoramento da entidade, 29 avançaram. Já os ruralistas encaminharam 17 pontos prioritários, dos quais 13 foram atendidos. As informações são da Folha de São Paulo.

Leia maisGoverno Temer privilegia pautas de conservadores e empresariado

Presos, políticos da Lava-Jato fazem cursos à distância para reduzir penas

No Complexo Médico Penal de Curitiba, Eduardo Cunha tem aula online de espanhol

O Complexo Médico Penal de Curitiba transformou-se numa espécie de escolinha para políticos presos na Lava-Jato que tentam reduzir suas penas. A estratégia para diminuir o tempo na cadeia levou o ex-deputado Eduardo Cunha a um curso de espanhol à distância, enquanto o ex-diretor da Petrobras Renato Duque aposta nas lições de inglês. Com o mesmo objetivo, o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto matriculou-se no curso de Higiene de Alimentos.

O empenho tem apresentado resultados. Jorge Zelada, outro ex-diretor da Petrobras, é o campeão de remição de pena e já diminuiu sua condenação em 361 dias. Para isso, segundo informações da 1ª Vara de Execução Penal, participou dos cursos que viu pela frente: gestão de negócios, instalações elétricas e segurança do trabalho. Duque já conseguiu diminuir a pena em 279 dias; e Vaccari, em 287 dias. Cunha ainda vai pedir a redução de pena.

Segundo o diretor do Departamento Penitenciário do Paraná, Luiz Alberto Cartaxo, a maior parte dos cursos é feita por meio de instituições credenciadas no sistema de ensino do governo do Paraná:

— Diversos cursos são online, mas eles também têm aulas presenciais, com professores em sala de aula. Somente aqueles presos que atingem as metas e notas exigidas têm a remição descontada da pena. As informações são de GUSTAVO SCHMITT, O Globo.

Leia maisPresos, políticos da Lava-Jato fazem cursos à distância para reduzir penas

PT e PMDB negociam formar alianças em cinco Estados no Nordeste

ctv-plg-camilo-santana

O governador do Ceará, Camilo Santana Foto: Jose Cruz/Agência Brasil

Rompidos no plano nacional desde o impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff, PT e PMDB já negociam alianças para as eleições de 2018 em pelo menos cinco dos nove Estados do Nordeste. A aproximação se dá por uma combinação de fatores. A força que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ainda tem na região atrai os peemedebistas, ao passo que o fato de o PMDB ser o partido com maior tempo de TV e ter o maior número de prefeituras do País é um atrativo para o PT.

O caso mais emblemático é o do Ceará. No Estado, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), vem conversando com o governador Camilo Santana (PT) para estarem na mesma chapa em 2018. Pelas negociações, Eunício apoiaria a reeleição do petista Em troca, o peemedebista garantiria para ele uma das duas vagas de senador na chapa de Santana. A outra vaga deve ir para o ex-ministro Cid Gomes (PDT), irmão do ex-ministro Ciro Gomes, pré-candidato a presidente da República.

Em 2014, Eunício e Santana foram adversários na disputa pelo governo do Estado. Em 2018, porém, quando precisa renovar o mandato, o peemedebista já deu declarações públicas de que pode apoiar Lula no Ceará. “O PMDB vai fazer coligações nos Estados livremente, com quem achar que é conveniente”, disse o senador em entrevista nesta semana. O próprio ex-presidente dá aval para a aliança. “Se der para fazer chapa Lula, Camilo, Cid e Eunício, topamos discutir”, afirmou o deputado José Guimarães (PT-CE), um dos mais próximos de Lula. As informações são de Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo.

Leia maisPT e PMDB negociam formar alianças em cinco Estados no Nordeste

Bretas proíbe Sérgio Cabral na vida pública até os 80

Se quiser voltar à vida pública, assumir um cargo de diretor ou membro de conselho de administração, o ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) vai precisar esperar até pelo menos os 80 anos de idade. O juiz federal Marcelo Bretas, da 7.ª Vara Federal do Rio, impôs 45 anos e 2 meses de condenação ao peemedebista.

Deste total, a pena se divide em 24 anos pelo crime de corrupção passiva, 13 anos por lavagem de dinheiro e 8 anos e 2 meses por organização criminosa.

“Para os réus condenados pela prática do crime de lavagem de capitais, como efeito secundário da condenação, decreto a interdição do exercício de cargo ou função pública de qualquer natureza e de diretor, de membro de conselho de administração ou de gerência das pessoas jurídicas referidas no artigo 9º da Lei 9.613/98, pelo dobro do tempo da pena privativa de liberdade aplicada, consoante determina o artigo 7º, II da mesma lei”, ordenou Bretas. As informações são de Julia Affonso, O Estado de São Paulo.

Leia maisBretas proíbe Sérgio Cabral na vida pública até os 80

Lava Jato amplia cerco a Lula com mais 6 apurações

A Operação Lava Jato e seus desdobramentos ampliam o cerco ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e dificultam ainda mais seu plano de disputar um terceiro mandato na eleição de 2018. Condenado pelo juiz Sérgio Moro a 9 anos e 6 meses de prisão no caso triplex do Guarujá, réu em seis ações penais e denunciado em outros dois casos, o petista agora é alvo de seis procedimentos de investigação criminal abertos pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal em Curitiba, São Paulo e Brasília.

As novas apurações podem resultar em processos na Justiça por crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, tráfico de influência e obstrução a investigações. Com as investigações em curso e os processos na Justiça contra o ex-presidente, partidos de esquerda já traçam caminhos alternativos à disputa presidencial. Caso o Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, confirme a sentença de Moro, de julho, o petista pode até ficar inelegível.

O principal ponto de partida das novas investigações são os acordos de colaboração dos executivos da Odebrecht, homologados pelo Supremo Tribunal Federal em janeiro deste ano. As informações colhidas pela força-tarefa da Lava Jato e documentos entregues pelos delatores geraram frentes de apurações em três estados. As informações são de O Estado de São Paulo.

%d blogueiros gostam disto: